quinta-feira, 29 de setembro de 2016

NITERÓI SUSTENTÁVEL: Projeto CLIN Curumim leva ideias sustentáveis para escolas municipais





28/09/2016 - Existe um ditado que diz "é de pequenino que se torce o pepino”. Pois foi seguindo esta linha que a Companhia de Limpeza de Niterói (CLIN), por meio do setor de reciclagem (Reciclin), desenvolveu o Projeto CLIN Curumim, com o objetivo de levar coleta seletiva, oficinas de reaproveitamento de resíduos e estandes com materiais reciclados para as escolas municipais de Niterói. O projeto pretende alcançar todas as escolas da rede, abordando e trabalhando na prática ideias e hábitos mais sustentáveis.

Iniciado em janeiro de 2013, o programa que entrou na terceira edição este ano, promove palestras com temas educativos, abordando a importância da conscientização para a coleta seletiva, realiza exposição de artesanatos feitos a partir de materiais recicláveis e retira das ruas as papeleiras que estão danificadas ou foram depredadas e as restauram para serem distribuídas e reaproveitadas nas escolas.

A equipe já visitou 65 instituições, instalando três unidades de papeleira em cada uma delas para atender às necessidades da coleta seletiva.

“Muitos dos hábitos que os adultos têm até hoje são reflexo da educação que recebem na infância e dos valores que nos foram passados na época. As oficinas realizadas com os alunos têm o máximo de aproveitamento nos rendimentos escolares. Saímos satisfeitos de todos os eventos. As crianças aprendem a reduzir, reaproveitar e reciclar. A meta é atender a todas as escolas municipais, gerando educação ambiental e conscientização para alunos e funcionários", destaca Sílvia Pires, chefe de divisão da Reciclagem da CLIN.

Sílvia explica que todos são capazes de aprender coisas novas, repensar e mudar de atitude. “Essa reeducação também afeta diretamente crianças e adolescentes, que passam desde cedo a conviver com as chamadas ideias sustentáveis como separar lixo para reciclagem, economizar água e energia elétrica e entender o verdadeiro valor dos produtos e serviços que consumimos, criando cidadãos com senso mais crítico com relação a isso” afirma Silvia.

A Reciclin também realiza palestras em escolas estaduais, particulares e em empresas, disponibilizando materiais para trabalhos escolares e divulgando o trabalho da coleta seletiva, só não distribuem papeleiras, que são exclusivas para as escolas municipais. Instituições particulares e empresas interessadas no Clin Curumim, devem contatar a companhia de limpeza pelo site www.clin.rj.gov.br, clicando no link da Ouvidoria, ou ligar para o 0800 022 2175.

Fonte: Prefeitura de Niterói





PROJETO GRAEL RECEBEU O "NOMADES DES MER": Expedição dá volta ao mundo em busca de tecnologias sustentáveis



Cultivo: Elaine maneja plantação hidropônica de hortaliças para alimentação - Guilherme Leporace / Agência O Globo


Renan Almeida

Franceses disponibilizam tutoriais para montagem de tudo que aprendem

NITERÓI - A rotina de atividades de Coco e Elaine é típica do interior, num ambiente que de perto se confunde com uma granja — com galinheiro, hortas, comida na brasa —, mas que na verdade integra um roteiro mais próximo de uma aventura cinematográfica. Os dois franceses vivem há seis meses no catamarã Nomade des Mers (Nômade dos Mares), numa expedição de pesquisa e volta ao mundo com a duração de três anos. Em Niterói há um mês, ancorados no Projeto Grael, eles participaram de uma série de oficinas para ensinar um pouco do que aprenderam e colher conhecimentos locais.

Isso porque eles não estão só de passagem. Sua missão é baseada na troca e difusão de conhecimentos. Em cada parada pelo caminho eles se aproximam de comunidades e pessoas que desenvolvem projetos de baixa tecnologia e grande utilidade.

