quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

BALNEABILIDADE - Inea aumenta o número de praias monitoradas no Estado


Locais são definidos pela maior presença de banhistas e existência de pontos de influência, como saídas de rios
Foto: Divulgação / GERJ


De 2009 para 2015, número de praias monitoradas passou de 57 para 200

O número de praias monitoradas pelo Inea (Instituto Estadual do Ambiente) aumentou mais de três vezes em seis anos. Em 2009, eram feitas análises da água de 57 praias em 86 pontos de coleta; em 2015, saltou para 200 em 291 locais de coleta. Atualmente, 22 municípios são monitorados pelo instituto, entre eles Niterói.

Gerente de Qualidade das Águas do Inea, o biólogo Leonardo Daemon explica como são escolhidos os pontos de coleta.

"A definição é feita pelos locais de maior presença de banhistas e pela existência de pontos de influência, como saídas de rios, canais e galerias de águas pluviais. Considerando também a extensão da praia, esses fatores podem aumentar ou reduzir a quantidade de locais. Copacabana e Leme juntas, que totalizam quatro quilômetros de extensão, por exemplo, têm cinco pontos de coleta, enquanto a praia Vermelha, com 250 metros, tem somente um local. Já a praia de Itaipuaçu, com 10 quilômetros de extensão, tem dois pontos por ser menos urbanizada", disse Leonardo.

Técnico do Inea, Vinícius Machado, de 26 anos, afirma que observar as condições das marés é imprescindível para o trabalho de campo.

"Seguimos os dias e horários corretos previstos na “tábua de maré” e nos baseamos no documento emitido anualmente pela Marinha do Brasil. Há questões que interferem no resultado das análises. Por exemplo, se monitorar a foz de um rio com a maré enchendo, a água salgada será monitorada e não a do rio", afirmou Vinícius.

Entre as praias analisadas estão as da Zona Sul, da Barra da Tijuca, Ilha do Governador, Guaratiba, Grumari, Niterói, Paquetá, e outros municípios, como Angra dos Reis, Búzios, Paraty, Saquarema, Rio das Ostras, Macaé e Sepetiba. Na cidade do Rio de Janeiro, por exemplo, são realizadas coletas duas vezes por semana.

Fonte: O Fluminense









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.