quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

MERGULHÃO DA PRAÇA RENASCENÇA COMEÇA A SAIR DO PAPEL EM MARÇO


Praça da Renascença.


Texto: Aline Balbino

Estão previstas para começarem em março as obras de construção do mergulhão na Praça da Renascença, no Centro de Niterói. Segundo a Ecoponte, concessionária que administra a Ponte Rio-Niterói e que será responsável pelas obras, o mergulhão deve ficar pronto no máximo até março de 2017, período exigido pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT). Segundo Fábio Stocco, gerente de Engenharia da Ecoponte, a obra é uma obrigação contratual e não houve nenhuma alteração no projeto inicial feito pela CCR Ponte, antiga administradora da Ponte. Foram feitas algumas pequenas adequações e melhorias.

O projeto prevê implantação de um mergulhão sob a Praça da Renascença ligando, principalmente os coletivos que vêm da Avenida Feliciano Sodré à BR-101. Será implantada também uma faixa na bifurcação entre a Rua Manoel Pacheco de Carvalho (extensão da Rua Saldanha Marinho) e a Avenida Feliciano Sodré. Com isso os sinais de trânsito que ligam a Ponte à Avenida Jansen de Mello e à Feliciano Sodré serão retirados. O objetivo é proporcionar mais fluidez ao trânsito e desafogar a descida da Ponte no sentido Niterói. Serão executadas também revitalizações urbanísticas. Toda a manutenção do mergulhão será de responsabilidade da Ecoponte, incluindo drenagem.

“O mergulhão, que é uma passagem inferior, propiciará melhorias na fluidez nessa região de acesso à Ponte. Ela vai facilitar a ligação dos terminais de ônibus da Rua Feliciano Sodré para quem quer ir para a BR-101 e acessar os bairros”, disse Stocco.

Para evitar situações de alagamento, serão instaladas grelhas que captarão a água da chuva para reservatórios. Serão implantadas duas bombas de drenagem. Segundo e Ecoponte, no momento estão sendo realizadas as sondagens, reuniões e tratativas com as empresas de água, esgoto e eletricidade. Além de liberação de licença ambiental por parte da Prefeitura de Niterói.

Ilha do Mocanguê

Já as obras de ampliação das baias dos ônibus que param na Ilha do Mocanguê estão sem data para início, mas também precisam ser concluídas até o primeiro semestre de 2016. A obra consiste em ampliar e readequar os pontos de ônibus situados na base naval. A ampliação melhorará o tráfego de coletivos na área. Na pista sentido Rio de Janeiro serão instaladas duas faixas para parada de ônibus.

O canteiro no sentido Niterói será retirado para ampliar a área. Stocco disse que existe a proposta de implantação de uma passarela para facilitar a travessia de pedestres que acessam a ilha.

No entanto, tanto a Marinha quanto a Polícia Rodoviária Federal não aprovam a obra.

“Por ser uma área de segurança, eles acham que fomentaria o número de pessoas”.
De acordo com Júlio Amorim, gerente de atendimento ao usuário da Ecoponte, a autorização de parada de parte da frota de ônibus na Ilha do Mocanguê já mostra resultados na fluidez no trânsito.
“Só com a mexida que demos não registramos mais filas no sentido Niterói e já observamos uma grande melhora no sentido Rio”.

Fonte: A Tribuna






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.