— É apenas o início. Em cada lugar que paramos tem tanta gente legal com boas invenções. Ainda não somos autônomos, compramos as coisas que usamos, mas a ideia é colher ideias, experimentar isso e no fim conseguirmos ser autossuficientes — diz Corentin De Chatelperron, o Coco, de 33 anos, engenheiro e idealizador do projeto.

Aqui no Rio, por exemplo, a dupla está focada na reciclagem de plástico. Na parada anterior, no Recife, eles aprenderam a desenvolver um biodigestor que fabrica gás de fogão a partir de lixo orgânico, como alimentos e dejetos de animais. Estudaram também agroecologia e em contrapartida ensinaram a construir um microgerador de energia eólica, que utiliza um motor de impressora adaptado a uma hélice feita de tubos de PVC que formam um catavento. O invento não custa mais de R$ 30.

— O catavento é um dos favoritos. É tão simples, barato e está sendo realmente muito útil para gerar energia e carregar eletrônicos — conta Elaine Le Floch, de 28 anos, responsável por buscar parceiros de invenções mundo afora.

Dieta de espinafre com larvas

A primeira impressão é que o barco é uma horta navegante, com plantas por todos os lados. Entre elas, a mais presente é o espinafre, que, segundo Elaine, é rico em proteínas, vitaminas e cresce rapidamente. Há ainda ferramentas e caixas com insetos e larvas pelos cantos. No fundo, um viveiro com quatro galinhas fornece ovos para alimentação. Na parte de baixo do barco, dois quartos e laboratórios de eletrônica e cultivo.

Quando a equipe do GLOBO-Niterói subiu na embarcação, a tripulação preparava um dos itens da dieta diária que mantém: larvas do tenebrio, uma espécie de besouro criada na embarcação. O exótico petisco é preparado com sal e pimenta.

Coco no laboratório de eletrônica dentro do catamarã - Guilherme Leporace / Agência O Globo


— É a comida do futuro, você vai ver — diz o francês Hugo Daniel, de 38 anos, que, assim como a bióloga Elina Reynaud, de 24, se juntou à tripulação no Brasil.

Coco brinca com o menu:

— Veremos no que nos transformaremos comendo tenebrio e espinafre todos os dias.

Embora já utilizem os sistemas criados para fornecer água, alimentos e energia, Alguns de Louis-Marie, coordenador da expedição, lembra que não se trata de um experimento de sobrevivência. Sendo assim, em cada porto que param enchem o tanque com água potável e adquirem alimentos para não pôr em risco a saúde do grupo. O deslocamento da embarcação, no entanto, é feito com a força do vento em 90% do tempo.

— Tem pessoas inovando em suas garagens, com invenções incríveis, e ninguém sabe. Aprendemos que no Brasil isso se chama gambiarra. Estamos experimentando a sustentabilidade neste barco graças a essas tecnologias. O que queremos provar é que é possível ser sustentável com apenas engenhosidade e trabalho — resume Louis-Marie.
 
 




Na troca de conhecimentos por aqui, eles desenvolveram na oficina de carpintaria do Projeto Grael um sistema de conservação e um desidratador de alimentos. São caixas de madeira que utilizam a troca de ar e temperatura para prolongar a vida útil de alimentos, substituindo a geladeira. Se estiver maduro demais, uma outra caixa utiliza o sol para desidratar alimentos e prolongar ainda mais.

— Vão levar tanto o pedaço material do Projeto Grael como o imaterial, que são as recordações da vivência com as crianças das oficinas — conta Thiago Marques, coordenador de meio ambiente do grupo brasileiro.

Depois de aprender as tecnologias e os sistemas sustentáveis, eles criam tutoriais de como replicá-las e os disponibilizam no site: www.lowtechlab.org.

Terça-feira eles zarpam rumo à África, numa viagem de cerca de um mês com apenas uma parada. Depois seguem para Ásia, Polinésia, Américas do Norte e Central, e de volta para a França.

