sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Assembleia Geral da ONU reconhece direito ao saneamento, que ainda não chega a 2,5 bilhões de pessoas




Especialistas independentes das Nações Unidas elogiaram o reconhecimento explícito do direito humano ao saneamento como um direito distinto, juntamente com o direito humano à água potável. Meta da ONU sobre o tema foi uma das mais marginalizadas pelos Estados-membros.

O relator especial das Nações Unidas sobre o direito humano à água e ao saneamento, o brasileiro Léo Heller, e o presidente do Comitê das Nações Unidas sobre os Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, Waleed Sadi, elogiaram o reconhecimento explícito do direito humano ao saneamento como um direito distinto, juntamente com o direito humano à água potável.

Mais de 2,5 bilhões de pessoas ainda não têm acesso a saneamento adequado. Segundo os especialistas a meta sobre saneamento incluída no Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM) número sete não foi alcançada por uma das maiores margens entre todas as 18 metas no âmbito dos ODM. Um bilhão de pessoas pratica defecação a céu aberto, sendo nove em cada dez nas zonas rurais em todo o mundo.

“O direito ao saneamento básico é um componente essencial do direito a um padrão de vida adequado, indissociavelmente ligado ao mais alto nível possível de saúde, e integralmente relacionado com o direito humano à água”, disse Sadi. “O reconhecimento explícito dos direitos humanos ao saneamento e à água reafirma que o saneamento tem características distintas que justificam o seu próprio reconhecimento e tratamento separado da água em alguns aspectos.”

Muitas famílias pelo mundo, alertaram os especialistas, têm de operar todo o sistema de saneamento de modo independente, realizando inclusive a coleta e eliminação, sem qualquer apoio dos governos. “O direito ao saneamento também exige privacidade e dignidade”, destacaram.

“As questões de saneamento e água precisam ser abordadas de forma abrangente em muitos níveis”, disse Heller. “Acredito firmemente que as definições claras do direito humano ao saneamento e ao direito humano à água fornecidas na resolução ajudarão a concentrar a atenção internacional sobre questões de saneamento no contexto da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.”

Na resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas, aprovada por consenso no dia 17 de dezembro, os Estados-membros reconheceram que “o direito humano ao saneamento dá direito a todos, sem discriminação, a ter acesso físico e acessível ao saneamento, em todas as esferas da vida, que seja seguro, higiênico, aceitável social e culturalmente, e que proporcione privacidade e garanta dignidade”.

“Este é um passo significativo tomado por todos os Estados-membros das Nações Unidas para tratar do direito ao saneamento em pé de igualdade com o direito à água”, disse o Heller.

“O Comitê parabeniza o reconhecimento pleno do direito ao saneamento pelos Estados, e destaca a importância de cumprir os princípios relativos à não discriminação, igualdade de gênero, participação e prestação de contas, neste tema”, acrescentou Sadi.

“Instamos todos os Estados-membros, tanto no seu orçamento nacional quanto na cooperação internacional para o desenvolvimento, a promover a alocação de recursos para saneamento em particular para os grupos e indivíduos mais marginalizados e desfavorecidos, como as pessoas que vivem em assentamentos informais urbanos e nas zonas rurais”, concluíram os especialistas.

Saiba mais sobre a resolução da Assembleia Geral da ONU a este respeito clicando aqui.

Fonte: ONU no Brasil


-------------------------------------------------------------



Mais de 2 bilhões de pessoas não têm saneamento básico, afirma novo relatório da ONU

 
Falta de saneamento básico é um dos fatores para a propagação de doenças, como o cólera, no Haiti. Foto: PNUMA


Documento lançado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que uma em cada três pessoas, ou 2,4 bilhões de cidadãos do planeta, não possuem saneamento básico.

O Fundo da ONU para a Infância (UNICEF) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertaram nesta terça-feira (30) que a falta de progresso no saneamento ameaça enfraquecer a sobrevivência infantil e benefícios para a saúde conquistados por meio de um melhor acesso à água potável.

