domingo, 11 de maio de 2014

Acertos finais: Transoceânica a um passo de virar realidade



A matéria do jornal O Fluminense expressa bem o bom andamento do projeto de implantação da TransOceânica (maior intervenção de mobilidade na cidade de Niterói), afastando informações equivocadas que certas "centrais de boatos" insistem em espalhar.

Cabe retificar que a responsabilidade para a emissão da Licença é do INEA, órgão ambiental do Estado, não do órgão municipal. Portanto, as manifestações (dúvidas ou críticas) devem ser apresentados ao INEA e não à Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMARHS), como afirma a matéria.

Axel Grael

----------------------------------------------------------

Acertos finais: Transoceânica a um passo de virar realidade
Segundo Axel, agora é a fase de ouvir como a população quer contribuir. Foto: Arquivo/Débora Nunes


Leonardo Sodré

Segundo o vice-prefeito, Axel Grael, licença ambiental para construção deve sair até o mês de agosto. Investimento é um dos mais aguardados pela população de Niterói

A licença ambiental para a construção da Transoceânica está em fase final de concessão. O estudo de Impacto Ambiental (EIA) foi analisado pela Comissão Estadual de Controle Ambiental (Ceca) do Inea (Instituto Estadual do Ambiente) que deu parecer favorável à viabilidade do projeto. Falta apenas uma avaliação definitiva pela comissão do Inea que será feita depois da fase de participação popular, que inclui a realização de uma audiência pública no próximo dia 3. De acordo com o vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, a expectativa é de que até agosto todo o trâmite legal já esteja concluído.

“Nós já estamos nos 40 minutos do segundo tempo. Fizemos um estudo de impacto ambiental consistente. São mais de mil páginas. É o maior estudo do tipo já feito na história da cidade. Ele foi analisado pelo Ceca que o avaliou como viável. Agora, entraremos na fase de ouvir a população e recolhermos toda a contribuição possível para que a decisão definitiva seja dada pelo órgão ambiental. Pela qualidade do estudo que fizemos, acredito que nós teremos a licença no prazo de, no máximo, até agosto”, disse Axel.

Obras da Transoceânica incluem corredor BHLS, túnel Charitas-Cafubá. Divulgação

Intervenções também incluem ponto de interligação com a estação Charitas. Divulgação


O resultado positivo da primeira avaliação da Ceca foi confirmado na última segunda-feira em reunião no Inea. A população poderá, agora, dar a sua contribuição ao projeto. No próximo dia 3, a audiência pública na Câmara servirá para a divulgação do estudo e para a elucidação de possíveis dúvidas. Depois disso, questionamentos sobre o projeto poderão ser enviados ao órgão municipal de meio ambiente (*) no prazo de dez dias para que sejam respondidos e inclusos no texto final que seguirá novamente para a avaliação e decisão final da Ceca.

“A gente tem uma prática de muito debate com a sociedade. Já fizemos uma audiência pública sobre o impacto ambiental do projeto, independente do que é exigido pelo trâmite do licenciamento. Esse projeto tem muita importância para toda a cidade e esperamos contar com a participação e contribuição de todos. A expectativa em torno desta obra é grande. Quem mora na Região Oceânica espera por ela há muitos anos. O projeto que temos vai bem além do que era planejado anteriormente. Ele tem uma nova concepção de mobilidade que inclui via expressa, ciclovia e o BHLS (Bus with High Level of Service)”, pontua Axel.

Projeto – Aguardada há mais de 20 anos, a obra da Transoceânica inclui um corredor com sistema de transporte de alta performance - o BHLS - integração de modais, ciclovia e o túnel que vai ligar Charitas ao Cafubá, sem a cobrança de pedágio. A previsão é que as obras, orçadas em R$ 292 milhões, comecem no segundo semestre deste ano e sejam concluídas no primeiro semestre de 2016. A via terá 11,2 quilômetros de extensão – sendo que o túnel, com duas galerias, terá 1,3 quilômetro -, 13 estações, um ponto de interligação (Estação de Catamarãs de Charitas) para sete bairros e terá capacidade para transportar 78 mil passageiros por dia. De acordo com técnicos municipais, o percurso entre Charitas e Engenho do Mato será feito em até 25 minutos.

(*) OBS: A informação deve ser encaminhada ao órgão ambiental do Estado do Rio de Janeiro, o INEA, que é responsável pelo licenciamento ambiental.


Fonte: O Fluminense

------------------------------------------

LEIA TAMBÉM:
Prefeitura debate projeto da TransOceânica com moradores da Região Oceânica
INEA aceita o estudo de impacto da TransOceânica
TransOceânica: Projeto já foi entregue para a CEF. Obras começam no segundo semestre.
2014: o ano destinado as obras da TransOceânica
TransOceânica: entrevista do prefeito Rodrigo Neves ao BOM DIA RIO
TRANSOCEÂNICA: início de um novo tempo na mobilidade de Niterói
Vídeo: Apresentação da TransOceânica aos vereadores na Câmara Municipal de Niterói
Verena Andreatta detalha o projeto da TransOceânica
Prefeito Rodrigo Neves sanciona Lei da TransOceânica
TRANSOCEÂNICA: CÂMARA AUTORIZA PEDIDO DE EMPRÉSTIMO PARA MOBILIDADE URBANA
AXEL GRAEL E SECRETÁRIOS EXPLICAM PROJETOS DE MOBILIDADE NA CÂMARA DE VEREADORES
VLT Charitas-Centro: Prefeitura de Niterói avança na agenda da mobilidade sustentável





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael. Obrigado.