domingo, 25 de setembro de 2016

TÚNEL CHARITAS -CAFUBÁ: Obras estão perto da reta final e ventilação está sendo implantada

 
 
 
 
Os ventiladores são semelhantes a usados em túneis da cidade do Rio de Janeiro, como o Dois Irmãos e o Rebouças. O túnel Charitas-Cafubá terá também gerador de energia.. Foto: Divulgação



Túnel Charitas-Cafubá contará com 16 ventiladores de grande porte, oito instalados em cada sentido

O túnel Charitas-Cafubá, que integra a obra da TransOceânica, contará com um sistema de ventilação com 16 ventiladores de grande porte, oito em cada galeria. Os equipamentos serão instalados até o mês de novembro, segundo informações da Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento (Emusa), quando os túneis deverão ser abertos ao tráfego. Os ventiladores são semelhantes a usados em túneis da cidade do Rio de Janeiro, como o Dois Irmãos e o Rebouças.

Já totalmente perfuradas, as duas galerias estão na fase de instalação da parte elétrica e de câmeras que integrarão o sistema de monitoramento e vigilância. O túnel terá também gerador de energia.

Estão sendo concluídas também as pistas do BHLS. Na semana que vem, já estará finalizada a concretagem no túnel Luís Antônio Pimentel (sentido Charitas-Cafubá) onde, nesta terça-feira (27) será feito o primeiro teste de ônibus no local.

A pista do BHLS no túnel João Sampaio também já foi iniciada, tem cerca de 500 metros e deverá ficar pronta no final de outubro, de acordo com a Emusa.

A pavimentação dos túneis já tem data para começar. No início de outubro será iniciada na galeria Luís Antônio Pimentel. No meio do mês, começa na João Sampaio. Ontem foi concluída a embocadura das duas galerias no lado de Charitas.

Obras nos trechos - Já estão concluídos os segmentos 4 e 5. Estão em andamento: as obras no trecho 3 (que vai do túnel até o DPO do Cafubá) com previsão de ser entregue em novembro, o trecho 7 (que vai da Avenida Central, em Itaipu, até o Mercado Diamante), trecho 8 (que vai da Avenida Central até o Engenho do Mato), que deve ser concluído em dezembro, e da rótula do trecho 1, que parte deverá ficar pronta em novembro.

TransOceânica – Via terá 9,3 quilômetros de extensão, vai atender diretamente a 11 bairros da Região Oceânica de Niterói e por ela circularão cerca de 80 mil pessoas por dia.

A obra terá um papel importante na mobilidade de Niterói: além de 13 estações de ônibus BHLS, contará com ciclovia e estará integrada à estação do catamarã de Charitas. No sistema BHLS (Bus High Level Service), os ônibus têm ar-condicionado, portas dos dois lados, circulam em faixas exclusivas e os passageiros pagam a passagem no terminal, antes de embarcar. O túnel não terá pedágio e contará com ciclovia.

O principal ganho que a TransOceânica vai trazer para Niterói será no trajeto entre a Região Oceânica e a Zona Sul, reduzindo o tempo e a extensão pela metade. Hoje, os 18 quilômetros que separam as duas regiões são percorridos em uma hora. A obra tem custo de R$ 310 milhões, financiados com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento, do Governo Federal (R$ 292 milhões); e da Prefeitura (R$ 18 milhões).

Fonte: O Fluminense







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.