Responsáveis por acompanhar os avanços dessa meta estabelecida pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), ambas as agências publicaram o Relatório do Programa de Monitoramento Conjunto que revela que uma em cada três pessoas – ou 2,4 bilhões de cidadãos no planeta – carecem de saneamento básico, incluindo 946 milhões de pessoas que defecam ao ar livre.

“Até que todos tenham acesso a saneamento básico adequado, a qualidade do abastecimento de água vai ser prejudicada e muitas pessoas continuarão morrendo de doenças transmitidas pela água e relacionados com a água”, declarou a diretora do departamento de saúde pública da OMS, Maria Neira. “O acesso à água adequada, saneamento e higiene é fundamental para a prevenção e cuidados de 16 das 17 “doenças tropicais negligenciadas”.

Fonte: ONU no Brasil



--------------------------------------------------------------

LEIA TAMBÉM:

Assembleia Geral da ONU reconhece saneamento como direito humano distinto do direito à água potável

NITERÓI AVANÇA PARA A UNIVERSALIZAÇÃO DO SANEAMENTO

Estação de Tratamento de Esgoto de Maria Paula é inaugurada e beneficiará cerca de 40 mil pessoas
NITERÓI RUMO À UNIVERSALIZAÇÃO DO SANEAMENTO - Estação de Tratamento de Esgoto de Maria Paula será inaugurada dia 8
INFRAESTRUTURA AVANÇA EM NITERÓI - Prefeitura realiza simultaneamente 18 obras por diversos bairros de Niterói
NITEROI AVANÇA PARA UNIVERSALIZAÇÃO DO SANEAMENTO: Visita às obras da ETE Maria Paula
NITERÓI AVANÇA PARA SEXTO LUGAR NO RANKING NACIONAL DO SANEAMENTO
NITERÓI NO JORNAL NACIONAL: bons resultados na prevenção ao desperdício de água
CRISE DA ÁGUA - RJTV dá destaque à experiência de Niterói com políticas para a economia de água
Nascentes de Niterói estão sendo mapeadas
Ilha da Conceição ganha sistema de coleta de esgoto sanitário
PROGRAMA REGIÃO OCEÂNICA SUSTENTÁVEL (PRO-SUSTENTÁVEL): Aprovada a liberação de R$ 250 milhões para Niterói
Pelo menos 450 imóveis de Niterói não estão ligados ao sistema coletor de esgoto
SANEAMENTO EM NITERÓI CONTINUA AVANÇANDO: Começam obras de implantação da ETE Maria Paula
Matéria de O Globo dá destaque ao saneamento em Niterói
AVANÇA O SANEAMENTO EM NITERÓI: Ilha da Conceição terá 100% de água e esgoto tratados
Niterói terá 100% de esgoto tratado até 2018 - Plano de Saneamento Ambiental investirá R$ 120 milhões
Município vai receber investimentos de R$ 120 milhões em saneamento básico até 2017
Niterói é a cidade que mais protege a Baía de Guanabara
Aterro de Seropédica passa a descontaminar o material poluente
Reunião entre Prefeitura e Inea sela fim de despejo de chorume em estação de tratamento de Niterói

CAMPANHA "SE LIGA"

PROGRAMA "SE LIGA" JÁ EVITA QUE 236 MIL LITROS DE ESGOTO POR DIA CHEGUEM ÀS LAGOAS DA REGIÃO OCEÂNICACAMPANHA "SE LIGA": Inea e Prefeitura de Niterói encontram ligações irregulares na Zona Sul
ENSEADA LIMPA - Como parte do programa "Se Liga", Inea e Prefeitura fazem vistoria em casas em São Francisco
ENSEADA LIMPA - Prefeitura de Niterói e INEA farão mais uma campanha de fiscalização em São Francisco contra imóveis não conectados na rede de esgoto

