segunda-feira, 26 de setembro de 2016

ARBORIZAÇÃO PÚBLICA: Iniciativa para acabar com poda danosa em Niterói



COMENTÁRIO DE AXEL GRAEL:

A arborização pública é um dos mais importantes patrimônios de uma cidade e a sua presença garante beleza e harmonia ao ambiente urbano, conforto ambiental (principalmente em cidades de clima quente), proteção contra a radiação solar (sombra), umidade no ar e abriga a fauna urbana. As árvores urbanas também amenizam a poluição sonora e retêm particulados (poeiras) que podem ser lesivas à saúde.

No planejamento de uma cidade sustentável, a arborização cumpre um papel também cada vez mais significativo, dentre outras coisas, para compor corredores ecológicos e controlar "ilhas de calor". Veja os motivos:
  • CORREDORES ECOLÓGICOS: viabilizam biologicamente fragmentos de florestas urbanas (praças, parques, quintais etc.), permitindo a migração de indivíduos da fauna e mantendo a variabilidade genética. 
  • ILHAS DE CALOR: são causadas pela reflexão do calor na superfície, principalmente na pavimentação e edificações, agravados pela falta da arborização. Quanto mais quente o microclima urbano, maior o desconforto, os impactos à saúde humana e maiores são os gastos com refrigeração, aumentando o consumo de energia e de emissões atmosféricas, principalmente no caso da refrigeração veicular, que aumenta o consumo de combustível e, por consequência, as emissões de gases.
Desde o início da atual gestão do prefeito Rodrigo Neves (2013-2016), a Prefeitura de Niterói vem obtendo avanços importantes na gestão e melhoria da arborização urbana de Niterói. Foram implantados programas, tais como:
  • ARBORIBUS - que implanta um banco de dados georreferenciado de toda a arborização da cidade
  • VERDES NOTÁVEIS - que cadastra árvores notáveis da cidade, seja pela importância da espécie (em extinção ou raras), por suas características físicas (porte, etc.) ou pela importância histórica ou cultural.
  • SERVIÇOS DE PODA: foram estruturadas e capacitadas equipes próprias e contratados serviços especializados para conduzir serviços de rotina de poda, supressão e limpeza de erva-de-passarinho e outras pragas.
  • AMPLIAÇÃO, REFORMA E REPOSIÇÃO DO ARBORETO: ao longo da gestão, foram mantidos serviços permanentes de plantios de
  • PLANO MUNICIPAL DE ARBORIZAÇÃO: obtivemos avanços na regulamentação e padronização da gestão da arborização e o prefeito Rodrigo Neves comprometeu-se na Carta Verde de Niterói a desenvolver o Plano Municipal de Arborização até o fim de 2017.

A arborização urbana de Niterói tem vários problemas, causados por uma opção por espécies inadequadas no passado, pelo conflito com a fiação aérea, pelo efeito de podas predatórias, pelo processo de verticalização urbana, por problemas fitossanitários, como doenças (podridão etc.), pragas (cupim etc.) e parasitas (erva-de-passarinho, por exemplo).

Como acontece com várias outras cidades, a Prefeitura de Niterói enfrenta há anos, um difícil relacionamento com a Ampla e outros usuários do espaço aéreo das ruas, devido às práticas indevidas de intervenção no arboreto causadas por equipes da concessionárias. Na atual administração municipal, várias multas chegaram a ser aplicadas à Ampla. A responsabilidade da Ampla sobre a arborização origina-se da necessidade de garantir a integridade do sistema de distribuição de energia e, para tanto, a concessionária vale-se também de obrigações legais e contratuais para evitar que as árvores interfiram com os fios. O problema é compreensível e o trabalho precisa ser feito. O problema é a prática. É possível que a empresa cumpra o seu papel sem que deforme e deteriore o plantel da arborização da cidade, como vinha acontecendo.

Surpreende o fato que a manutenção da rotina de poda, acrescido às multas contratuais que a concessionária está sujeita em caso de queda de energia, constituem-se despesas significativas para a empresa, além de danos à imagem. Era de se esperar que a empresa demonstrasse mais interesse na busca da principal solução para o conflito arborização x fiação, que é o enterramento da rede. Não é o que se verifica.

O conflito entre a Prefeitura e a Ampla acabou envolvendo o Ministério Público e, agora, conforme registrado na matéria abaixo, foi assinado um Termo de Ajuste de Conduta para que a atividade da empresa se enquadre na legislação ambiental e na necessidade de proteção do arboreto urbano.

