terça-feira, 3 de novembro de 2015

LIXO FLUTUANTE - Pesquisa descobre para onde lixo jogado nos oceanos é arrastado

 
COMENTÁRIO AXEL GRAEL
 

Os velejadores/pesquisadores suíços, integrantes da expedição "Race for Water", estão chegando ao Rio de Janeiro, onde cumprirão intensa agenda com ambientalistas e estudiosos sobre o tema do lixo flutuante. Pretendem difundir os resultados do estudo que estão desenvolvendo, mostram os locais onde o lixo se acumula e denunciar os impactos ambientais dos plásticos e outros lixos descartados no Oceano.
 
Na próxima semana, os pesquisadores cumprirão uma agenda no Projeto Grael, onde vão conversar e velejar com alunos.
 
O Projeto Grael desenvolve um programa focado no problema do lixo flutuante na Baía de Guanabara e os alunos terão a oportunidade de trocar experiências e impressões com os visitantes.
 
Axel Grael
 
 
 
----------------------------------------------------------
 
Pesquisa descobre para onde lixo jogado nos oceanos é arrastado
 
Pesquisadores suíços fizeram primeiro mapeamento global sobre poluição nos oceanos. Estudo mostra que 10% de todo o lixo produzido para no mar.

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/11/pesquisa-descobre-para-onde-lixo-jogado-nos-oceanos-e-arrastado.html
Acesse o vídeo com a reportagem do Projeto Grael clicando na imagem.
Pesquisadores suíços fizeram o primeiro mapeamento global sobre a poluição nos oceanos.

Ilha de Koror, Oceano Pacífico. Área de proteção ambiental. Um paraíso de água transparente e praia limpa – mas é só de longe. De perto, o que se vê é lixo, principalmente plástico. Os bichos que se alimentam no mar podem confundir: o que é saco plástico e o que é água viva?

Longe dali, no Havaí, um lixão no mar. São as correntes marítimas que levam a sujeira produzida a milhares e milhares de quilômetros de lá.

Os redemoinhos formados pela circulação oceânica acabam recebendo esse material e o lixo circula, sem ter como sair. Os lixões dos cinco oceanos, reunidos, cobririam duas vezes o território brasileiro.

O roteiro de poluição foi traçado pela expedição Race for Water, a “corrida pela água”. O grupo suíço está fazendo o primeiro mapeamento global da sujeira nos cinco oceanos do planeta.

O barco saiu de Bordeaux, na França, em março de 2015 e chega ao Rio de Janeiro nesta quarta-feira (4), 300 dias depois da partida. Serão mais de 40 mil milhas náuticas, o que corresponde a mais que uma volta inteira ao mundo.

O cenário que os pesquisadores encontraram até agora é muito mais grave do que se imaginava. Além do plástico inteiro, partículas misturadas à areia foram encontradas em todas as praias, e representam um dos maiores perigos para a fauna marinha.

O comandante da tripulação explica que o plástico leva até cinco anos para chegar a lugares distantes e vai se partindo em pequenos pedaços que acabam sendo engolidos por peixes e pássaros.

E nem é preciso ir tão longe para flagrar cenas tristes: em São Vicente, no litoral paulista, a gaivota sai com um pedaço de plástico preso ao bico. Depois, engole. A ingestão de material plástico mata um milhão de aves marinhas a cada ano.

Quem vir o local mostrado no vídeo pode achar que está num aterro sanitário. É praticamente isso. Mas o lugar é cercado de água – é o mangue no litoral de Santos, em São Paulo. O lixão que se formou ali é o resultado de anos e anos de sobe e desce das marés que trazem lixo e depositam.

Lá é o lugar onde as aves costeiras marinhas se alimentam. Além de se contaminarem, elas ainda transportam a sujeira pra região oceânica em áreas preservadas.

No Parque Estadual Marinho da Laje de Santos, imagens feitas pelo Projeto Albatroz: perigo no ninho dos filhotes de aves em risco de extinção: plástico levado por bichos que voaram até ali.

“Além de liberar essas substâncias tóxicas dentro do organismo das aves, ela vai deixar de se alimentar do que ela realmente precisa. Esse animal ou morre sufocado, pode acontecer a obstrução do intestino, isso quando ela não alimenta um filhote com esse resto de plástico achando que está levando comida de verdade”, afirmou Juliana Yuri Saviolli, veterinária do Projeto Albatroz.

Como proteger nossos bichos? Como lidar definitivamente com o lixo que é de todo mundo, que vem de todas as partes e que se espalha sem controle? Por enquanto, são perguntas sem respostas.