Fonte: O Globo Niterói



-------------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

BOM DIA RJ NO PROJETO GRAEL: Barco-laboratório que dá volta ao mundo chega em Niterói para parceria com o Projeto Grael
PROJETO GRAEL RECEBE BARCO SUSTENTÁVEL: Nômades do ambiente ancoram em Niterói
Embarcação francesa que divulga técnicas sustentáveis chega a Niterói para parceria com o Projeto Grael







NITERÓI DE BICICLETA: Estudo mostra que população é favorável ao incentivo do uso das bicicletas





Aline Balbino

Uma pesquisa feita com 2.098 pessoas apontou que 74% desse total é a favor de ações que reduzam o espaço do veículo particular nas ruas se o motivo for dedicar esse espaço para ciclovias, corredores de ônibus e calçadas. O levantamento sobre mobilidade urbana foi encomendado pelo Greenpeace ao Instituto Datafolha. A pesquisa foi realizada com a partir de 16 anos, em 132 municípios de todas as regiões do país. Os entrevistados responderam perguntas sobre medidas que impulsionem o desuso de carros, com redução de vagas de estacionamento nas vias (rotativo), das faixas de rolamento e o fechamento de ruas para automóveis. O levantamento apontou que 43% dos entrevistados estavam na região Sudeste, sendo a maior parte mulheres entre 23 e 25 anos.

Em Niterói, há atualmente mais de mil vagas de estacionamento para bicicletas. E esse número deve crescer, já que em dezembro será finalizada a obra de construção do estacionamento de bicicletas na Praça Arariboia, no Centro. “A pesquisa demonstra que a população apoia a redistribuição do espaço nas ruas quando entende que ele será destinado a outros meios de transporte benéficos para a cidade”, diz Vitor Leal, da campanha de Mobilidade Urbana do Greenpeace Brasil.

Questionados sobre qual meio de transporte preferido para circular na cidade se elas oferecessem infraestrutura adequada, o ônibus seria a escolha de 42% das pessoas, seguido por carro (23%) e bicicleta (21%) – na prática, estes dois empatados pela margem de erro de dois pontos da pesquisa.

"É imprescindível que a sociedade abrace esta ideia pois já sabemos dos diversos benefícios que este modelo de cidade traz para a vida dos seus habitantes". Isabela Ledo, coordenadora do programa Niterói de Bicicleta


O motorista Francisco José, mesmo com seu carro é a favor de medidas que visem o pouco uso de carro. “Eu acho que estacionar em Niterói é difícil, até porque tem que pagar. Mas, eu sou a favor de melhorar a situação dos ciclistas. É preciso investir em ciclovias, área para parar bicicletas. É importante pensar numa vida saudável”, disse.

O ciclista Maurício Moreira, de 31 anos, concorda com Francisco. Para ele, pensar no ciclista é uma questão se segurança. “Não dá mais para disputar mais pelas ruas de Niterói com motoristas. Mais bicicletas na rua melhorará a cidade em tudo. Menos poluição, mais mobilidade, menos engarrafamento”, disse.

Isabela Ledo coordenadora do programa Niterói de Bicicleta concorda com o estudo. “É imprescindível que a sociedade abrace esta ideia pois já sabemos dos diversos benefícios que este modelo de cidade traz para a vida dos seus habitantes. Temos que repensar nossos hábitos diários de deslocamento e ter a consciência do impacto dos mesmos na nossa vida”.

Fonte: A Tribuna







Organização "ATLETAS PELO BRASIL" critica proposta do governo sobre esporte nas escolas



Integrantes da Atletas pelo Brasil se reuniram nesta segunda-feira em São Paulo (Foto: Fábio Suzuki) Foto: LANCE!


Ex-atletas criticam proposta do governo sobre esporte nas escolas

Membros da organização Atletas pelo Brasil pedem que o governo federal reveja medida para acabar com a obrigatoriedade da educação física no ensino médio

Fábio Suzuki e Rafael Valesi

A proposta do governo federal de excluir a obrigatoriedade de aulas de educação física no ensino médio nas escolas foi criticada por membros da organização Atletas pelo Brasil.

A entidade, presidida pela ex-jogadora de vôlei Ana Moser e que reúne diversos ex-atletas consagrados do Brasil, se tornou nos últimos anos uma das principais vozes em defesa de práticas mais transparentes e efetivas na política esportiva do país. E, nesta nova polêmica envolvendo a prática da educação física nas escolas, a posição não foi diferente.

