quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Prefeitura de Niterói vai iniciar vistorias nos quiosques de Camboinhas


Um dos quiosques foi transformado em posto do Corpo de Bombeiros.
Evelen Gouvêa


Geovana Martins

Proprietários tiveram até esta terça-feira para entregar laudo com alterações feitas nos locais

Equipes da Prefeitura de Niterói começam a fiscalizar, amanhã, 17 quiosques da Praia de Camboinhas, na Região Oceânica de Niterói, para verificar se eles se readequaram à padronização exigida por determinação da Justiça Federal. Os proprietários tiveram até esta terça-feira (25) para entregar um laudo técnico completo com alterações estruturais que foram feitas nos locais.

“Iremos vistoriar os quiosques que estavam irregulares desde maio deste ano. A ação será marcada com a presença das secretarias de Conservação e Serviços Públicos, de Meio Ambiente, de Urbanismo e Mobilidade e da Procuradoria Geral do Município”, explica o presidente da Niterói Empresa de Lazer e Turismo (Neltur), Paulo Freitas.

Segundo ele, se algum quiosque estiver irregular será comunicado à Justiça Federal para tomar as devidas providências.

O proprietário do quiosque 12 “Baiano”, Jarder Jair Nunes de Lucena, de 58 anos, que trabalha no local há mais de 15 anos, disse que gastou R$ 40 mil nas obras.

“As obras de adaptação exigidas pela Neltur ficaram prontas ontem. Tivemos que retirar o piso de pedra para colocar areia e retiramos as cordas que impediam o acesso aos pedestres. Retiramos a lona do telhado e colocamos sapê. Ficamos fechados por 3 meses e 15 dias para regulamentação dos documentos e a realização das obras e por isso tive que mandar embora seis funcionários”, revela.

O dono do quiosque 16 “Harmonia”, Aloizio dos Santos Pitta, de 61 anos, que trabalha há 13 anos no ramo, também teve que fazer obras no piso.

“As obras estão concluídas. Coloquei areia no lugar do piso e abri o vão de passagem para a praia. Nosso único problema é o poço que ainda está interditado. Hoje estamos funcionando somente por fornecimento de água através da Águas de Niterói, o que aumenta o custo, e teremos que repassar ao cliente esse valor. O custo com as obras e adaptações ficaram no valor de R$ 15 mil”, disse.

Já no quiosque 13 “Tia Lúcia”, o proprietário José Carlos de Almeida Rodrigues, de 52 anos, que trabalha na praia há 36 anos, conta que está pronto para voltar ao trabalho.

“As adaptações foram concluídas. Tivemos que mexer no piso, na areia dos fundos para nos adequar às exigências. A expectativa é que deixem a gente trabalhar, queremos voltar e gerar emprego”, destaca.

Entre os 17 quiosques, um foi demolido e outro foi transformado em posto de salvamento do Corpo de Bombeiros.

Bombeiros – O presidente da Neltur informou que o novo posto do Corpo dos Bombeiros em Camboinhas está pronto. A previsão que a entrega seja feita na primeira semana de setembro. Segundo Paulo Freitas, o quiosque é uma medida temporária até que sejam feitos os postos de salvamento em todas as praias.

“Os bombeiros precisam de um lugar para trabalhar, colocar os equipamentos de salva-vidas. O quiosque tem banheiro e cozinha e um vista para o movimento da praia”, destaca.

Fonte: O Fluminense










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.