domingo, 25 de outubro de 2015

BHLS TRANSOCEÂNICA - Intervalos serão de cinco minutos


Corredor expresso contará com 13 estações ao longo de mais de nove quilômetros de pistas que irão beneficiar mais de 70 mil pessoas por dia
Foto: Divulgação

Vinícius Rodrigues

Corredor expresso que ligará Região Oceânica à Zona Sul terá, inicialmente, 60 ônibus circulando por hora, simultaneamente

Por hora serão 60 ônibus, com portas dos dois lados, passando de cinco em cinco minutos por 13 estações ao longo de 9,3 quilômetros de pistas para atender moradores de 11 bairros e beneficiar mais de 70 mil pessoas por dia. O projeto faz parte do sistema BHLS (Ônibus com Alto Nível de Serviço na sigla em inglês) que integra a TransOceânica, sistema viário que ligará a Zona Sul de Niterói com a Região Oceânica da cidade com o prazo de conclusão previsto para junho de 2017. Os detalhes foram revelados pela secretária municipal de Urbanismo e Mobilidade de Niterói, Verena Andreatta, em visita ao Grupo Fluminense Multimídia. Na ocasião, a secretária informou também que o túnel Luís Antônio Pimentel começará a ser perfurado pelo lado de Charitas até o fim do mês.

O projeto de mais de R$ 300 milhões, com recursos do Governo Federal e da Prefeitura de Niterói é audacioso, segundo a secretária. Verena Andreatta explicou que a via – que é a primeira desse tipo a ser implantada na América do Sul – terá uma pista exclusiva para ônibus equipados com ar-condicionado.

Pelo sistema, os passageiros poderão embarcar nos veículos em seus próprios bairros. Os ônibus entrarão na faixa exclusiva do BHLS. “Serão duas pistas exclusivas, sendo uma de ida e outra de volta com 60 ônibus passando por hora podendo chegar a 120. Os coletivos não precisam ser articulados, porque a demanda não é tão grande ainda. Os ônibus deverão ter portas dos dois lados porque a estação será no meio. Readequaremos as linhas. Haverá uma que passará por dentro desse circuito, que vai até o Corpo de Bombeiros de Charitas e voltará. Além disso estamos estudando as linhas que entrarão para pegar os passageiros. Ainda está em estudo a forma de operação e estamos começando a detalhar isso”, revelou Verena.

Os ônibus farão o percurso do Engenho do Mato até Charitas em 25 minutos, passando por 13 estações e pelo túnel. A bilhetagem será externa para que não atrapalhe o embarque e desembarque dos passageiros. O corredor viário também contará com ciclovia. “Pelo BHLS, os coletivos irão operar dentro e fora de pistas exclusivas evitando transbordo para outros bairros. Já pelo sistema de BRT, os ônibus vão circular apenas nas pistas exclusivas obrigando o transbordo para os outros bairros”, explicou a secretária.

Segundo ela, uma baia para a estação já está sendo feita na altura do Corpo de Bombeiros de Itaipu. “A pista exclusiva passou por um teste na última terça-feira, quando foi colocado um ônibus para verificar se o espaço que ele ocupara era condizente com o projeto. Isso foi pedido pelas próprias empresas de ônibus, já que houve um temor sobre o espaço da pista e o tamanho dos ônibus”, contou a secretária.

Para Verena, o sistema BHLS vai ser o grande diferencial nas obras da Transoceânica. “A TransOceânica é muito mais do que apenas a escavação do túnel Charitas-Cafubá. É nessa pista exclusiva de concreto que vai passar o BHLS, que além dessa sigla complicada em inglês, é um sistema de transporte coletivo integrado que vai diminuir em muito o tempo de deslocamento entre a Região Oceânica e o centro da cidade”, avaliou.

Túnel – Em relação ao trabalho de perfuração do túnel Luís Antônio Pimentel, a secretária informou que o canteiro de obras em Charitas estará pronto até o final do mês com previsão do início da perfuração no início de novembro. “A famosa luz no fim do túnel acontecerá dentro de um ano. É claro que todos os revestimentos, iluminação e ventilação poderão atrasar, mas dentro de um ano teremos o túnel perfurado”, garantiu Verena.

O túnel Luiz Antônio Pimentel, que será responsável por ligar Charitas – na Zona Sul de Niterói – ao Cafubá – na Região Oceânica – integrará diversos modais como carros, ônibus e ciclovia, sendo todas essas com faixas exclusivas.

Túnel que liga Região Oceânica a Charitas já está sendo perfurado
Foto: Leonardo Simplício / Divulgação Prefeitura de Niterói


Em visita às obras do túnel no início deste mês, o prefeito Rodrigo Neves afirmou que, até novembro, cerca de 250 metros do túnel deverão estar perfurados. Ele disse que estão sendo feitas três detonações por dia, cada uma perfura de seis a sete metros de rocha. Segundo ele, a meta é que até o segundo semestre do ano que vem, o túnel já esteja todo perfurado. “O cronograma está sendo cumprido. A obra está seguindo um ritmo ainda mais intenso. Mais do que uma obra viária, a TransOceânica é um projeto de mobilidade, com um BRT mais evoluído, o BHLS. É um sonho que está se concretizando depois de 40 anos de espera”, disse o prefeito na ocasião.

Segundo o diretor da Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento (Emusa), Lincoln Silveira, as desapropriações já estão acontecendo do lado de Charitas. “Nós já tiramos 16 casas de onde iniciaremos os trabalhos de perfuração e agora estamos avaliando as outras para demolição. O túnel ficará pronto em 2016, mas como ainda precisaremos de outras intervenções, o prazo é para 2017, conforme o cronograma de obras está sendo previsto”, disse Lincoln.

Fonte: O Fluminense


----------------------------------------------


ACESSE INFORMAÇÕES TÉCNICAS SOBRE A TRANSOCEÂNICA.


LEIA TAMBÉM:

TRANSOCEÂNICA - Vistoria às obras do novo sistema viário da Estrada Francisco da Cruz Nunes, no Trecho 8
TRANSOCEÂNICA - Acompanhei o prefeito Rodrigo Neves em visita às obras do Túnel Charitas-Cafubá
TRANSOCEÂNICA: Previsão de começo da escavação do túnel do lado de Charitas ainda este mês
TRANSOCEÂNICA - Nova frente de trabalho no túnel vai acelerar a obra







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.