Para integrantes do grupo, a medida deveria ao menos ser debatida, coisa que não aconteceu. O texto da Medida Provisória, que institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (na qual a educação física deixa de ser obrigatória no ensino médio), foi enviado ao Congresso Nacional na última sexta-feira. A proposta será analisada por uma comissão mista antes de ser encaminhada aos Plenários da Câmara e do Senado.

Fonte: Lance!










SEGURANÇA EM NITERÓI: Nos retoques finais, Cidade da Ordem Pública é palco da formatura da nova turma de guardas municipais


 




Fotos Alexandre Vieira


28/09/2016 - A Prefeitura de Niterói realizou na tarde desta quarta-feira (28/9), na Cidade da Ordem Pública Marcus Jardim, a formatura da quarta turma, composta por 58 guardas municipais aprovados no concurso público realizado em 2014. Com a incorporação dos novos agentes, a força tem agora 600 guardas, o dobro do que tinha em janeiro de 2013.

A turma, que foi batizada em homenagem ao guarda Antônio Heriberto Pereira da Silva, falecido em março de 2016, vítima de acidente de trânsito, passou por 504 horas/aulas. Professores da Universidade Federal Fluminense, guardas civis municipais graduados, bem como professores convidados, foram responsáveis por ministrar as aulas, que incluíam abordagem, utilização de armas não letais, primeiros socorros, cidadania, entre outras.

Fachada frontal da Cidade da Ordem Pública.

Auditório.

Vistoriando as instalações e obras ainda em andamento.


O vice-prefeito Axel Grael parabenizou os novos Guardas de Niterói, destacando que a segurança pública é um dos temas mais importantes para a população de Niterói.

“Nós temos recebido muitas sugestões para que a gente tenha, cada vez mais, uma política pública integrada da nossa Guarda com as demais corporações, para que a gente avance com essa agenda da segurança. E nós temos feito o nosso papel. Nós estamos aqui hoje diante desta nova sede da Guarda Civil, a casa da Ordem Pública de Niterói, que é uma estrutura logística especial, feita com muito esforço e, principalmente, feita da forma que possa atender às demandas da Guarda, para que ela seja o mais operacional possível. A presença de cada um de vocês nas ruas é a presença do município, da prefeitura, perante o cidadão de Niterói. O uniforme de vocês é uma das marcas de Niterói”, disse o vice-prefeito.

O Secretário municipal de Ordem Pública, Gilson Chagas, dirigiu-se aos formandos, destacando a responsabilidade do trabalho como Guarda Civil.

“A instituição que os senhores e senhoras integram hoje passou por uma profunda transformação nos últimos três anos e meio. A nossa Guarda deixou de ser uma Guarda patrimonial para ser uma guarda-cidadã, uma Guarda presente nas ruas, que patrulha, que salva, que resgata animais, que preza pelo ordenamento urbano, que ama sua profissão. Ela  dobrou seu efetivo, se especializou, passou a ser uma força de segurança pública de altíssimo nível. A cada dia nós avançamos, pois o Poder Executivo é preocupado com a segurança de Niterói”, comentou o secretário.

A solenidade contou com a participação da Banda do Exército da Fortaleza de Santa Cruz, que executou o Hino nacional brasileiro e o da Guarda Civil Municipal. Durante a cerimônia, os formandos receberam certificado de conclusão de curso de seus respectivos padrinhos e madrinhas.

Estiveram na Cidade da Ordem Pública para acompanhar a formatura o coronel Danilo Nascimento, comandante do 4º Policiamento de Área (CPA), o coronel Salema, comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar, o coronel Wilton Ribeiro, coordenador do Grupo Executivo Para o Crescimento Ordenado e Preservação de Áreas Verdes (GECOPAV), o delegado Sérgio Caldas, responsável pelo 4º Departamento de Polícia de Área (DPA), Carlos Raposo, procurador-geral do Município, Giovanna Victer, secretária de Planejamento, e José Mauro Haddad, presidente da Neltur, entre outros.

