segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

NITERÓI CONTRA A DENGUE - Batalha contra o mosquito ganha uma nova aliada em Niterói: a bactéria WOLBACHIA


Expectativa da Fiocruz é de que, até 2018, 75% de Niterói, onde foi intensificada a ação contra o Aedes aegypti, esteja coberta pelo projeto com a bactéria Wolbachia
Fotos: André Redlich


Niterói quer ampliar uso da técnica da Fiocruz contra o Aedes Aegypti, a fim de cobrir 75% de seu território até 2018

Até 2018, 75% do território de Niterói poderá estar coberto pela técnica da Fiocruz, testada em Jurujuba, que utiliza mosquitos infectados com a bactéria Wolbachia como arma contra a proliferação do Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. A fundação e a Prefeitura de Niterói apresentarão a proposta ao Ministério da Saúde.

O presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, afirma que aguarda resposta positiva do Governo Federal. “Nós acertamos essa parceria com Niterói no sentido de buscar ampliar nossa experiência em Jurujuba, que já deu certo. Levaremos a proposta ao ministro da saúde e, uma vez emitido o aval para o financiamento, nossa ideia é que em 2016 tenhamos 10% da cidade de Niterói coberta pelas colônias do mosquito, com essa bactéria Wolbachia. A técnica torna o mosquito incompetente para transmissão da dengue, zika e chikungunya. Em 2017 o percentual cresce para 50% da cidade e, no terceiro ano, 75% do território do município”, explica Paulo Gadelha.

O presidente da Fiocruz ressalta que a técnica, testada em Jurujuba, se mostrou “extremamente bem-sucedida” a nível internacional. “Nós teremos o Brasil acompanhando esse momento. Temos a possibilidade de controle em Niterói, que tem em torno de 400 mil habitantes. Niterói estará na ponta de uma experiência internacional que depois será estendida para outras regiões do Brasil”, disse Paulo Gadelha.

Campanha – Na última quarta-feira, a Prefeitura de Niterói lançou a campanha “Não Crie Mosquito em Casa”, um pacote de ações de combate ao mosquito Aedes aegypti. Além da experiência com a bactéria Wolbachia, as ações incluem o aplicativo “Sem Dengue”. Por meio da ferramenta, já disponível para usuários do sistema Android, a população pode tirar fotos de possíveis criadouros do mosquito. A vantagem é que as imagens terão o endereço do local e poderão ajudar o trabalho dos agentes de controle de endemias.

O Sem Dengue é georreferenciado e funciona como os aplicativos de táxi: ao tirar a foto, o endereço será automaticamente identificado, ou a pessoa poderá digitar manualmente o endereço do local. As informações serão transmitidas pela internet para uma equipe da prefeitura, que ficará responsável pelo acionamento dos agentes para eliminar o criadouro. A partir do dia 23 o aplicativo estará disponível para usuários do sistema iOS.

De acordo com a prefeitura de Niterói, o sistema garante agilidade e confiabilidade às informações coletadas, além de reduzir custos com a eliminação da papelada e permitir melhor aplicação dos recursos disponíveis.

Além disso, armadilhas serão espalhadas pelo município para que os insetos coletados sejam analisados em laboratório. Com isso será possível saber quais tipos de vírus estão circulando na região antes das pessoas serem contaminadas. O município é o segundo do Estado do Rio a implantar a tecnologia e o primeiro a usar os novos recursos.

A campanha terá, ainda, a distribuição de panfletos, cartazes, divulgação nas mídias sociais e uma página especial no Portal da Prefeitura (www.niteroi.rj.gov.br/contradengue). Além do foco na eliminação dos criadouros, a iniciativa informará a população sobre os sintomas das doenças. Em Niterói, as pessoas já podem denunciar possíveis focos de Aedes pelo Disque-Dengue (2621-0100).

Casos – De janeiro a 4 de dezembro do ano passado, foram notificados 488 casos de dengue e dois de zika em Niterói. O município não registrou casos de chikungunya. Dados do Ministério da Saúde divulgados em novembro mostraram que 1,1% dos domicílios da cidade tinha focos do mosquito. O risco de epidemia é alto quando o índice é maior que 4%.

As localidades de Viradouro e Cachoeira, além do bairro Vital Brazil apresentaram a maior concentração de criadouros do mosquito e, segundo a Prefeitura de Niterói, já receberam mutirões especiais dos agentes de controle de endemias. Os próximos mutirões serão realizados nos dias 23 (Engenho do Mato) e 30 (Comunidade do Abacaxi/ Jonatas Botelho).

Rio das Ostras – O município de Rio das Ostras, norte fluminense, também vai usar a ferramenta inovadora no controle do mosquito. As equipes da vigilância em saúde da cidade iniciaram nesta semana o treinamento para trabalhar com o novo sistema, que permite identificar, em tempo real, as áreas com maior incidência do Aedes aegypti, além de acompanhar e mapear o trabalho dos guardas sanitários por meio de GPS (sigla para sistema de posicionamento global).

Com os programas Dengue Report e Monitoramento Inteligente da Dengue, a partir de um smartphone, as informações são transmitidas, armazenadas e ficam disponíveis na internet, de forma simples e imediata, para consulta de toda a comunidade. Os guardas sanitários passarão a usar o aparelho móvel, que vai identificar cada imóvel a partir da leitura de uma etiqueta (QR-code) colada dentro da residência ou comércio. Os dados das vistorias serão inseridos no aparelho.

Fonte: O Fluminense



------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

WOLBACHIA

NITERÓI CONTRA A DENGUE: Nova batalha contra o mosquito 
TECNOLOGIA INOVADORA DE COMBATE BIOLÓGICO AO MOSQUITO DA DENGUE ESTÁ SENDO TESTADO PELA FIOCRUZ EM NITERÓI COM BONS RESULTADOS
Fiocruz testa no Rio mosquito mutante que pode combater a dengue 

Campanha NITERÓI CONTRA A DENGUE

NITERÓI CONTRA A DENGUE: Prefeitura lança campanha informativa contra a Dengue, Zika e Chikungunya
NITERÓI CONTRA A DENGUE: Prefeitura lança pacote de ações contra o Aedes aegypti
Niterói lança aplicativo para que cidadãos denunciem focos de dengue
NITERÓI CONTRA A DENGUE: Nova batalha contra o mosquito
TECNOLOGIA INOVADORA DE COMBATE BIOLÓGICO AO MOSQUITO DA DENGUE ESTÁ SENDO TESTADO PELA FIOCRUZ EM NITERÓI COM BONS RESULTADOS
NITERÓI CONTRA A DENGUE 2015: Prefeitura lança campanha de combate à dengue 
Agentes da Defesa Civil são treinados para combater o mosquito Aedes aegypti nas comunidades
Fiocruz testa no Rio mosquito mutante que pode combater a dengue 
CAMPANHA NITERÓI CONTRA A DENGUE - Grota do Surucucu recebe mutirão contra dengue
Viradouro recebe primeira ação da Campanha Niterói Contra Dengue
NITERÓI CONTRA A DENGUE 2015: Prefeitura lança campanha de combate à dengue
NITERÓI É DESTAQUE EM SANEAMENTO
MUDANÇAS CLIMÁTICAS - Caos no clima trará mais doenças a metrópoles latinas







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.