Por uma Niterói cada vez mais sustentável, sigamos em frente!

Axel Grael
Engenheiro florestal
Vice-Prefeito
Niterói




----------------------------------------------------------


MP faz acordo para acabar com poda danosa em Niterói


Árvore vizinha à Praça Leoni Ramos, no bairro Gragoatá, mistura-se à fiação: acordo negociado pelo Ministério Público regulamenta as podas na cidade - Luiz Ackermann / Agência O Globo


Igor Mello

Termo de Ajustamento de Conduta define obrigações para a Ampla e para a prefeitura

NITERÓI - A Promotoria de Tutela Coletiva e Defesa do Meio Ambiente de Niterói firmou com a prefeitura de Niterói e a concessionária Ampla, responsável pela distribuição de energia na cidade, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para resolver o problema das podas danosas na cidade. Motivo de reclamação de ambientalistas, intervenções inapropriadas nas árvores agora rendem multa de R$ 5 mil para o órgão responsável pelo descumprimento.

De acordo com o promotor Fabrício Rocha Bastos, titular da promotoria, além da Ampla, receberam atribuições na conservação das árvores localizadas em áreas urbanas as secretarias de Conservação e de Meio Ambiente. Para ele, o acordo é um marco para a cidade.

— Esse TAC foi elaborado a partir de diversas reclamações que vinham da própria população e das secretarias. Todas acusavam a Ampla de fazer podas muito drásticas nas árvores, o que traz problemas. Também se queixavam de que o descarte após a intervenção era indevido — destaca Bastos.

Entre os pontos principais do TAC está a proibição de que a concessionária remova mais de 70% da copa das árvores. Em casos em que esse tipo de intervenção for inevitável, a concessionária terá que enviar fotos e laudos sobre a necessidade desse tipo de intervenção à Secretaria de Meio Ambiente.

Outro ponto importante diz respeito à qualificação dos trabalhadores responsáveis pelos cortes. O TAC torna obrigatório a presença de profissionais qualificados, com curso de poda. A concessionária também deve manter profissionais como engenheiro agrônomo, florestal ou biólogo especialista em botânica, habilitado e à disposição das equipes, para sanar dúvidas ou prestar esclarecimentos imediatos ao município.

A Secretaria de Meio Ambiente ficou responsável por qualificar os funcionários da empresa. Em 30 dias, todos os responsáveis por esse tipo de serviço na Ampla e na Secretaria de Conservação devem ser treinados. Posteriormente, passarão por reciclagem a cada 24 meses. Segundo a prefeitura, esse curso está sendo formatado: “A capacitação acontecerá no mês de outubro, e os técnicos estão montando o cronograma de atividades”, diz, em nota.

A Ampla será obrigada ainda a informar semanalmente em quais pontos fará as intervenções, e a manter atualizado junto aos órgãos do município um cadastro georreferenciado das árvores que foram podadas. Por outro lado, a prefeitura terá que substituir todas as árvores que estejam inadequadas à fiação existente na cidade, plantando no mesmo lugar outras espécies que se adaptem melhor. A Secretaria de Conservação, junto ao Meio Ambiente, terá 30 dias para estudar qual será a espécie escolhida para o local. As mudas serão doadas pela concessionária. Segundo a prefeitura, esse trabalho já está em curso: “A substituição das árvores que conflitam com a fiação elétrica já vem sendo realizada pelo projeto Verdes Notáveis, focado no plantio de espécies nativas da Mata Atlântica em locais onde não haja conflito com o meio urbano. O projeto, desde 2014, já plantou mais de 1.300 espécimes”.

A concessionária, por sua vez, diz que já cumpre as determinações firmadas no TAC: “Os colaboradores que realizam a atividade de poda recebem treinamento para o trabalho em proximidade com as redes elétricas e utilizam técnicas para afastar os galhos dos cabos e estruturas elétricas, evitando danos às árvores”. A Ampla acrescenta ainda que envia semanalmente o itinerário de poda à Secretaria de Meio Ambiente de Niterói e à Secretaria municipal de Consevação e Serviços Públicos. A distribuidora reforça que disponibilizará aos órgãos as informações de georreferenciamento de árvores cujo pedido de supressão for realizado pela Ampla.