Fonte: Prefeitura de Niterói






quarta-feira, 28 de setembro de 2016

NITERÓI CIDADE INTELIGENTE - Sistema de sinais inteligentes já em funcionamento em Niterói




Fotos Axel Grael




Equipamentos já estão instalados no Centro e no Largo da Batalha

28/09/2016 - O sistema de sinais inteligentes em Niterói já começou a funcionar no Largo da Batalha e no cruzamento da Avenida Jansen de Melo com a Rua Marechal Deodoro, no Centro. Nesta quarta-feira (28/9), na presença do vice-prefeito Axel Grael, foi feita uma demonstração de como funciona esse sistema no local onde foi implantado o CCO (Centro de Controle Operacional de Mobilidade), na sede do Cisp (Centro Integrado de Segurança Pública), na Região Oceânica.

No teste, foram observadas situações em que havia necessidade de se aumentar ou diminuir o tempo do sinal verde ou do vermelho.

Até o exato momento, já foram instalados quatro dos 190 controladores de tráfego, sendo um no cruzamento na Jansen de Melo e outros três no Largo da Batalha. Em relação às câmeras de loop virtual, que transferem informações para o controlador tomar as decisões de diminuir ou aumentar o tempo dos sinais, também serão 190 e já há três instaladas no Centro e dez no Largo da Batalha.

Essas câmeras, além de ter a capacidade de observar a presença ou a ausência de veículos em um determinado cruzamento, podem também fazer a contagem de veículos, a classificação deles, medir a velocidade média, entre outras coisas.

Os controladores de tráfego serão instalados em dez áreas de maior movimento na cidade: Icaraí, Fonseca, Centro, Santa Rosa, São Francisco/Charitas, Largo da Batalha, Orla (Icaraí, Ingá e Centro), Barreto, Engenho do Mato e Região Oceânica.

O próximo passo do CCO será a implantação de painéis informativos fixos. Ao todo, serão dez espalhados pela cidade. Haverá também quatro painéis móveis, sendo que dois já estão de posse da Prefeitura.

O vice-prefeito Axel Grael destacou a importância do sistema para a cidade.

"Esse sistema foi adquirido com recursos do BID. Estamos com o ritmo de implantação andando, foi feito o primeiro teste, as primeiras unidades já estão na rua. Vimos que a tecnologia é apropriada. Niterói está caminhando para se posicionar como uma referência em cidade inteligente, agregando a tecnologia para melhorar o cotidiano. O trânsito, junto com a segurança e a saúde, está entre as principais preocupações dos moradores de Niterói. E estamos tratando deste tema com prioridade, por isso a aposta neste sistema. Essa tecnologia vai permitir maior fluidez do trânsito, evitar engarrafamentos e reduzir a velocidade, trazendo mais segurança às ruas. Facilitará também a integração dos modais. O programa dentro de uma visão mais genérica de soluções de mobilidade, com certeza, coloca Niterói como referência no contexto da Região Metropolitana e vai influenciar outras cidades a fazer a mesma coisa", salientou.

Leonardo Mattos, gerente de projetos da ENGIE, empresa responsável pelo desenvolvimento, implantação e operação do sistema, falou sobre como funcionarão os equipamentos.

"Teremos câmeras capazes de entender o trânsito e informar ao controlador para ele tomar decisões e diminuir ou aumentar o tempo de verde, vermelho, de acordo com que as câmeras estão observando em tempo real. Hoje, fizemos uma demonstração dos quatro controladores que foram instalados. Mostramos como eles trabalham, como buscam as informações e evidenciam as adaptações do tráfego em tempo real", declarou.

O CCO da Mobilidade tem investimento de R$ 19,1 milhões, por meio de convênio com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), dentro do Programa de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social de Niterói.

