sábado, 30 de abril de 2016

FABRICAR E SOLTAR BALÃO É CRIME: Ação contra balões é intensificada



No período de abril a julho, ocorre o maior número de casos devido à proximidade das festas juninas. O problema ainda é agravado pela menor umidade do ar durante o outono. Divulgação/Palácio Guanabara


Linha Verde do Disque-Denúncia do Rio lançou a 17ª edição da campanha de combate e prevenção à prática de confecção, comercialização, soltura e realização de festivais de balões. O Disque Balão é sazonal e se estende até o dia 15 de setembro. Este ano, um efetivo de mais de 60 policiais militares e o Grupamento Aeromóvel (GAM) participam das ações na Região Metropolitana e na Baixada Fluminense. A operação conta ainda com o suporte de um helicóptero, duas embarcações e 18 viaturas.

Para José Maurício Padrone, da Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais, dependendo do local de mata, o prejuízo por conta da queda de um balão é gigantesco.

“Quando um balão cai na mata, geralmente é um local de difícil acesso ou até mesmo inacessível. O problema se concentra aí, pois se é difícil para os grupos de resgate, também é difícil para os bombeiros e guarda-parques. O combate passa a ser mais demorado e muito caro, já que muitas vezes é preciso usar um helicóptero. Por conta da dificuldade em chegar ao local, o maior prejudicado é o meio ambiente. Esse é um prejuízo difícil de reverter”, disse José Maurício Padrone.

Embora o Código Florestal proíba, desde 1965, a soltura de balões, os artefatos ainda são soltos. No período de abril a julho, ocorre o maior número de casos, devido à proximidade das festas juninas. O problema é ainda agravado pela menor umidade do ar no outono. Os balões podem atingir instalações industriais, como as refinarias de petróleo, provocando incêndios em tanques e áreas adjacentes. O prejuízo se estende ainda ao espaço aéreo.

Em 2015 o Linha Verde registrou 7.535 denúncias referente a crimes ambientais. Dentre essas, 219 dizem respeito à prática de comercialização, confecção, soltura de balões e grupos de baloeiros. Ao todo 25 pessoas foram presas, cerca de 500 balões apreendidos e mais de 13 mil materiais para fabricação foram apreendidos pelo Comando de Polícia Ambiental.


De acordo com o coronel André Vidal, comandante do Comando de Polícia Ambiental (CPAm), a campanha lançada pelo Linha Verde reforça a conscientização da população.

“A campanha Disque Balão é fundamental para desestimular esse tipo de prática criminosa, já que a conscientização da população poderá minimizar estes efeitos. As informações do Linha Verde contribuem positivamente para que o Comando de Polícia Ambiental produza conhecimentos necessários e oportunos acerca de indivíduos e grupos envolvidos na fabricação, venda, transporte, depósito, soltura e resgate de balões, a fim de realizar operações para coibir essa prática”, explicou o comandante.

Desde o seu início, no dia 15 deste mês, a PM já prendeu dez pessoas em 15 operações realizadas. Além disso, foram apreendidos 25 balões, oito fogos de artifícios e mais 58 materiais diversos para a fabricação.

Em 2015 o Linha Verde registrou 7.535 denúncias referente a crimes ambientais. Dentre essas, 219 dizem respeito à prática de comercialização, confecção, soltura de balões e grupos de baloeiros. Ao todo 25 pessoas foram presas, cerca de 500 balões apreendidos e mais de 13 mil materiais para fabricação foram apreendidos pelo Comando de Polícia Ambiental.

Desde o seu início, no dia 15 deste mês, a PM já prendeu dez pessoas em 15 operações realizadas. Além disso, foram apreendidos 25 balões, oito fogos de artifícios e mais 58 materiais diversos para a fabricação.

 
Disque Balão – O Disque Balão foi criado no ano de 1999 com o objetivo de estimular a população a denunciar locais de comercialização de balões, prevenir e reprimir a ação de baloeiros e a realização de festivais. A campanha serve principalmente para sensibilizar a população sobre os riscos que os balões geram para a conservação e preservação dos recursos ambientais e para a segurança.

A prática de soltar balões é crime (artigo 42 da Lei de Crimes Ambientais nº 9.605/98) e causa acidentes graves. Fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas urbanas ou qualquer tipo de moradia é crime, com penas que vão de 1 a 3 anos de detenção ou multa; ou ambas as penas cumulativamente.

O telefone para denunciar grupos de baloeiros, locais de soltura ou confecção de balões em todo o Estado do Rio de Janeiro é o 0300 253 1177.

Quem fizer a denúncia ao Linha Verde tem a garantia de sua identidade preservada.

Fonte: O Fluminense



-------------------------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

SOBRE O COMBATE AOS BALÕES:

FABRICAR E SOLTAR BALÃO É CRIME: Linha Verde lança nova edição do Disque Balão
CRIME AMBIENTAL - POLÍCIA MILITAR INICIA AÇÕES PARA COIBIR BALOEIROS NO PERÍODO JUNINO
CRIME AMBIENTAL - Balão de 24 metros é apreendido em São Gonçalo
POLÍCIA DESCOBRE UM DEPÓSITO DE BALÕES NA ILHA DE JURUBAÍBA, NA BAÍA DE GUANABARA. Comando de Polícia Ambiental realiza operação em SG
POLÍCIA APERTA O CERCO CONTRA OS BALÕES. Municípios de Niterói e São Gonçalo são responsáveis por metade das ocorrências envolvendo artefatos no Estado do Rio
Ação da polícia apreende 150 balões em São Gonçalo e indicia por crime ambiental os responsáveis
Polícia Ambiental fecha fábrica de balões em São Gonçalo
COMBATE AO CRIME DE SOLTAR BALÃO - Disque Denúncia oferece recompensa de até R$ 2 mil contra balões
Polícia detém 54 suspeitos de participarem de um festival de balões em Belford Roxo
Presos em operação contra soltura de balões em São Gonçalo
Balão de dez metros apreendido em Várzea das Moças
CPAm e GAM apreendem balão em São Gonçalo e Maricá neste domingo
Balão cai em área residencial e provoca destruição em São Gonçalo
Fiscalização no combate aos balões e vários foram apreendidos
Comando de Polícia Ambiental interdita fábrica de balões em Maricá
INEA FARÁ CAMPANHA DE FISCALIZAÇÃO CONTRA BALÕES
Criminosos soltam balões em plena situação crítica de incêndios
Muitos focos de queimadas em Niterói. Responsáveis pelos incêndios serão investigados
Crime ambiental: fiscalização aperta o cerco contra baloeiros
Crime ambiental: hoje de manhã, 20 balões sobre Niterói
Incêndio criminoso na Serra da Tiririca, em Itaipuaçu

SOBRE INCÊNDIOS EM VEGETAÇÃO:

NITERÓI EM ESTADO DE ATENÇÃO CONTRA QUEIMADAS
NITEROI CONTRA QUEIMADAS: Programa de reflorestamento da Clin contribui para recuperar áreas degradadas por queimadas em Niterói
NITERÓI CONTRA AS QUEIMADAS: O QUE SE PERDE CADA VEZ QUE O FOGO DESTRÓI AS NOSSAS FLORESTAS?
NITERÓI COMBATE O LIXO NOS RIOS
ALERTA: Niterói está com alto risco de incêndio em vegetação. Soltar balão e praticar queimadas é crime!
NITERÓI RESILIENTE - NUDEC QUEIMADAS: Voluntários contra queimadas








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.