sábado, 5 de março de 2016

SEGURANÇA - Ato ecumênico no Fonseca pede a paz no bairro


Representantes de diversas religiões unidos pela paz no Fonseca. Foto Bruno Eduardo Alves.

Efetivo da Patrulha Ambiental da Guarda Municipal de Niterói ofereceram opções de mini-slackline e tirolesa para a criançada. Foto Bruno Eduardo Alves.

Opções de lazer e criatividade para a criançada. Foto Bruno Eduardo Alves.


Cerca de mil pessoas se reuniram no Horto do Fonseca em um evento pela luta contra a violência

A manhã deste sábado (05/03) ficará marcada para os moradores de Niterói como o dia em que o Fonseca pediu paz. Um ato ecumênico, realizado pela Prefeitura de Niterói no Horto do Fonseca, se tornou o símbolo da luta contra a violência que vem atingindo o bairro. O evento começou às 9h e teve a participação do prefeito Rodrigo Neves, representantes de várias religiões, líderes comunitários, além de diversos secretários municipais.

Com o tema "Diga Não à Violência, Fonseca Quer Paz", o evento mobilizou moradores e ofereceu lazer e integração a todos que estiveram no Horto. Durante toda a manhã os moradores contaram com serviços oferecidos pelos órgãos da prefeitura.

Várias tendas montadas no local ofereciam orientações sobre hipertensão e diabetes, aferição de pressão arterial, teste de glicemia, distribuição de preservativos, oficina de turbantes, recreação e atividades pedagógicas pra crianças com temas sobre a paz, oficinas de skate, distribuição de mudas de plantas, palestras, entre outros.

O evento também contou com um show da cantora Luciana Marinho e a participação das bandas da Polícia Militar e da Guarda Municipal.

O prefeito Rodrigo Neves abriu o evento pedindo mais apoio da secretaria de segurança pública e pediu que os jovens não se rendam às drogas:

“Hoje é um momento especial, histórico. Reunimos os moradores, os líderes religiosos para que essa mensagem de paz e amor chegue ao coração de cada um. E que a partir de agora a Secretaria Estadual de Segurança pública tenha um olhar mais específico sobre o Fonseca. Não podemos aceitar que a gente tenha aqui ainda um efetivo na área de segurança, abaixo do que precisamos. Reconheço que tivemos um aumento do efetivo, mas isso ainda é insuficiente para Niterói. E ainda, que a gente faça chegar a nossa mensagem aos jovens. As drogas alimentam esse ciclo de morte, das armas, da violência. Nesse momento de encontro, que as pessoas trabalhem de maneira cada vez mais integrada. Esse bairro é tão especial. Essa integração de ações e de esforços irá melhorar e garantir mais oportunidades. Eu acredito nessa corrente do bem. Não vamos perder o Fonseca para a violência", disse o prefeito.

Rodrigo Neves também lembrou que o Horto do Fonseca é um verdadeiro símbolo de revitalização e do renascimento do bairro:

“Esse lugar aqui era quase um lixão a céu aberto, um lugar abandonado e hoje ele é um espaço de encontro das famílias, de convivência. Ele representa o que queremos para o Fonseca, um lugar de paz e de encontro entre os cidadãos. Vamos multiplicar esse evento o quanto for necessário. E esse bairro vai viver um tempo de paz”, finalizou ele.

A Mãe Tânia de Iansã, representante do candomblé, falou sobre suas raízes e pediu ajuda para o Fonseca:

“Viemos aqui hoje para pedir a paz. Eu sou de matrizes africanas e meu ilê é aqui no Fonseca. Eu vivi mais da metade da minha vida no Fonseca e esse é um bairro que amo. Oxalá na minha religião é a paz. Então eu peço a todos nós aqui no Fonseca com a ajuda das autoridades, paz pra gente. Viva o Fonseca”, disse ela.