Na chegada ao Rio, a fundação Race for Water e o governo suíço começam uma campanha nacional de conscientização: mar sem lixo, mar da gente. O resultado da expedição pelos oceanos vai ser levado à Conferência das Mudanças Climáticas, em Paris, em dezembro.

Fonte: Jornal Nacional



--------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

DESTAQUE: Projeto Grael divulga relatório para contribuir para a solução do lixo flutuante na Baía de Guanabara

INICIATIVAS DO PROJETO GRAEL RELACIONADAS AO PROBLEMA DO LIXO FLUTUANTE

Programas:
  • Projeto Águas Limpas
  • Projeto Baía de Guanabara (monitoramento de correntes)
  • ECOmAGENTE

  • Projeto Grael participa de pesquisa sobre microplásticos flutuantes na Baía de Guanabara
    PRIMEIROS TESTES DA ECOBARREIRA DO CANAL DE SÃO FRANCISCO, NITERÓI
    Iniciativas do Projeto Grael na prevenção do lixo flutuante da Baía de Guanabara
    CONFERÊNCIA LIVRE DO LIXO MARINHO NO PROJETO GRAEL.
    Associação Brasileira do Lixo Marinho realiza conferência na sede do Projeto Grael
    "Lixo flutuante - de onde vem?". Projeto Grael participa de programação do MAC
    Poluição da Baía de Guanabara: entrevista da equipe do Projeto Grael repercute na mídia internacional
    Projeto Grael foi objeto de matéria no Bom Dia Brasil, da Globo
    Equipe do Projeto Grael visita a Grota do Surucucu
    Assista matéria sobre as ações ambientais do Projeto Grael exibida pela Rede Brasil
    Lixo flutuante na Baía de Guanabara: vídeo sobre iniciativas ambientais do Projeto Grael



    LIXO FLUTUANTE NA BAÍA DE GUANABARA

    EVENTO TESTE NA BAÍA DE GUANABARA - Quase 30 toneladas de lixo são recolhidos na Baía de Guanabara
    ECOBARCOS VOLTAM A OPERAR NA BAÍA DE GUANABARA: Baía recebe 90 toneladas de lixo/dia
    Lixo flutuante: um problema que parece se agravar na Baía de Guanabara
    SEA conclui processo licitatório e ecobarreiras nos rios da Baía de Guanabara começarão a ser implantadas a partir de agosto
    LIXO MARINHO, O QUE EU TENHO A VER COM ISSO?
    Projeto Grael participa de pesquisa sobre microplásticos flutuantes na Baía de Guanabara


    INICIATIVAS DE NITERÓI

    NITERÓI RECICLA 5% DO SEU LIXO. A média da Região Metropolitana do RJ é de cerca de 1%
    ECOCULTURAL - PARCERIA ENTRE A PREFEITURA DE NITERÓI E O INEA: Projeto em Niterói conscientiza sobre descarte de lixo
    CLEAN UP DAY - Dia de limpar praias em Niterói


    CONTRIBUIÇÕES DA FAMÍLIA GRAEL PARA O DEBATE SOBRE O TEMA

    Entrevista para o SporTV sobre o lixo flutuante na Baía de Guanabara
    REGATAS OLÍMPICAS - Dentro ou fora da Baía de Guanabara?
    BAÍA DE GUANABARA POLUÍDA PARA OS JOGOS OLÍMPICOS: matéria do Fantástico - 26-04-2015
    "Questão de civilidade": Lars Grael sonha com Baía de Guanabara limpa
    Irmãos Grael citados em matéria do jornal inglês "THE GUARDIAN" sobre a Baía de Guanabara
    BAÍA DE GUANABARA: XI Congresso Brasileiro de Defesa do Meio Ambiente debateu o saneamento e despoluição da Baía
    HISTORIAS DO RIO - ESPN - Mais um belo documentário sobre Lars Grael e a família Grael
    Assista à matéria sobre o Projeto Grael no programa "Como Será?", da Globo
    A BAÍA DE GUANABARA NA OLIMPÍADA E NA PÓS-OLIMPÍADA


    OUTRAS POSTAGENS

    Esgoto despejado todo dia na Baía de Guanabara encheria 185 piscinas olímpicas
    8 milhões de toneladas de lixo plástico vão parar nos oceanos por ano
    Especialistas explicam como outros países conseguiram despoluir suas baías
    Produção de lixo no país cresce 29% em 11 anos, mostra pesquisa
    Brasil produziu 1,4 milhão de toneladas de resíduos eletrônicos em 2014, afirma novo relatório da ONU








    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.