segunda-feira, 31 de agosto de 2015

NITERÓI RECICLA 5% DO SEU LIXO. A média da Região Metropolitana do RJ é de cerca de 1%


Em Niterói, lixo reciclável recolhido por caminhões nas residências é levado para cooperativas de catadores, que reaproveitam o material
Evelen Gouvêa
 
 
Cidades buscam integração com ambiente
 
Marina Assumpção

Ao todo 5% do lixo coletado em Niterói já é reciclado. São Gonçalo e Itaboraí ainda estão implantando redes coletoras

Cada vez mais a população tem se conscientizado em cuidar do meio ambiente, e com isso a ideia da importância da reciclagem do lixo está cada vez mais frequente nas casas. Porém, para que a separação dos resíduos seja eficiente, é necessária a coleta seletiva regular. Mas o serviço nem sempre é oferecido nas cidades. Em Niterói, são coletados diariamente mais de 500 toneladas de resíduos das residências e 5% desse montante é reciclado. Já em São Gonçalo e Itaboraí, o serviço de coleta na porta ainda não foi implantado.

O serviço de coleta seletiva de lixo na porta de casa consiste em recolher os resíduos sólidos recicláveis, como o papel, plástico, vidro e metal, dando um destino final adequado, sem causar danos ambientais. De acordo com a Companhia de Limpeza de Niterói (Clin), são coletados diariamente cerca de 565 toneladas de resíduos domiciliares e 200 toneladas de resíduos públicos, sendo reciclados de cerca de 5% do total. Além disso, o órgão informou que todos os bairros da cidade estão aptos para receber a coleta porta a porta, desde que o morador tenha feito cadastro para o serviço através do telefone 0800-22-2175.

Em Niterói "são coletados diariamente cerca de 565 toneladas de resíduos domiciliares e 200 toneladas de resíduos públicos, sendo reciclados de cerca de 5% do total".


Os niteroienses têm ainda outra opção para descartar o lixo de forma correta, através dos Postos de Entrega Voluntária (PEV’s) que estão espalhados pela cidade. No descarte, o morador pode conseguir ainda um desconto na conta de luz, foi o que incentivou a coordenadora administrativa Luciana Coelho Neto, de 36 anos, a se dirigir até o posto de coleta de Icaraí, localizado em frente à Rua Lopes Trovão.

“Já costumava separar o lixo em casa, e com esse incentivo acabei trazendo os resíduos até o posto de coleta. Além de me beneficiar com o desconto, também preservo o meio ambiente”, disse.

De acordo com o deputado estadual e ex-secretário do Meio Ambiente do Rio de Janeiro e ex-ministro Carlos Minc, criador de leis de incentivo à coleta seletiva e preservação do meio ambiente, todas as cidades do Rio ainda encontram dificuldades em relação à reciclagem.

“Na Região Metropolitana, o percentual coletado em domicílio é de aproximadamente 1% em relação ao lixo total. Para melhorar esta situação, as prefeituras têm que investir em educação ambiental nas escolas e para a população, contratar cooperativas de catadores de lixo, além de realizar uma campanha intensiva para incentivar as pessoas a separar o próprio lixo em casa, onde agentes de saúde possam ir porta a porta explicar os riscos da sujeira”, declarou.

"Na Região Metropolitana, o percentual coletado em domicílio é de aproximadamente 1% em relação ao lixo total".


Em São Gonçalo, segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, será construído em um terreno de 34 mil metros no bairro do Jardim Catarina, um ponto de reciclagem para receber os resíduos reaproveitáveis.

“Esperamos que a terraplanagem seja feita em até 180 dias e possamos montar o centro de reciclagem. Há dois caminhões de coleta seletiva de lixo que serão aproveitados neste projeto”, explicou João Arthur Carvalho, coordenador de Fiscalização e Licenciamento da secretaria de Meio Ambiente da cidade.

Já em Itaboraí, a Secretaria Municipal de Serviços Públicos informou que são coletados cerca de 100 quilos/dia de material reciclável nas lixeiras subterrâneas instaladas na Praça Dr. Elias de Miranda Saraiva, no bairro Jardim Imperial. Ainda segundo o órgão, a Prefeitura aguarda a disponibilidade de recursos para pôr em prática a coleta seletiva em toda a cidade.

Fonte: O Fluminense





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.