terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Prefeitura de Niterói e Marinha preparam parceria nas áreas da defesa civil, obras e meio ambiente

 


Visitando as instalações da DHN. Fotos Lucina Carneiro.
 
Niterói é sede de algumas das instalações mais importantes da Marinha do Brasil e contribuir para o desenvolvimento da cidade é uma prioridade para a Marinha do Brasil. E é para dar maior visibilidade ao trabalho, fazendo com que os cidadãos conheçam os projetos dessa força militar, que a Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN), localizada no Complexo Naval da Ponta da Armação, no bairro Ponta D’Areia, será parceira da prefeitura na implementação de projetos nas áreas de defesa civil, meio ambiente e meteorologia.

Uma das preocupações dos militares, de acordo com o capitão-de-mar-e-guerra, Alexey Bobroff Daros, é a respeito da contenção de uma encosta localizada na Rua São Paulo, próxima da base naval, em terreno da União. A Marinha entregou a dirigentes da Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento (Emusa) um projeto já pronto para a construção de um muro de contenção no local para evitar deslizamentos, que está sendo avaliado pelos engenheiros.

Conhecendo antiga embarcação de madeira utilizada no passado para transporte de passageiros. Uma bela relíquia. Foto Luciana Carneiro.


Na quarta-feira (16.12), durante a visita do vice-prefeito Axel Grael, juntamente com o secretário municipal de Obras, Vicente Temperini, à base militar, a parceria entre a prefeitura e a Marinha foi decidida e será posta em prática por meio de um termo de cooperação técnica. Grael conheceu detalhes do projeto de contenção e também de outra ação da Marinha no bairro, o reflorestamento do Morro da Penha, que já está sendo executado.

“A Marinha é uma instituição da maior importância dentro de Niterói. Nesta base existem recursos na área de cartografia do Brasil inteiro. Temos o orgulho de sediar esse serviço na nossa cidade. Há uma convergência de interesses em vários aspectos. Niterói, por exemplo, tem como prioridade o reflorestamento do Morro da Penha, justamente onde a Marinha já começou a fazer esse trabalho. Também conversamos sobre cooperação em obras de drenagem e de contenção de encostas. Um outro aspecto da maior importância é o setor de meteorologia, cujos dados podem subsidiar a nossa Defesa Civil. Acho que a união de esforços é benéfica para as duas partes”, afirmou Axel Grael.

O comandante Alexey Bobroff Daros disse que a sociedade niteroiense será beneficiada pela parceria.

“Nesta parceria da Marinha com a Prefeitura de Niterói, tenho certeza absoluta que quem vai ganhar é a sociedade, os moradores da cidade que vão poder usufruir de projetos de dois poderes públicos de esferas diferentes, mas com o mesmo objetivo, que é contribuir para melhorar a cidade. Nós temos aqui um interesse comum com relação à Rua São Paulo, e o risco de deslizamentos, que é uma responsabilidade da Marinha e da prefeitura. Nós estamos unindo esforços para o bem dos moradores”, disse o comandante.


Cmte Daros mostra as áreas que estão sendo reflorestadas pela Marinha.

Vice-prefeito Axel Grael mostra para oficiais o planejamento da Prefeitura para as áreas verdes da cidade, os estudos que foram desenvolvidos sobre os efeitos das queimadas no Morro da Penha e os planos de reflorestamento das encostas de Niterói.


Axel Grael também apresentou aos militares o programa Niterói contra as Queimadas, elaborado em 2014, e que aponta uma série de medidas de prevenção contra incêndios em vegetação. O vice-prefeito mostrou que a cobertura vegetal do Morro da Penha foi estudada detalhadamente tendo como base a nova base cartográfica de Niterói, elaborada em 2014, feita a partir de ortofotos de alta resolução e mapeamento aéreo em 3D.

Na ocasião da visita à Base Naval, o vice-prefeito e o secretário de obras aproveitaram a presença do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico "Vital de Oliveira", da Marinha, onde fomos recebidos pelo comandante do navio, o Capitão de Fragata Aluizio Maciel de Oliveira Junior.


A bordo do "Vital de Oliveira, ouvindo explicações do Cmte Aluizio de Oliveira Junior. Foto Luciana Carneiro.
 
 
O navio "Vital de Oliveira" é um dos mais modernos navios de pesquisa oceanográfica do mundo e leva a bordo tripulação e equipes de pesquisadores civis e militares. O navio entrou em operação recentemente (julho de 2015) e teve, como uma das suas primeiras missões, estudar os impactos da lama da mineradora Samarco que chegou ao oceano atlântico após trágica destruição do Rio Doce.

Fonte: ASCOM Vice-Prefeitura




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.