terça-feira, 24 de novembro de 2015

NITERÓI CIDADE INTELIGENTE - Colab.re: um ano a serviço de Niterói


Colab.re: um ano a serviço de Niterói

Aplicativo Colab.re pode ser baixado gratuitamente na internet para as plataformas Android e IOS
Foto: Douglas Macedo


Pamella Souza

Prefeitura já atendeu 70% das mais de 4,7 mil publicações no aplicativo. Quase metade dos usuários tem mais de 50 anos

Aproximando a população do governo municipal, o aplicativo Colab.re comemorou um ano de sucesso entre os niteroienses na última terça-feira, chegando a marca de 2.580 usuários e mais de 4.700 publicações. Desde o seu lançamento, a ferramenta digital utilizada pela Prefeitura de Niterói apresentou resultados significativos, com 70% das publicações solucionadas. O Colab.re já entrou para o Plano de Metas da cidade e aparece no Plano de Desenvolvimento do Município para os próximos 20 anos.

Como proposta principal, a ferramenta acompanha os serviços do governo niteroiense, abrindo espaço para o diálogo e integração com a própria população. A plataforma, que pode ser acessada através do site colab.re/Niteroi ou ser baixado em smartphones IOS e Android, funciona como uma espécie de linha do tempo, como a do Facebook. Nela, os usuários podem postar reclamações, fiscalizar e colaborar para melhorar a sua cidade.

O aplicativo conta, hoje, com 2,58 mil usuários, dentre os 495,47mil habitantes de Niterói. Desse total de participantes, 81,6% são homens e 18,4% são mulheres. A plataforma ainda traça um perfil de seus usuários, dos quais as pessoas com mais de 50 anos representam a maioria (47,8%), seguido de jovens entre 20 e 29 anos (23,4%), pessoas com idade entre 30 e 39 (15,7%) e moradores entre 40 e 49 anos (12,6%).

A ferramenta é dividida em categorias, como lâmpadas queimadas, infrações no trânsito e limpeza urbana. Como principal está a categoria de estacionamento irregular, que já ocupa 18,9% das reclamações, seguida de buracos nas vias, que registram 7,5%. Com isso, a equipe de monitoramento da Prefeitura tem acesso às estatísticas e georreferenciamento gerados pelas publicações, que são usadas à favor do próprio município.

É possível postar foto de problemas da cidade e ainda informar o endereço para facilitar a identificação do problema. Na página inicial, os usuários podem visualizar todas as postagens da rede, além de comentá-las e apoiá-las. Ao interagir com outras postagens, o internauta recebe notificações sobre seu andamento.

De acordo com o coordenador de Mídias Sociais da Prefeitura, Fernando Stern, diversas ações já foram realizadas a partir de postagens. Na área de trânsito, por exemplo, foi possível identificar locais que concentram maiores problemas e mobilizar as secretarias para tomar providências.

“É uma ferramenta que trabalha com a transparência entre o governo e a população. A Prefeitura tem uma proposta de interação através de redes sociais, como Facebook e Instagram, e o Colab.re se adequa perfeitamente a isso. Além de criar essa relação com os moradores, facilita a percepção dos problemas. A demanda tem crescido bastante, e quanto mais pessoas participam, mais fácil a identificação de problemas”, declarou Fernando.

Ainda segundo ele, o governo municipal já estuda uma expansão da plataforma.

“Já fizemos uma ampliação de relacionamento interno. Esquipes fizeram um levantamento para organizar o nosso ‘time’ para possibilitar o crescimento no próximo ano. Queremos agregar novas coisas à rede”, adiantou o coordenador.

A Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, responsável pela manutenção da cidade, concentra 90% das categorias que integram o aplicativo. Com isso, os responsáveis pelo gerenciamento da rede repassam a postagem, que são incluídas na programação da pasta. A equipe é mobilizada para resolver as questões, identificando os pontos de maior demanda e priorizando as urgências.

“O Colab.re nos possibilitou avançar em alguns pontos, como melhorar o atendimento, conhecer os problemas da cidade com maior velocidade, nos organizar para atender as demandas e, principalmente, melhorar a integração entre as secretarias e a prefeitura. Isso se faz necessário para resolver melhor essas questões”, explicou a secretária de Conservação e Serviços Públicos, Dayse Monassa.

Mas a utilização do aplicativo pela gestão municipal não se limita em programar a resolução das questões relatadas pelos cidadãos.

“Nós tínhamos uma meta no começo e procuramos crescer. É um programa bacana porque permite uma votação online, uma consulta popular. O Colab. é o dia a dia da cidade, que é sempre imprevisível. Quando nos avisam sobre problemas, eles são resolvidos sempre mais rapidamente, sempre que possível”, destacou Dayse Monassa.

A parceria foi realizada através de contrato de cooperação, sem custos para o município, Desta forma, o Colab.re se junta às mídias sociais já utilizadas pelo governo, como Facebook, Instagram e Twitter.

A rede social, criada por cinco sócios de Pernambuco - Paulo Pandolfi, Josemando Sobral, Bruno Aracaty, Vitor Guedes e Gustavo Maia - em 2013 e incorporada a Niterói no ano passado, foi eleita como o melhor aplicativo urbano do mundo.

Fonte: O Fluminense


------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

NITERÓI CIDADE INTELIGENTE - TECNOLOGIA - Frota de ônibus de Niterói já ‘cabe’ no celular
MAIS SEGURANÇA EM NITERÓI - CISP: Prefeitura instalará 12 câmeras na Ponte Rio-Niterói em novembro
NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: soluções tecnológicas adotadas em Niterói foram debatidas em evento internacional na FGV
MAIS SEGURANÇA EM NITERÓI - Segurança integrada no CISP - CENTRO INTEGRADO DE SEGURANÇA PÚBLICA
CCO - Centro de Controle Operacional do trânsito em Niterói
SISTEMA MUNICIPAL DE DEFESA CIVIL - gerenciamento dos dados da rede de pluviômetros, sirenes e estações meteorológicas
Inclusão digital - PLATAFORMAS URBANAS DIGITAIS
ARBORIBUS: controle georeferenciado da arborização urbana de Niterói

SMART CITIES - Cidades inteligentes criam nova economia








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.