domingo, 24 de abril de 2016

NITERÓI COMBATE O LIXO NOS RIOS



De janeiro a março deste ano, já foram retirados 2 mil metros cúbicos de lixo dos rios e canais da cidade. Na foto, Rio Jacaré sendo limpo por equipe da SECONSER. Foto: Divulgação


Camilla Galeano

Contra ‘sujões’, prefeitura ameaça multar em mais de R$ 1,3 mil quem fizer descarte irregular ou não respeitar dias e horários de coleta

O despejo irregular de lixo nas ruas tem afetado cada vez mais as galerias de águas pluviais, canais e rios de Niterói. Segundo a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (Seconser), só no período de janeiro a março deste ano foram recolhidos desses locais mais de 2 mil m³ de lixo e lama (o equivalente a 2 milhões de litros) contra 1,4 mil m³ retirados no mesmo período em 2015 e quase a metade do volume apanhado o ano inteiro em 2014, que foi de 4,1 mil m³. Para tentar conter os “sujões”, a Companhia de Limpeza Urbana de Niterói (Clin) informa que quem for pego fazendo descarte irregular de lixo ou não respeitar os horários de coleta pode ser autuado no valor total de R$ 1.369,34. A aplicação da multa é garantida pelo Código de Defesa Urbana.

“Já recolhemos motor de carro, colchões, poltronas, geladeiras, pneus, mesas de bar, além de objetos pequenos e sacolas plásticas. São coisas que atrapalham bastante o escoamento das águas das chuvas, podendo causar inundações. Geralmente esses objetos são deixados nas ruas de forma irregular e com as chuvas acabam indo parar nas galerias pluviais, no rios, obstruindo a passagem da água”, alerta a secretária da Seconser, Dayse Monassa.

De acordo com Monassa, a situação é ainda pior após as fortes chuvas, quando os trabalhos dos agentes de limpeza precisam ser intensificados. O principal foco da secretaria é o de realizar pequenas, mas constantes intervenções, para que o sistema de drenagem se mantenha desobstruído. “Este ano foram registrados altos índices de volume de chuvas na cidade. Foram feitas limpezas manuais, periódicas e limpeza das caixas-ralo, mas se a população não cooperar e deixar de jogar lixo nas ruas não tem como manter os canais limpos”, argumenta a secretária, informando ainda que o trabalho de prevenção foi intensificado.

Para amenizar o problema de descarte irregular de lixo, a Prefeitura de Niterói faz campanhas informando os riscos: “As pessoas também precisam se conscientizar na hora de jogar lixo na rua ou em qualquer outro local indevido. Elas precisam abraçar a causa junto com a gente. Que seja um papel de bala, o prejuízo lá na frente é enorme”, reforça Dayse Monassa.

Sujeira no mar – A Seconser lembra que o lixo jogado em terra firme acaba parando no mar e trazendo sérias consequências para o meio ambiente. Quando o lixo e o esgoto são despejados diretamente nos rios, eles atingem a fauna marítima. Isso aliado às embarcações, tais como veleiros, cargueiros ou navios turísticos, que despejam seus resíduos nas águas. Nesse cenário, os animais muitas vezes confundem plástico e vidro com seus alimentos naturais e morrem engasgados ou sufocados.

A cidade de Niterói participa há 14 anos do Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias, que é um programa internacional de Educação Ambiental que mobiliza milhares de pessoas em todo o planeta. É coordenado mundialmente pelo Center for Marine Conservation (CMC), com sede em Washington, nos Estados Unidos. Cerca de 100 países, daqueles que assinaram o tratado internacional de Controle da Poluição Marinha, fazem parte desse acordo, incluindo o Brasil.

O principal objetivo do programa é despertar a consciência das pessoas para o problema do lixo despejado em local inadequado, que polui e danifica a qualidade dos recursos hídricos e acaba por colocar em risco a saúde da população.

Fonte: O Fluminense








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.