sábado, 22 de abril de 2017

PARNIT - Niterói terá trilha de 7km em maio



Para os que tem espírito aventureiro e desejam desafiar a trilha, o tempo estimado de travessia é de três horas de caminhada com dificuldade moderada. Foto: Divulgação / Prefeitura de Niterói



David Tavares

Com belas paisagens e até córrego, a ‘Tupinambá’ ligará os bairros de São Francisco, na Zona Sul, e Piratininga, Região Oceânica

“No geral, não tem tanta dificuldade para quem for usar a trilha, o maior problema é a subida do Parque, que é meio cansativa, mas no geral, dá para completar tranquilamente, é mais a distância mesmo. Inclusive, alguns voluntários, que conhecem a trilha, já estão usando, caminhando. Mas o lançamento oficial da trilha só no mês de maio”, explica Alex, que também é geógrafo, guia de montanhismo e turismo.

Grande parte do caminho já recebeu sinalização rústica, com setas amarelas desenhada em um fundo preto, onde indica o caminho, e ainda aguarda placas informativas em todo local para deixar ainda mais fácil o trajeto - alguns pontos já receberam essas placas. Ainda segundo o diretor do Parnit, a sinalização foi feita por funcionários, voluntários, como integrantes do Clube Niteroiense de Montanhismo (CNM), além de integrantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade de Niterói.

“Nós recebemos muita ajuda para montar esse lugar, espalhar todas placas, aplicar as setas e limpar o local. Os voluntários foram fundamentais para sair. Estamos empolgados com essa inauguração, é uma trilha muito gostosa de ser realizada”, disse, acrescentando que a expectativa do número de visitantes é grande, mas que algumas regras de segurança precisam ser cumpridas para o bom desempenho do percurso.

“Esperamos bastante gente aqui na inauguração, mas faremos a abertura oficial em um dia da semana para freiar essa euforia e tentar atender a todos os presentes com mais tranquilidade. Faremos caminhadas de divulgação com 20 pessoas no máximo, pela segurança. Como é livre, quem conhece pode vir, mas aconselhamos se unir com grupos de montanhismos, ou contratar um guia para fazer a trilha em paz e protegido”, completou o diretor.

O Mirante da Tapera é o local mais aguardado da trilha, ainda mais por ser quase no final. De lá é possível avistar o Pão de Açúcar e de onde se tem um ângulo único para as Praias da Região Oceânica e as montanhas do Rio. As ruínas de uma atalaia utilizada pelos portugueses para vigiar a aproximação de navios também chamam atenção, assim como o “córrego do Tamboatá”, uma das grandes atrações do trajeto.

Percurso - A travessia começa na Praça Dom Orione, em São Francisco, onde se inicia a sinalização, e segue até o alto do Parque da Cidade. De lá, passa pela Mirante da Pedra Quebrada, na Antiga Rua e mais a frente com visão do Abrigo do Incra. Em seguida, as belezas do Túnel de Bambu, Repouso do Caçador, Vale das Jaqueiras, Atalaia de vigia e, enfim, o Mirante da Tapera. Segue pelo Morro do Imbuí até sair próximo à Prainha de Piratininga.

Segurança - Agentes da Coordenadoria de Meio Ambiente (CMA) da Guarda Civil Municipal continuará a realizar patrulhamento preventivo nas principais trilhas do Parnit.


Fonte: O Fluminense 



-------------------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:


TRAVESSIA TUPINAMBÁ

PARNIT: Travessia Tupinambá será aberta ao público em maio
PRO-SUSTENTÁVEL: Prefeitura de Niterói está implantando a maior trilha da cidade no PARNIT

PARNIT

PARNIT: Preservação do meio ambiente ganha reforço em Niterói
Niterói + Verde e PARNIT: Decreto cria 22,5 milhões de metros quadrados de áreas protegidas na cidade
PARNIT - Niterói cria parques para proteger áreas verdes de problemas como deslizamentos e queimadas
PARNIT - Prefeito Rodrigo Neves assina na quarta feira o decreto de criação do Programa Niterói + Verde
NITERÓI MAIS VERDE - Vice-prefeito e técnicos da Prefeitura visitam a Praia do Sossego para definir detalhes de obra de infraestrutura


PARQUES E ÁREAS VERDES EM NITERÓI

NITERÓI LANÇA CONCURSO DE FOTOGRAFIAS SOBRE ÁREAS PROTEGIDAS DA CIDADE
PARQUES E CLIMA NO PLANEJAMENTO URBANO DE NITERÓI
Mangue de Itaipu recebe plantio de 2 mil mudas
NITERÓI CONTRA AS QUEIMADAS: O QUE SE PERDE CADA VEZ QUE O FOGO DESTRÓI AS NOSSAS FLORESTAS?

OUTRAS POSTAGENS

Cientistas estudam a proliferação anormal de lianas (cipós) em florestas latinoamericanas e avaliam relação com mudanças climáticas
'Brasileiro fica encantado com cidades europeias, mas não reproduz soluções aqui', diz Lerner








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.