Fonte: Prefeitura de Niterói






PROTEÇÃO ANIMAL: Centro de Castração de Animais perto de iniciar atendimentos




O Centro será capaz de realizar cerca de 400 castrações por mês. Foto: Evelen Gouvêa


Espaço que vai funcionar no Horto do Fonseca deve ser inaugurado em outubro

O novo Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos, que vai funcionar no Horto do Fonseca, Zona Norte da cidade, está quase pronto. Quem passa pelo local já vê a instalação com ares de que deve começar suas operações em breve. Com previsão de inauguração para outubro, a instalação deve realizar em torno de 400 castrações por mês. Além desse serviço, o local vai contar com consultório para pequenos atendimentos e oferecerá curso de banho e tosa destinado a jovens carentes.

Segundo a Prefeitura, o CCP terá, ainda, dois centros cirúrgicos, equipados com “o que há de mais moderno para cirurgia de castração de animais”. O local também terá uma sala para preparação cirúrgica e outra pós-operatória. Todos os serviços serão gratuitos.


Foto de Leonardo Simplício.


Para Marcelo Pereira, diretor de Proteção Animal da Secretaria de Meio Ambiente, o Centro será um local de eficiente atendimento ao animal doméstico.

“Com o CCP, o número de animais castrados irá aumentar, gerando menos abandono, além de oferecer mais proteção para animais que precisam dos serviços. O centro será um complexo de 1,2 mil metros quadrados, e representará um novo conceito de projeto para atender à proteção animal de perto. Além da preocupação social, já que vai capacitar jovens da cidade com o curso de banho e tosa”, explicou.

O Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos é um projeto da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade (SMARHS).

Fonte: O Fluminense



-----------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

Horto do Fonseca terá centro da Prefeitura para a castração gratuita para animais
CENTRO DE CONTROLE E PROTEÇÃO ANIMAL DE NITERÓI ESTÁ QUASE PRONTO
Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos entra em reta final de construção
Crianças da escola Anísio Teixeira recebem primeiros exemplares da Cartilha de Proteção Animal de Niterói
"ADOTAR É O BICHO": Mais segurança para o dono e o animal
FAUNA EM NITERÓI: Guarda Ambiental de Niterói resgata jacaré-do-papo-amarelo no Engenho do Mato
CÃO RESGATADO HOJE NO CANAL DA ALAMEDA SÃO BOAVENTURA
PROTEÇÃO AOS ANIMAIS DOMÉSTICOS - Cartilha da Prefeitura de Niterói orienta sobre a Lei Municipal dos Animais
CANICROSS NO PARNIT - Atletas e seus cães disputam prova em Niterói
HORTO DO FONSECA - Dia de festa para reinauguração do Horto Botânico do Fonseca
LEI MUNICIPAL DE PROTEÇÃO ANIMAL: Homem detido por abandonar filhotes no Horto do Fonseca
Nova LEI MUNICIPAL DE PROTEÇÃO E BEM ESTAR ANIMAL - Regras mais rígidas para proteger animais em Niterói
Niterói publica a LEI MUNICIPAL DE PROTEÇÃO E BEM ESTAR DE ANIMAIS DOMÉSTICOS (Lei Nº 3153 de 21 de julho de 2015)

Outras postagens

BIODIVERSIDADE - Brasil tem mais de 116 mil espécies da fauna
SEGURANÇA - CISP: Serviço 153 da Guarda Municipal já passa das 1100 chamadas





SEGURANÇA EM NITERÓI: São Francisco e Vital Brazil ganham cabines compartilhadas


 
Base de São Francisco.

Praça Vital Brazil também passa a contar com cabine compartilhada. Foto: Luciana Carneiro / Ascom Niterói


Novas unidades totalizam seis instaladas na cidade

Entraram em funcionamento nesta terça-feira (27) as cabines compartilhadas da Polícia Militar e Guarda Municipal nos bairros de São Francisco e Vital Brazil, em Niterói. Em São Francisco a unidade funcionará 24 horas para atendimento de ocorrências e servirá como ponto de apoio aos PMs que atuam no bairro. Já na Praça Vital Brazil a cabine funcionará nos moldes da unidade existente no Campo de São Bento de 7h às 19h.