Adam Mohamed, representante do Islamismo, falou sobre a importância da paz para a sociedade e pediu mais respeito entre as pessoas:

“Nesse momento em prol da paz, nossa luta não deverá parar por aqui. A paz traz tranquilidade e amor. Meus irmãos, esse é um momento. Quando não há paz tudo na vida fica parado. Não existem mecanismos para buscar a felicidade se não houver a paz. Devemos ter o respeito pelo outro. A pessoa nunca será respeitada enquanto não tiver respeito por ela mesma e isso vai motiva-la a ter respeito pelo outro. Implantemos o amor, a harmonia e o respeito”, afirmou.

O Padre Antônio da Igreja de Santo Cristo, representando os católicos, falou sobre o compromisso de todos os moradores em exaltar a paz no ambiente familiar e no bairro:

“Essa paz não virá se não houver um compromisso de todos nós. Somos promotores de paz em nossos lares, em nossa família. Precisamos cumprir nosso dever de casa. Jesus disse algo tão bonito, eu vos deixo a paz e eu vou dou a minha paz. E a paz vai permanecer no nosso bairro, não vamos perder nosso bairro para a violência. O Fonseca é nosso,” disse o padre.

No encerramento, o padre pediu a todos os representantes religiosos para que rezassem a oração do Pai Nosso. E de mãos dadas, todos rezaram e pediram paz ao Fonseca.

A professora Luciana Laureado, de 41 anos, que mora há 18 anos no Fonseca, levou a filha ao evento e disse estar com muita esperança que as coisas mudem:

“Eu sempre venho aqui no Horto com minha família. Tenho esperança que essa violência vai acabar. Acho muito importante esse evento aqui na Zona Norte, mostra que o governo não está preocupado só com a Zona Sul. Esse evento causou uma mobilização em todo o bairro e nos bairros vizinhos também. Mesmo quem não pode vir hoje, está comentando e está nessa luta pela paz também. Hoje na padaria todos falavam como é importante isso para o nosso bairro”, disse Luciana.

 Investimentos na segurança e no bairro do Fonseca

Apesar de a responsabilidade constitucional pela segurança pública ser dos governos estaduais, a Prefeitura vem cooperando e realizando muitos investimentos nesta área. Várias iniciativas de combate ao crime já foram realizadas, como a instalação na cidade de uma Delegacia de Homicídios, que elucidou 95% dos casos de assassinatos em Niterói desde janeiro de 2014.

Várias companhias destacadas da Polícia Militar foram instaladas na cidade, como nas comunidades dos morros do Estado, Palácio, Cavalão, no Horto do Fonseca, em Pendotiba e também no Caramujo.

Além disso, o prefeito vem cobrando intensivamente o reforço no policiamento na cidade. No início de fevereiro, ele esteve na Secretaria de Segurança e no Quartel-General da Polícia Militar para pedir aumento do efetivo em Niterói. Quando ele assumiu a Prefeitura, em 2013, o efetivo do 12º BPM era de 600 homens, hoje, graças à cobrança da municipalidade, são 1.050, número que, mesmo assim, tem sido insuficiente.

A Prefeitura realizou concurso público que dobrou o efetivo da Guarda Municipal, que, hoje, tem cerca de 600 agentes. E reabriu cabines da PM que estavam vazias e as compartilhou com a Guarda Municipal.

Ainda por intermédio da administração municipal, foi inaugurado o Cisp (Centro Integrado de Segurança Pública), atualmente com 200 câmeras que monitoram a cidade e têm colaborado na prisão de suspeitos e apreensão de carros roubados. Está previsto para o mês de março a implantação de um sistema inteligente de câmeras na Ponte Rio-Niterói que vai possibilitar a leitura em tempo real de todas as placas de carros que entram na cidade.

O bairro do Fonseca também recebeu diversas melhorias, com destaque para a revitalização do Horto, que ganhou novas áreas de lazer e cultural, um ParCão, e um skatepark que é o maior da cidade. Vias importantes do bairro foram recapeadas como a Soares de Miranda e a Desembargador Lima Castro.

Duas UMEIs (Unidades Municipais de Educação Infantil) foram inauguradas na Vila Ipiranga e na Magnólia Brasil. A Prefeitura reabriu a emergência pediátrica do Getulinho e está construindo ali um moderno hospital, que será referência no Estado e no país. A unidade já realizou mais de 200 mil atendimentos nestes três anos.

Fonte: Prefeitura de Niterói / ASCOM




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.