domingo, 5 de março de 2017

RENATURALIZAÇÃO: Técnica usada pela 1ª vez no Brasil faz rio no ES voltar a ter vida


Comentário de AXEL GRAEL:

NITERÓI TAMBÉM FARÁ A RENATURALIZAÇÃO DE UM RIO - O RIO JACARÉ

O Projeto Renaturalize, que está sendo desenvolvido no Rio Mangaraí, em Santa Leopoldina, Região Serrana do Espírito Santo, é de fato uma experiência pioneira no Brasil. Como a prática está chegando ao país com atraso de décadas (a Alemanha e outros países europeus já adotam há anos), precisamos de boas experiências práticas, como os capixabas poderão proporcionar.

Niterói também prepara-se para dar início a uma experiência similar e também pioneira, por realizar-se num rio urbano, na Região Oceânica da cidade, que será desenvolvido em parceria com a Universidade Federal Fluminense. A iniciativa integra o Programa Região Oceânica Sustentável - PRO-SUSTENTÁVEL.

Para o seu desenvolvimento, a Prefeitura de Niterói convidou especialistas estrangeiros para ajudar na concepção do programa e dedica-se agora a desenvolver o plano de ação para a sua execução.

Saiba mais sobre a Renaturalização do Rio Jacaré:


Saiba mais sobre o PRO-Sustentável:

PRO-SUSTENTÁVEL: Niterói prioriza projetos sustentáveis para a Região Oceânica
PRO-SUSTENTÁVEL: Missão de banco internacional dá início ao Programa Região Oceânica Sustentável
PRO-SUSTENTÁVEL: Ciclovia ligará Itacoatiara a Charitas, via lagoas oceânicas
PRO-SUSTENTÁVEL: Região Oceânica tem garantidos R$ 350 milhões para sustentabilidade e melhorias de infraestrutura
PROGRAMA REGIÃO OCEÂNICA SUSTENTÁVEL - Senado aprova financiamento de R$ 350 milhões da CAF para Niterói
PRO-SUSTENTÁVEL: Prefeitura de Niterói conclui o processo de negociação do contrato para projeto de infraestrutura e meio ambiente
PIRATININGA E ITAIPU - Gestão integrada para salvar lagoas de Niterói



-----------------------------------------------------------------


Técnica usada pela 1ª vez no Brasil faz rio no ES voltar a ter vida

Troncos reduzem velocidade do rio, aumenta infiltração e retém sedimentos. Em 1 ano, a quantidade de peixes aumentou 80% no Rio Mangaraí.




Troncos de eucaliptos estão ajudando a trazer mais vida para um rio importante do Espírito Santo. A técnica usada no Brasil pela primeira vez já aumentou em mais de 80% a quantidade de peixes. É a natureza se recuperando através da própria natureza, no Rio Mangaraí, que fica em Santa Leopoldina, na região Serrana do estado.

Os resultados começaram a aparecer quase um ano após o início do projeto Renaturalize, em um trecho de 200 metros do Rio Mangaraí, que é um dos principais afluentes do Rio Santa Maria da Vitória, que abastece a Grande Vitória.

O projeto é pioneiro em todo o país e na América latina. A tecnologia foi trazida da Inglaterra, após uma aplicação bem sucedida nos afluentes do Rio Tâmisa.

A técnica, basicamente, consiste na colocação dos troncos em pontos do rio. Os troncos amarrados com cabos de aço formam redutos. A estrutura conseguiu reduzir a velocidade da água, o que permite uma infiltração maior no lençol freático.


Técnica usa troncos de eucalipto para reduzir a velocidade do rio (Foto: Reprodução/ TV Gazeta).


Outra vantagem, além de oxigenar a água, é que os troncos também ajudam a reter os sedimentos que descem o rio e que assoreiam não só o afluente, mas também o rio principal. Os troncos conseguem segurar este material. Em um ponto do Rio Mangaraí, em dez meses foram retiradas 67 toneladas de sedimentos.

O projeto também permitiu um aumento da biodiversidade no rio. Nos remansos formados pelos troncos ficam acumuladas folhas e, com o tempo, um lodo se forma no local. Tudo isso se transforma em alimentos para a fauna, que aproveita o local para se recuperar da correnteza.

Antes da técnica, o fundo do rio era todo homogêneo, o que é nocivo, é como se fosse uma floresta de uma espécie só, então poucos animais sobreviviam nesse ambiente. Com a madeira, formam-se lugares com ramas, cascalho, o que cria maior heterogeneidade, e logo, maior biodiversidade.

A comunidade foi envolvida no processo, aprenderam a instalar a madeira. Crianças da escola da região fizeram visitas para aprender os benefícios da madeira dento do rio, tiveram aula prática e desenho, concurso de redação, a intenção é que eles cuidem do espaço no futuro.

A cientista ambiental Carolina Pinto explica a importância dos troncos. "Quando você tem o desmatamento, quando você tem a perda dessas características naturais, essas curvas naturas do rio também se perdem. Então quando você coloca esses elementos naturais de volta no canal, você está trazendo de volta essas curvas, que são os meandros do rio", disse.

Rio Mangaraí em Santa Leopoldina, na região Serrana do Espírito Santo (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Meio Ambiente

Devido aos bons resultados, o projeto Renaturalize pode vir a ser adotado em outros rios capixabas, como explica o secretário de Meio Ambiente, Aladim Cerqueira. Por enquanto já se sabe, segundo ele, que a técnica é aplicável em outros rios, principalmente nos afluentes. O que foi feito em 200 metros do rio trouxe resultados muito bons, em um projeto de baixo custo.

Em paralelo, segundo Aladim, começam a ser implantados no início do próximo ano outros projetos, com recursos do estado e do banco mundial. dentre eles a construção de 200 quilômetros de estradas pavimentadas com um tipo de pavimentação que não lança sedimentos nos rios.

Também serão construídas 12 mil caixas secas e reflorestados mil hectares. Haverá a construção de fossas para evitar o lançamento de esgoto no rio e o treinamento dos produtores em manejo sustentável do solo. Haverá ainda uma gestão do cadastro ambiental rural. Outros projetos financiados pelo governo do estado vão iniciar em 2017.

Fonte: G1 



----------------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

Centro-Oeste de MG receberá obras de revitalização do Rio São Francisco
PRO-SUSTENTÁVEL: medidas para salvar a Lagoa de Piratininga








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.