Com as duas cabines, Niterói passa a contar com seis bases em funcionamento - as outras ficam em Icaraí, Largo do Marrão, Piratininga, Alameda São Boaventura. A próxima unidade compartilhada ficará no Fonseca, próximo à Rua São Januário.

O secretário de Ordem Pública, Gilson Chagas, falou sobre a importância das novas bases e do aumento do efetivo da guarda: “Cada vez mais, a Guarda aumenta seu papel como força de segurança do município. A Guarda na rua representa segurança para a população de Niterói. Nada disso seria possível sem o reforço no efetivo da Guarda por conta do concurso público realizado em 2014 pela Prefeitura, o maior da cidade na área. Com isso, dobrou-se o efetivo da guarda, permitindo sua maior presença nas ruas e dando apoio à população”.

Morador de São Francisco há 35 anos, o aposentado José Josafhat destacou que quanto mais apoio e integração, melhor.

“Quanto mais tivermos de integração entre essas forças, melhor para a população. A cidade precisa desse olhar ", disse o morador.

Fonte: O Fluminense







TRANSOCEÂNICA - Teste com ônibus no túnel Charitas-Cafubá


A travessia ocorreu na galeria Luís Antônio Pimentel (sentido Charitas) e, durante o percurso de 1,3 km, técnicos trabalhavam para finalizar a obra de mobilidade, que será entregue ainda esse ano. Foto: Lucas Benevides


Giovanni Mourão

Dimensões de galerias foram consideradas bastante adequadas para o sistema BHS

Foi realizada nesta terça-feira (27) às 15h, a primeira travessia de ônibus no túnel Charitas-Cafubá. A passagem ocorreu na pista do BHS (Bus with High Level of Service) da galeria Luís Antônio Pimentel (sentido Charitas) e não apresentou problemas. Durante o percurso de 1,3km, técnicos trabalhavam nos retoques finais da obra de mobilidade mais esperada da história de Niterói. De acordo com o cronograma, a previsão é que o novo túnel da cidade fique pronto ainda este ano, no dia 22 de novembro.

O vice-prefeito Axel Grael falou sobre a iniciativa que pretende reduzir o tempo de percurso da Região Oceânica para a zona sul da cidade. Foto: Lucas Benevides

 
“Esse túnel é uma solução de mobilidade sincronizada com uma nova concepção de cidade, com ênfase no transporte coletivo. Com a Transoceânica, temos como meta reduzir em pelo menos 20% o número de deslocamentos por automóveis. Uma forma de dar conforto e velocidade ao sistema é reduzir ao máximo as conexões”, explicou o vice-prefeito Axel Grael, durante a visitação.

A implantação do túnel Charitas-Cafubá é aguardada pela população niteroiense desde a década de 40. A novidade contará com um sistema de ventilação e de monitoramento por câmeras, além de iluminação especial.

As duas galerias do túnel também contarão com ciclovias, que diminuirão o tempo entre a Zona Sul e a Região Oceânica, para os adeptos da bicicleta. O espaço será cercado por uma proteção feita com metal e vidro e possuirá ventilação própria.

O vice-prefeito também destacou a mudança ecológica que a nova obra traz.

“A concepção é a sustentável. Ao tirarmos carros da rua, reduzimos a emissão de gases do efeito estufa, além de amenizar os engarrafamentos. Temos uma rede de monitoramento de qualidade do ar que está sendo colocada ao longo de toda TransOceânica, um embrião que atenderá futuramente à cidade toda. Também estamos replantando mais de mil árvores na área de influência da TransOceânica”, concluiu Axel.

As duas galerias do túnel, Luís Antônio Pimentel e João Sampaio, terão duas faixas para veículos, uma para o BHS e uma ciclovia. A obra faz parte da TransOceânica, que possuirá mais de 9km de extensão, atendendo a 11 bairros da Região Oceânica e transportando cerca de 80 mil pessoas por dia.

A previsão é que os ônibus façam em 25 minutos o trajeto do Engenho do Mato até Charitas, passando por 13 estações e se integrando à estação de barcas de Charitas. Atualmente, o percurso é feito em mais de uma hora.

Fonte: O Fluminense