Após mais de um ano de negociação, o termo foi assinado pela concessionária e pelas secretarias, faltando apenas a assinatura do prefeito Rodrigo Neves. Apesar disso, Rocha Bastos diz que o compromisso tem efeito imediato.

— O termo já vale, porque as obrigações são mais da Ampla do que da prefeitura — esclarece o promotor.

Fonte: O Globo Niterói



-------------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

ARBORIZAÇÃO URBANA

ARBORIZAÇÃO URBANA DE NITERÓI: Meta é plantar 500 mudas este ano
CONCEITO DE "DOSSEL URBANO" E A EXPERIÊNCIA DE TACOMA (EUA) DE GESTÃO DA ARBORIZAÇÃO E ÁREAS VERDES
NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: soluções tecnológicas adotadas em Niterói foram debatidas em evento internacional na FGV
Projeto Verdes Notáveis: plantio de mudas adequadas ao ambiente urbano
NITERÓI MAIS VERDE - Viveiro da Clin produz mudas para os projetos de arborização e recuperação ambiental em Niterói
Prefeitura de Niterói lança projeto inédito de monitoramento e gestão da arborização urbana
ARBORIZAÇÃO DE NITERÓI - Seconser intensifica combate contra erva-de-passarinho

ÁREAS VERDES

REFLORESTAMENTO DE ENCOSTAS: Clin realiza exposições sobre cultivo de mudas e sementes
FERRAMENTA CALCULA VALOR DOS SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS DE FLORESTA URBANA
CIDADES VERDES: As florestas protegidas nas cidades
PARQUES - Pequenas áreas verdes são importantes, mas cidades precisam de grandes parques
"POCKET PARKS" DE COPENHAGUE: um exemplo de sustentabilidade urbana
Estudo inédito apresenta valor econômico e social de unidades de conservação
GESTÃO DE ÁREAS PROTEGIDAS - Organizações sociais vão poder atuar na gestão ambiental dos parques estaduais, decide Alerj
Buenos Aires se reinventa por mais pessoas nas ruas!

Programa NITERÓI MAIS VERDE

DIA HISTÓRICO EM NITERÓI: Foi publicado hoje o Decreto 11.744, que instituiu o PARNIT
PARNIT: Preservação do meio ambiente ganha reforço em Niterói
Niterói + Verde e PARNIT: Decreto cria 22,5 milhões de metros quadrados de áreas protegidas na cidade
PARNIT - Niterói cria parques para proteger áreas verdes de problemas como deslizamentos e queimadas
PARNIT - Prefeito Rodrigo Neves assina na quarta feira o decreto de criação do Programa Niterói + Verde
NITERÓI MAIS VERDE - Vice-prefeito e técnicos da Prefeitura visitam a Praia do Sossego para definir detalhes de obra de infraestrutura
'Niterói mais verde' será criado para proteger o meio ambiente
Niterói entra na rota do turismo do Rio de Janeiro
Evento em Piratininga discute gestão ambiental compartilhada das lagoas da Região Oceânica
VISITA À ILHA DA BOA VIAGEM: Prefeitura de Niterói planeja restauração e reabertura da Ilha à visitação
ILHA DA BOA VIAGEM: Prefeitura de Niterói anuncia forte aposta na Ilha da Boa Viagem como atração turística
MAIS PRAÇAS EM NITERÓI - Praça do Largo da Batalha contará com Academia da Terceira Idade
Prefeitura de Niterói inaugura Praça Márcia Souto na Alameda
Praças de Niterói se transformam em centros de convivência para crianças e idosos
Parque da Cidade ganha reforma para atrair turistas em Niterói

Áreas verdes recuperadas em Niterói


ILHAS DE CALOR URBANO

Entenda como as árvores ajudam a combater as ilhas de calor nas cidades
UNIVERSIDADE DE YALE PUBLICA ESTUDO SOBRE CAUSAS DAS ILHAS DE CALOR URBANO 
Calor, frescor e os ventos
Calor emitido por cidades pode alterar padrões climáticos
Texto do US EPA explica o que é uma Ilha de Calor Urbano
O efeito das ilhas de calor urbano
Ilhas de calor na capital paulista causam temporais
Terraço verde: uma solução para deixar a sua casa mais verde, mais agradável e com menos custos
Grandes cidades se rendem aos telhados verdes
Contra ilhas de calor, Stuttgart tem 60% de cobertura verde
‘Ilhas de calor’ na capital paulista causam temporais mais fortes do que no resto do estado






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.