quinta-feira, 27 de abril de 2017

PROTEÇÃO ANIMAL: Delegacias do Fonseca e Icaraí irão investigar abandono de animais







Geovanne Mendes

Evitar uma prática comum na cidade e enquadrar quem pratica esse ato. É isso o que promete a Coordenadoria Especial de Direitos dos Animais de Niterói, que vem registrando a cada dia um aumento no número de casos de animais abandonados na cidade, principalmente no Campo de São Bento, em Icaraí, e no Horto do Fonseca, dois lugares públicos de grande movimentação de pessoas e que entre março e a primeira quinzena de abril contabilizou 30 animais abandonados, principalmente cachorros. Por isso, a Coordenadoria está tendo o auxílio das delegacias responsáveis por essas duas áreas, a 77ª DP em Icaraí e a 78ª DP no Fonseca para identificar quem comete este crime, tipificado no código penal e que pode levar ao infrator pena de seis meses a 1 ano de detenção e multa.

“As pessoas pensam que cuidar de um animal é fácil e saem comprando como se fossem mercadorias, só que depois, com o tempo, vêm os gastos, doenças, imprevistos, como qualquer outro ser vivo e muita gente não está preparada para isso. Acreditamos também que a crise financeira aumentou ainda mais esses casos. Por isso estamos contado com a ajuda da Polícia Civil e queremos estender isso para todas as delegacias de Niterói e também contamos com a ajuda das câmeras de monitoramento do Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) para identificar e prender essas pessoas”, conclui Daniel Marques, responsável pela Coordenadoria de Direitos dos Animais.

Uma grande ajuda para socorrer os animais que sofrem abandonos são os chamados protetores, pessoas que se unem em uma espécie de rede de amor para proteger aqueles que são considerados os maiores e verdadeiros amigos do homem: os cães e gatos.

Janaina Voigt trabalha voluntariamente como protetora de animais há três anos, neste tempo ela já resgatou cerca de 200 animais das ruas, totalmente abandonados, não só no Campo de São Bento e no Horto, mas animais encontrados em diversos outros bairros da cidade. Ela acredita que além do apoio da polícia, a castração é outro fator fundamental para a redução no aumento de animais, principalmente gatos que se reproduzem a cada dois meses.

“Acho toda forma de proteção aos animais formidável, porém esse problema não para por aí. O momento de crise deixa as pessoas sem saber o que fazer e o poder público deve se responsabilizar pela castração destes animais. A castração na cidade, gratuita, que estava prevista para começar em abril, ainda não foi aberta ao público, o que ajudaria e muito a diminuir o número de animais abandonados”, completou a Protetora de Animais.

Em nota, a prefeitura informou que a castração gratuita é realizada no Centro de Controle de Zoonoses da cidade, que fica na Avenida Ernani do Amaral Peixoto, 169, sala 507, no Centro. O agendamento para cirurgias será a partir de maio. Informações pelo telefone 2625-8441.

GPAm resgata animais abandonados em SG

Na última semana, guardas municipais do Grupamento de Proteção ao Meio Ambiente (GPAm) realizaram diversas apreensões de animais abandonados por São Gonçalo. O saldo contabilizado foram dois cães, uma jiboia e um cavalo, que estava solto no bairro Engenho Pequeno e foi resgatado na tarde de ontem. O proprietário não foi localizado.

“O GPAm, diariamente, realiza apreensões de animais soltos ou abandonados que apresentem risco de transmissão de doença aos moradores, risco de acidentes nas vias da cidade e também risco de morte. Além de retirar das ruas e oferecer chances de sobrevivência para os animais”, diz o prefeito José Luiz Nanci.

Costelinha – nome carinhoso dado pelos Guardas – é uma cadelinha com cerca de um mês de vida que foi resgatada último dia 17 no acesso para a Área de Proteção Ambiental (APA) do Engenho Pequeno. O animal já foi adotado.

Outro cão resgatado é um macho, de grande porte, que está com ferimentos próximos ao focinho e foi pego na Rua Nair Quintela, na entrada do Boaçu. Os guardas esperam que o dono seja localizado, caso contrário será doado. O animal é dócil, mas está um pouco abatido e, embora receba cuidados da GM, necessita de cuidados veterinários que a corporação não dispõe no momento.

Na manhã da última segunda, o GPAm foi acionado por moradores de um condomínio do bairro Engenho Pequeno para fazer a remoção de uma jiboia, que mede cerca de 1,70 metro e estava num condomínio aos pés da APA. Fora do seu habitat natural, o réptil foi levado para a sede do GPAm e será solta, ainda esta semana, na trilha dos eucaliptos, localizada dentro da APA.

“Esses animais abandonados em meio urbano oferecem grande risco à população, pois muitos ficam em terrenos baldios, beiradas de rua e se alimentam de restos de comida jogados no lixo. Além de cuidar da integridade física dos animais, nos preocupamos também com a saúde e a integridade física das pessoas”, explica Sérgio Fonseca, coordenador de Proteção Animal da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma).

O cavalo resgatado no Engenho Pequeno foi encaminhado ao Curral de Tanguá, através de um termo de cooperação técnica firmado entre a Semma e aquele município. Os animais apreendidos são submetidos a diversos exames veterinários e recebem o devido tratamento, até que o dono seja localizado. Caso contrário, ele será leiloado.

Quem identificar animais abandonados no município pode fazer denúncias pelo número 2199-6511.


Fonte: A Tribuna











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.