domingo, 12 de junho de 2016

CULTURA EM NITERÓI: MAC reabre nesta quinta-feira


Reabertura do MAC marca o lançamento do programa ‘MAC+20. Marcelo Feitosa


Espaço idealizado por Oscar Niemeyer passou por obras de R$ 7 milhões para se tornar mais sustentável e oferecer inovações

Símbolo de Niterói, patrimônio nacional e uma das maravilhas arquitetônicas do mundo, o Museu de Arte Contemporânea (MAC), localizado no mirante da Boa Viagem, na Zona Sul da cidade, será reaberto oficialmente na próxima quinta-feira, 16 de junho, às 18h. As obras de reestruturação, que custaram cerca de R$ 7 milhões, já estão concluídas e a brilhante criação do renomado arquiteto Oscar Niemeyer voltará a ser visitada pelo público.

Na ocasião, serão inauguradas três exposições: “Ephemera: Diálogos Entre-Vistas”, “A Arte de Contar Histórias”, e “Da Escuta da Matéria aos Escombros do Ser”, além de um show com o consagrado saxofonista Léo Gandelman. As mostras poderão ser visitadas pelo público a partir da sexta-feira (17).

Os visitantes vão encontrar um museu mais sustentável e com inovações, que incluem um sistema de ar condicionado, impermeabilização da cobertura do prédio, limpeza e pintura da fachada e da rampa, assim como a troca de carpete dos salões expositivos, seguindo as normas do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), já que o monumento foi tombado.

O material tem toda a especificação, entre espessura e cor, de acordo com o projeto original do arquiteto. Novos vidros também foram colocados na fachada do museu, assim como placas trilingues em locais estratégicos, que indicam todos os ambientes existentes no museu aos visitantes, orientando-os no passeio.

O espelho d’água, que antes tinha refletores fora do lago, também voltará ao projeto original assinado pelo lighting designer Peter Gasper. Cerca de 109 luminárias de LED, que representam uma economia de energia elétrica de 80%, foram instaladas na parte interior do lago. Deste total, 36 lâmpadas serão coloridas e programadas, gerando efeitos como o do Cristo Redentor, que recebe iluminação especial de acordo com cada evento.

Após subir a rampa, o visitante irá encontrar, no primeiro andar do museu, uma nova recepção, onde funcionará o espaço de orientação aos frequentadores e a bilheteria. O espaço foi reformulado, com uma parede fictícia de madeira, separando o espaço da administração, e uma loja de souvenir. Ao subir para o último andar, onde será a entrada para as exposições, serão instaladas roletas, que controlarão o acesso dos visitantes.

A reabertura do MAC marca também o lançamento do programa ‘MAC+20’, com exposições que ressaltam a importância e potência histórica da Coleção MAC Sattamini e, simultaneamente, celebram novas perspectivas curatoriais, através de colaborações nacionais e internacionais.

Esta nova fase do MAC Niterói está sendo construída também pela busca e esforços coletivos por uma nova visão colaborativa. O circuito de atividades integradas é parte desta perspectiva MAC+20, unindo curadoria e educação pelas instituições do bairro da Boa Viagem, incluindo o Solar do Jambeiro, o Museu Janete Costa de Arte Popular e o Museu do Ingá, por exemplo. Neste sentido, estarão sendo integrados os programas curatoriais e pedagógicos das exposições, com práticas artísticas, educativas, ambientais e sociais, como um Laboratório de Futuros da Boa Viagem.

O MAC, inaugurado em 1996 para abrigar a importante coleção MAC João Sattamini, é um museu especialmente inspirado pela paisagem e arquitetura visionária de Oscar Niemeyer e, como tal, se assume como estrutura viva de processos e metas em contínua transformação.

Assim, os estudos curatoriais sobre a coleção são geradores de exposições temporárias sempre renovando leituras e sentidos da história do mundo hoje pelo encontro com a sociedade. A reinauguração do museu celebra ainda a renovação do contrato de comodato, através do qual Sattamini continua com suas obras de arte no museu.

Visitantes poderão conferir três mostras que reinauguram o espaço

Três mostras reabrem o MAC, formando um único programa curatorial de integração, colaboração e diálogo com a arquitetura do museu.

- Ephemera: Diálogos Entre-Vistas, da Coleção MAC e João Sattamini, tem curadoria de Luiz Guilherme Vergara, diretor do museu, e reúne obras de nomes importantes da arte contemporânea brasileira a partir dos anos 1950 – Anna Bella Geiger, Antonio Dias, Cristina Salgado, Jorge Guinle Filho, Lygia Clark, Nelson Leirner, Rubens Gerchman, Victor Arruda e Tunga (falecido no último dia 6 de junho). Três participações especiais completam a mostra: Ricardo Basbaum e Daniela Mattos, além do artista visual Daniel Leão, com o vídeo que reúne entrevistas do projeto “Amor Pela Arte”.

- A Arte de Contar Histórias, da curadora norueguesa convidada Selene Wendt, segue a perspectiva de diálogos vivos entre exposições, arquitetura e sociedade, reunindo artistas brasileiros e estrangeiros inspirados pelas grandes obras literárias latinoamericanas e universais. São 22 artistas ao todo. A mostra acontecerá simultaneamente no Museu Janete Costa, localizado a poucos metros do MAC, com instalações, objetos, vídeos e poesia visual. Destacam-se a videoinstalação “Três Telas, Nós e não Nós”, de Sérgio Bernardes e Guilherme Vaz, no salão principal do MAC, explorando as múltiplas faces da cultura brasileira; e a escultura “Cicleprototemple”, de Ernesto Neto, um coração com tambores acolhendo os visitantes como participantes das pulsações de um museu vivo.

- No pátio principal do MAC, será instalada a mostra Da Escuta da Matéria aos Escombros do Ser, do artista sonoro Marcelo Armani. Uma instalação sonora site specific, que parte inicialmente do conceito de silêncio proposto nas pesquisas e nas obras do compositor norte americano John Cage. A instalação é composta por mobiliário escolar (cadeiras), carcaças metálicas de alto-falantes (equipamentos sem membrana de papel) e bases de concretos. As cadeiras são fixadas às bases, cobrindo 1/3 da altura do móvel. O público interage com a obra, que tem o objetivo de alterar a paisagem e o cotidiano do pátio do MAC, promovendo um diálogo entre os visitantes. Exposição baseada no edital da FAN.

Fonte: O Fluminense








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.