quarta-feira, 25 de novembro de 2015

NITERÓI CIDADE INTELIGENTE - Niterói terá câmeras leitoras de placas de veículos em 30 dias


Todos os mototaxistas do Morro do Preventório foram convocados para apresentarem documentos - Gustavo Stephan / Agência O Globo


por


Diretor de Polícia Civil diz que sistema facilitará combate ao roubo e furto de veículos

NITERÓI - A Polícia Civil, em parceria com a Polícia Militar e com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), vai usar a tecnologia para combater os roubos em Niterói. O diretor de Policiamento de Área (DPA), delegado Sérgio Caldas, disse que, no máximo em 30 dias, estará em funcionamento o sistema de identificação de placas de veículos no Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp), que está recebendo o cadastro da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA). Com a ativação do sistema, as forças de segurança esperam dar mais combate a uma das modalidades de crime que mais preocupam o niteroiense: os roubos. Os números, no entanto, já mostram um decréscimo desde que o Cisp foi implantado, em agosto. Daquele mês a outubro, segundo os números mais recentes do Instituto de Segurança Pública (ISP), foram 11,8% ocorrências a menos do que no mesmo período do ano passado.

Quando o sistema identificador de placas começar a funcionar, as câmeras do Cisp vão descobrir carros e motos roubados ou furtados em circulação. A informação vai automaticamente para a PM e para PRF interceptarem o veículo.

Segundo Caldas, falta apenas o Cisp concluir a importação do banco de dados da DRFA para que o sistema comece a funcionar. A prefeitura confirmou que o processo será finalizado em até 30 dias. As câmeras vão copiar os caracteres das placas dos veículos, o sistema vai codificá-los e compará-los com os códigos do banco de dados da DRFA. A tecnologia é semelhante à usada pelas polícias de Madri e de Londres.

— Além de facilitar o combate ao roubo e furto de veículos, o sistema será útil para reprimir os roubos de forma geral. Há grande incidência de crimes praticados por assaltantes que usam motos. Se a câmera filmar uma moto roubada, com a placa virada ou sem placa, o alerta será dado aos policiais para interceptação — ressalta o delegado.

Enquanto o sistema não entra no ar, a polícia vai apertar o cerco aos mototaxistas. A confecção de um cadastro com a identificação dos condutores já começou no Morro do Preventório.

Um trabalho conjunto de investigação nas delegacias, coordenado pela DPA, identificou que a maioria dos assaltantes que usam motos para praticar roubos e furtos na Zona Sul é das comunidades de Igrejinha, Grota, Viradouro, Souza Soares e Morro do Vital Brazil.

— Os roubos, em geral, estão vinculados ao tráfico de drogas. Nessas comunidades, ao contrário das demais, os traficantes dão cobertura aos jovens que descem para assaltar e pagar dívidas com o tráfico — acrescenta Caldas.

Infográfico mostra variação nos índices de violência - Editoria de Arte




O delegado Mário Lamblet, da 79ª DP (Charitas), diz que o cadastramento será feito a seguir na Grota, no Viradouro e na Igrejinha.

— Todos foram orientados a apresentar documentos pessoais, inclusive de antecedentes criminais, e das motocicletas. Eles têm até o fim do mês para se regularizarem. Quem não fizer o cadastro terá a moto apreendida e será levado à delegacia — afirma o delegado.

POLÍCIA INTEGRA BANCOS DE DADOS

Para enfrentar a falta de pessoal, que afeta as delegacias do Departamento de Polícia de Área (DPC), a Polícia Civil está integrando os recursos das suas distritais, que vão de Niterói a Búzios, para reduzir os índices de criminalidade na região. Especializada que conta com a melhor infraestrutura de pessoal e equipamentos, a Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo passou a compartilhar com as DPs das duas cidades informações sobre homicídios. Da mesma forma, está recebendo as ocorrências de maior gravidade registradas nas distritais.

— Essa troca de informações é fundamental para a investigação. Um preso que cometeu homicídio em Pendotiba pode ter cometido roubo no Barreto e vice-versa. Com inquéritos bem fundamentados, principalmente nos casos de roubos e furtos, a polícia terá facilidade de pedir a prisão dos acusados e mantê-los mais tempo presos e distantes da sociedade — explica o delegado.

MAPAS CARTOGRÁFICOS

Para facilitar o trabalho de investigação, a Polícia Civil vai receber mapas cartográficos de Niterói que estão sendo digitalizados pela prefeitura. O projeto é vincular os registros de ocorrências policiais à base digital do município.

— Os mapas vão resolver um grande problema da polícia. Boa parte dos registros não tem endereços definidos e, por isso, os relatórios não são precisos. Isso acontece em comunidades em que as ruas não têm nome e as casas não têm número — lamenta Sérgio Caldas.

O diretor do DPA diz que aguarda a chegada de novos agentes do último concurso público para reforçar o efetivo nas delegacias da sua área O quadro de pessoal está abaixo de 50% do necessário: a situação mais grave é na 79ª DP (Charitas), que tem apenas 30% do efetivo necessário. A que está com melhor estrutura é a 81ª DP (Itaipu), com 90% do quadro de policiais.

ISP MOSTRA REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA NO ÚLTIMO TRIMESTRE

Os índices de violência em Niterói diminuíram no último trimestre, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio de Janeiro. O número geral de roubos apresentou queda de 11,8% de agosto a outubro deste ano no comparativo com o mesmo período de 2014: foram 1.522 ocorrências contra as atuais 1.342. A queda coincide com o início das operações do Centro Integrado de Segurança Pública, em Piratininga. O número de furtos também caiu: 1.846 contra 1.674, uma redução de 9,3%. Na contramão das baixas, os roubos de veículos tiveram alta de 8,1%, de 282, em 2014, para 305.

Para o secretario municipal de Ordem Pública, Marcus Jardim, o Cisp teve influência direta:

— A tendência é que os índices caiam ainda mais, já que o processo de implantação do Cisp ainda está em curso e o sistema será ampliado.

Os resultados positivos acompanham uma atuação mais intensa da polícia. A apreensão de drogas, por exemplo, foi 59,7% maior de agosto a outubro deste ano do que no mesmo trimestre do ano anterior.

Comandante do 12º BPM, o coronel Fernando Salema diz que o Cisp possibilitou mais rapidez na atuação.

— Temos homens 24 horas no Cisp. Trabalhando com essas informações e com a mancha criminal reforçamos a estratégia.


Fonte: O Globo Niterói










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.