PROGRAMA ENSEADA LIMPA

ENSEADA LIMPA E A BALNEABILIDADE: Praia na Baía de Guanabara supera oceânicas e fica balneável durante quase todo o ano
ENSEADA LIMPA - Como parte do programa "Se Liga", Inea e Prefeitura fazem vistoria em casas em São Francisco
ENSEADA LIMPA - Prefeitura de Niterói e INEA farão mais uma campanha de fiscalização em São Francisco contra imóveis não conectados na rede de esgoto
ENSEADA LIMPA: Golfinhos fazem espetáculo no mar de Charitas. Melhorias na balneabilidade da enseada poderiam estar ajudando a atrair estes visitantes?
Capivaras na Baía de Guanabara, em Niterói
NITERÓI AVANÇA PARA SEXTO LUGAR NO RANKING NACIONAL DO SANEAMENTO
PRIMEIROS TESTES DA ECOBARREIRA DO CANAL DE SÃO FRANCISCO, NITERÓI
Ações do programa Enseada Limpa são apresentadas a comunidades de Jurujuba, Preventório, Charitas e São Francisco
ENSEADA LIMPA: Conheça detalhes do Plano de Ação 2014 para a despoluição da Enseada de Jurujuba
Programa Enseada Limpa entra em nova etapa
Niterói lança programa para despoluir Enseada de Jurujuba
ENSEADA LIMPA - resultados de balneabilidade de Charitas são animadores
ENSEADA LIMPA: mutirão de limpeza na Grota do Surucucu é mais uma ação pela despoluição da enseada de Jurujuba
ENSEADA DE JURUJUBA LIMPA - despoluição começa a sair do papel

PRO-SUSTENTÁVEL

Evento em Piratininga discute gestão ambiental compartilhada das lagoas da Região Oceânica
PRO-SUSTENTÁVEL: Prefeitura de Niterói conclui o processo de negociação do contrato para projeto de infraestrutura e meio ambiente
PRO-SUSTENTÁVEL - Piratininga terá ações contra poluição
PRO-SUSTENTÁVEL MAIS PERTO: Prefeito de Niterói tem reunião com os secretários da Receita Federal e Tesouro Nacional em Brasília
Financiamento de US$ 100 milhões para o Programa Região Oceânica Sustentável é aprovado pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN)

OUTRAS POSTAGENS SOBRE SANEAMENTO

PROGRAMA "COMO SERÁ?", DA GLOBO: "Por uma cidade + inteligente: conheça soluções para a falta de água"
"RECURSOS HÍDRICOS NO BRASIL. BUSCANDO UMA LUZ NO FIM DO TUBO", texto de minha autoria publicado na revista Pensar Verde
Projeto Grael divulga relatório para contribuir para a solução do lixo flutuante na Baía de Guanabara
MUDANÇAS CLIMÁTICAS - Aviação assume compromissos mais ambiciosos perante as mudanças climáticas
Artigo de Axel Grael: "A convicção de que mudar é preciso".
SANEAMENTO - POLUIÇÃO CONDENA A MORTE 70 DOS 77 RIOS E CANAIS DO RIO
TECNOLOGIA INOVADORA DE COMBATE BIOLÓGICO AO MOSQUITO DA DENGUE ESTÁ SENDO TESTADO PELA FIOCRUZ EM NITERÓI COM BONS RESULTADOS

NITERÓI REPERCUTE

CRISE DA ÁGUA - RJTV dá destaque à experiência de Niterói com políticas para a economia de água
Jornal Nacional apresenta a experiência de Niterói na reutilização da água como um exemplo para o país
NITERÓI AVANÇA PARA SEXTO LUGAR NO RANKING NACIONAL DO SANEAMENTO
Matéria de O Globo dá destaque ao saneamento em Niterói
NITERÓI NO JORNAL NACIONAL: bons resultados na prevenção ao desperdício de água







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.