terça-feira, 19 de julho de 2016

HISTÓRIA NA BAÍA DE GUANABARA: Ilha das Flores terá Museu da Imigração


 
Missa campal nos jardins da Casa do Diretor da Hospedaria. Coleção Marilene Martins Almeida. Data desconhecida. Voltaire


Giovanni Mourão

A Marinha e a Uerj realizam, no próximo sábado, de 14h30 às 18h30, a inauguração do Museu de Imigração da Ilha das Flores, em São Gonçalo. Gratuita e aberta ao público, a solenidade contará com autoridades da Marinha e representantes das secretarias de Educação de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí.

Além da cerimônia de inauguração, às 15h30, será realizada a Obliteração do Selo Comemorativo pelos 133 anos de Criação da Hospedaria da Ilha das Flores. Para finalizar o evento, às 17h, ocorrerá a apresentação da Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais.

Prestes a abrigar a Rio 2016, maior evento esportivo do mundo, que receberá atletas de 206 países, o Museu da Imigração espera receber visitantes de vários países interessados em conhecer um pouco mais sobre a história da imigração no Brasil.

A partir do próximo sábado, o Museu da Imigração está aberto à visitação de segunda a sexta, de 9h às 12h e de 13h às 17h. Sábado e domingo, de 9h às 13h.

Fonte: O Fluminense



-------------------------------------------------

Helene Schmidt




Minha avó, Helene Schmidt (Helene Jelinski, nome de solteira), original de Lyck, na Prússia Oriental (atual Polônia), foi hóspede da Ilha das Flores, por pouco tempo, quando chegou ao Brasil, em 1922, com apenas 17 anos, desacompanhada, fugindo da Europa do pós-guerra.

Saiba um pouco dessa história em:

Helene Schmidt e os Imigrantes na Ilha das Flores, na Baía de Guanabara
Primeira hospedaria de imigrantes do país vira museu a céu aberto em São Gonçalo
ILHA DAS FLORES - Um marco da imigração no Brasil





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.