domingo, 18 de setembro de 2016

NITERÓI DE BICICLETA: Mais mobilidade sustentável para a Região Oceânica de Niterói



Nova infraestrutura cicloviária terá 2,5 quilômetros de extensão e será segregada, para garantir a segurança dos ciclistas. Foto: Divulgação/Prefeitura de Niterói


Ciclofaixa que ligará Praia de Itaipu a Engenho do Mato ficará pronta até o fim do mês

Até o fim deste mês estará finalizada a ciclofaixa de Niterói que ligará a Praia de Itaipu ao Engenho do Mato, na Região Oceânica. Com a implantação desta nova infraestrutura cicloviária, que terá 2,5 quilômetros de extensão e será segregada, todas as pessoas que moram ao longo da Estrada Francisco da Cruz Nunes, nos dois lados da via, nos bairros de Itaipu, Itacoatiara e adjacências, poderão facilmente acessar o terminal de BHLS do Engenho do Mato, integrante do projeto da TransOceânica, que contará com um bicicletário.

“A construção deste novo trecho de infraestrutura cicloviária em Itaipu busca não só fortalecer a cultura da bicicleta na cidade de uma maneira geral, como também seguir a política nacional de mobilidade urbana vigente, que em suas diretrizes prioriza os transportes não motorizados e a intermodalidade destes com transportes públicos de alta capacidade”, explica Isabela Ledo, coordenadora do Programa Niterói de Bicicleta.

Com a nova rota, Niterói alcança o total de 32,5 quilômetros de ciclovias e ciclofaixas em diversas regiões da cidade, das quais 17,5 quilômetros foram construídos na atual gestão da prefeitura.
A ciclofaixa de Itaipu está recebendo pintura e sinalização.

Bicicletários – As duas estações terminais da TransOceânica, localizadas em Charitas e no Engenho do Mato, contarão com bicicletários que serão instalados como parte do programa Pró-Sustentável, financiado com recursos da Corporação Andina de Fomento (CAF).

Atualmente a política municipal de estacionamento de bicicletas compreende diversas iniciativas que, em conjunto, buscam estimular ainda mais o uso da bicicleta na cidade.

Entre as principais estão a abertura de 1.220 vagas no total em bicicletários distribuídos entre as diversas regiões da cidade e implantação de bicicletário fechado, coberto e com segurança 24h no principal ponto intermodal de transporte, na Estação das Barcas Arariboia, no Centro, que está em construção, com previsão de entrega para dezembro.
Para o autônomo Júlio de Carvalho, de 35 anos, a iniciativa é bem-vinda.

“Já morei na Zona Sul do Rio e só me locomovia de bicicleta para lá e para cá. Ia trabalhar sempre de bike, chegava mais rápido do que seu fosse de ônibus. Deixei de lado esse hábito depois que me mudei para Niterói. Agora vou tirar o camelo do fundo da garagem, onde estava encostado há alguns anos, quase sem uso”, declarou.

Fonte: O Fluminense









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.