sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

PARQUE DA SERRA DA TIRIRICA: Lazer e aventura na natureza



Neste ano, 85.109 pessoas passaram pelas 13 trilhas abertas à visitação no parque. Só no mês de aniversário, o espaço recebeu 5.033 visitantes, um aumento de 22% em relação ao mesmo período do ano passado. Foto: Arquivo / Maurício Gil


David Tavares

Parque Estadual da Serra da Tiririca promove uma série de atividades e registra aumento no número de visitantes

O Parque Estadual da Serra da Tiririca, que é administrado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), além de ter celebrado 25 anos no final do mês de novembro, dia 29, comemora hoje também os bons números de visitantes que estiveram nos mais variados pontos do Parque em 2016. No total, esse ano, 85.109 pessoas passaram pelas 13 trilhas abertas à visitação na Serra. No mês de aniversário, o Parque recebeu 5.033 visitantes, um aumento de 22% em relação ao mesmo período do ano passado, que registrou 4.126 presentes.

De acordo com o diretor do Parque, Jhonatan Ferrarez, o número de eventos que o Parque proporciona ajuda na presença, e esse ano não foi diferente. “Esse é um parque que participa de muitos eventos. Só em 2016, foram mais de 50 eventos em que o parque se envolveu. Dentre eles, destaco a Semana do Meio Ambiente, lançamento do Guia de Trilhas do Peset, mutirões de plantio e limpeza do mangue de Itaipu, mutirões de manejo no Monte das Orações (Várzea das Moças) em parceria com a Preserv e os mutirões de manejo no Bananal em parceria com o Clube Niteroiense de Montanhismo (CNM), além do Vem Passarinhar Rio”, destaca Ferrarez, chamando ainda atenção para o evento que considera um dos mais interessantes. “O Vem Passarinhar além de ser uma atividade de lazer, dentro do conceito de mínimo impacto, também é positivo ao estimular o visitante a conhecer melhor o local onde ele mora ou visita, suas belezas naturais e a riqueza da fauna, no sentido de valorizar a região, o primeiro passo para busca”.


A sinalização das trilhas no parque foi aperfeiçoada, dando mais segurança aos frequentadores do espaço. Foto: Divulgação
 
 
Ainda de acordo com o diretor, a sinalização das trilhas foi aperfeiçoada, dando mais segurança aos frequentadores. Houve evolução também na área tecnológica. “Nossa unidade de conservação teve o Guia de Trilhas do Parque, bilíngue, lançado em impresso e aplicativo para iPhone. O guia também está disponível para download para todos no site do Inea. Além disso, o parque recebeu muitas placas de sinalização temporária em trilhas e atrativos. Destaco o roteiro turístico do Canto de Itaipu, como placas no entorno da Duna Grande e atrativos do entorno. Já foram aprovadas as placas de sinalização de acesso, que ficarão nas principais estradas que levam às trilhas do Parque”, explica.

A partir de 2017, algumas mudanças ocorrerão em alguns locais, como por exemplo a prática de rapel na Enseada do Bananal, localizada bem no meio das sinuosas rochas da Pedra do Elefante e do Costão de Itacoatiara, que terá uma atenção maior em termos de regulação. Assim também será o Costão de Itacoatiara, que terá o número de visitantes simultâneos regulados para 200.

Para a moradora de Itaipu e frequentadora do Costão, em Itacoatiara, há pelo menos sete anos, Ana Cláudia Maia, de 25 anos, a cada ano as condições do local melhoram. Ela afirma que estar ali faz bem ao corpo e à mente. “Venho sempre ao Costão desde os 18 anos e aqui melhorou muito, a sinalização, principalmente. A gente se sente seguro, isso é importante para relaxar de fato. Gosto muito”, declara.

As trilhas mais visitadas são a de acesso ao Costão de Itacoatiara e da Enseada do Bananal, além da trilha do Monte das Orações, as duas últimas no Setor Serra da Tiririca. “A gestão de uma unidade de conservação só é possível com a parceria de todos, por isso é importante cada um fazer a sua parte”, finaliza Ferrarez.  


Fonte: O Fluminense





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.