sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

NITERÓI CIDADE DA VELA - I Copa Brasil de Vela Jovem é oportunidade inédita para a juventude da modalidade competir ao lado de atletas de alto rendimento


Samuel Albrecht e Isabel Swan.


Iniciativa da CBVela de criar a competição dá continuidade ao trabalho de investimento nas categorias de base e detecção de novos talentos

Não é todo dia que jovens velejadores têm a oportunidade de competir ao lado de grandes nomes da vela brasileira e internacional. Foi pensando em proporcionar aos novos talentos a chance de convívio com nomes como Robert Scheidt que a Confederação Brasileira de Vela (CBVela) criou a Copa Brasil de Vela Jovem. A competição, com sede na Praia de São Francisco, em Niterói (RJ), está sendo realizada na Baía de Guanabara ao mesmo tempo em que a III Copa Brasil de Vela, campeonato que já se tornou o maior evento da vela olímpica na história do país.

“Nossa ideia, desde o início, era a de trazer os jovens para conviverem de perto com nossos velejadores da equipe olímpica. Por isso, a CBVela trabalhou para realizar os dois eventos juntos. Acho que está cumprindo o objetivo, eles estão vendo grandes nomes da vela competindo, como se comportam. Esse intercâmbio é bom para os jovens verem que é possível chegar ao alto rendimento. Todos estão satisfeitos com este convívio”, afirmou o Diretor Técnico da Vela Jovem, Alexandre Paradeda.

A I Copa Brasil de Vela Jovem conta com 49 atletas divididos nas classes RS:X masculina e feminina, Laser Radial masculina e feminina, 29er masculina e feminina e 420 masculina e feminina. Nas duas primeiras, os jovens atletas têm a oportunidade de velejarem ao lado dos grandes nomes da modalidade. As outras duas são classes específicas das categorias de base.

Uma das jovens revelações que está tendo a oportunidade de velejar ao lado de grandes nomes da classe Laser é Martin Lowry, de 19 anos. “É uma experiência única. A oportunidade de ter os melhores do mundo velejando ao seu lado é rara. Lógico que o nível é muito maior, mas só de poder olhar o que eles fazem já é um baita privilégio. Estar perto do Scheidt é incrível e até consegui velejar junto dele. Somos do mesmo clube e trocamos ideias”, disse Lowry, que foi velejador da Laser Radial na Vela Jovem e disputou quatro mundiais.

Outro destaque do Brasil é Rodrigo Luz, que veleja na classe 420 ao lado de Leonardo Lombardi. A dupla está convocada para disputar o Mundial da Juventude em Langkawi, na Malásia, entre os dias 27 de dezembro e 3 de janeiro. “É o campeonato mais importante para os jovens e a expectativa está muito grande. Aqui está sendo um grande aprendizado e estamos vendo o nível de profissionalismo da vela. É muito legal ver como cada um age nas diversas classes, como é a preparação física, mental e dos barcos”, comentou Luz.

Em 2015, a CBVela realizou 11 clínicas, nas mais diversas classes, em cinco estados (Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia) e no Distrito Federal, proporcionando uma inédita pluralidade nas ações da Vela Jovem. A confederação apoiou a participação dos velejadores em seis competições internacionais, ajudou na organização da Copa da Juventude, em São Paulo, e irá custear a ida dos atletas para o Mundial da Juventude.

RESULTADOS COPA BRASIL DE VELA

Na disputa da Copa Brasil de Vela, Bruno Fontes assumiu a terceira posição na classe Laser, com 49 pontos perdidos. Robert Scheidt caiu para quarto, com 50. A liderança é do croata Tonci Stipanovic, com 34. Na Finn, Jorge Zarif é o quinto, com 32. O líder é o britânico Giles Scott, com 11. Quem também está na quinta posição é a dupla Marco Grael e Gabriel Borges, na 49er. Eles somam 60 pontos perdidos. Em primeiro estão os britânicos John Pink e Stuart Bithell, com 43.

Nas classes com a disputa da vaga olímpica em aberto na Equipe Brasileira de Vela, a competição segue bem acirrada. Na Nacra 17, João Bulhões e Gabriela Nicolino estão em oitavo, com 83 pontos perdidos, enquanto Samuel Albrecht e Isabel Swan estão em décimo, com 86. Mesmo assim, a segunda dupla, pelo resultado obtido no Sul-Americano, na semana passada, segue em vantagem. Quem lidera são os australianos Jason Waterhouse e Lisa Darmanin, com 61.

Na 470 masculina, Henrique Haddad e Bruno Bethlem ultrapassaram Geison Mendes e Gustavo Thiesen. A primeira dupla está em 12º, com 71 pontos perdidos, enquanto os adversários estão em 16º, com 74. O primeiro lugar é dos australianos Matthew Belcher e Will Ryan, com 15 pontos perdidos.

Na 49erFX, Martine Grael e Kahena Kunze estão em sexto, com 59 pontos perdidos. A liderança é das espanholas Tamara Echegoyen e Berta Betanzos, com 33. Na RS:X feminina, Patricia Freitas está em sexto, com 59 pontos perdidos. A chinesa Chan Hei Man assumiu a ponta, com 37 pontos perdidos.

Na 470 feminina, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan estão em oitavo, com 48 pontos perdidos. A liderança é das britânicas Hanna Mills e Saskia Clark, com 21. Na Laser Radial, Fernanda Decnop está em 16º, com 82 pontos perdidos. O primeiro lugar está com a belga Evi van Acker, com 20 pontos perdidos. Na RS:X masculina, Ricardo Winicki, o Bimba, é o 17º, com 147 pontos perdidos. O líder é o holandês Dorian Van Rijsselberge, com 37.

A Copa Brasil de Vela prossegue neste sábado com as últimas regatas da fase de classificação. As disputas estão previstas para começar a partir das 13h (de Brasília).

A III Copa Brasil de Vela é organizada pela CBVela e conta com patrocínio da Prefeitura de Niterói, Bradesco e Governo do Estado do Rio de Janeiro.

SERVIÇO:

Datas: 15 a 20 de dezembro
Local: Praia de São Francisco, Niterói (RJ)
Horário: as regatas estão programadas para começar diariamente às 13h, incluindo domingo, dia das regatas da medalha, dependendo das condições de vento
Barco de imprensa: sai diariamente às 12h
Raias: a comissão de regata selecionou as raias dos Jogos Olímpicos para a competição

Site oficial: http://www.copabrasildevela.com.br/
Fonte: CBVela


---------------------------------------------

LEIA TAMBÉM:

MARTINE E MARCO, OS IRMÃOS QUE TENTAM MANTER A TRADIÇÃO DOS GRAEL
NITERÓI CIDADE DA VELA - Copa do Brasil de Vela definirá as duas últimas vagas olímpicas
NITERÓI CIDADE DA VELA - III COPA BRASIL SE TORNA O MAIOR EVENTO DE VELA OLÍMPICA NA HISTÓRIA DO BRASIL
NITERÓI CIDADE DA VELA - Sol intenso não desanima velejadores no primeiro dia de competições da III Copa Brasil de Vela
III Copa Brasil de Vela dá início à definição da Equipe Brasileira para os Jogos Olímpicos







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.