segunda-feira, 20 de março de 2017

Regras serão criadas para coibir uso de cavalos em vias urbanas de Niterói



Jovem cavalga livremente pela Rua Presidente Pedreira, no Ingá - Barbara Lopes / Agência O Globo


Leonardo Sodré

Animais estariam sendo utilizados até como moeda de troca por jovens de favelas

NITERÓI - Virou cena comum em Niterói ver jovens cavalgando entre os carros pelas ruas do Centro e da Zona Sul. A incidência é ainda maior em locais próximos a favelas, onde a prefeitura identificou que o uso de cavalos para o transporte e lazer tem crescido entre adolescentes, levando risco ao trânsito e colocando os animais em situação de vulnerabilidade. Para frear esse aumento, a Coordenação Especial dos Direitos dos Animais do município está elaborando uma nova legislação, com regras que proíbem menores de comercializar cavalos e autorizam a Secretaria de Ordem Pública a recolher animais soltos.

— Tem crescido muito, entre os jovens de favelas, o uso de cavalos. É um meio de transporte que pode parecer até romântico, mas não é adequando para a cidade, pois é perigoso para os jovens e para os animais. O que vamos fazer é diminuir a facilidade que eles estão encontrando para adquirir esses animais, que são comprados em feiras e até servem como moeda de troca nas comunidades. Vamos identificar de onde estão vindo esses animais, e a nova legislação nos permitirá agir com maior eficiência — explica Daniel Marques, que assumiu a coordenadoria especial no último dia 9.

O problema causado por animais soltos nas ruas tem preocupado moradores. No mês passado, uma reportagem no site do GLOBO-Niterói mostrou um cavalo machucado e desnutrido abandonado na Rua Doutor Celestino, no Centro. A situação do animal comoveu os pedestres , que se mobilizaram pelas redes sociais para ajudá-lo. O pedido de socorro chegou a um veterinário. Ele foi voluntariamente ao local, prestou os primeiros-socorros ao animal e conseguiu abrigá-lo num sítio em Maricá. Segundo testemunhas, o cavalo teria sido abandonado por um jovem do Morro do Estado. Na última quarta-feira à tarde, um adolescente cavalgava na Rua Presidente Pedreira, no Ingá. Quando viu que estava sendo fotografado, fez questão posar.

Vice-presidente do Centro Comunitário de São Francisco (CCSF), Marinice Machado diz que o bairro tem sofrido com a frequência dos animais nas ruas:

— Mês passado, vários cavalos ficaram vagando no bairro por cerca de 20 dias, sem que qualquer providência fosse tomada. E não é a primeira vez que isso ocorre. Estamos fartos de ver a falta de ação em relação ao abandono e aos maus-tratos. Esses jovens espancam os bichos, chutam e sujam os animais quando se recusam a fazer o que eles querem. Durante o carnaval, quase ocorreu uma tragédia com um ônibus cheio de passageiros que freou em cima de um cavalo na rua do canal (Avenida Presidente Roosevelt).

De acordo com Marques, o recolhimento dos animais atualmente não surte efeito porque, quase sempre, o dono aparece para recuperá-lo e depois os abandona de novo. Ele enfatiza que a legislação, que deve chegar à Câmara até maio, permitirá o recolhimento do animal, mesmo nestes casos, e anuncia que o município comprará uma carroceria para facilitar o resgate. O coordenador explica que fará um cadastro com lugares adequados, em Niterói ou em municípios vizinhos, para recebê-los.





-----------------------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

DEFESA DOS ANIMAIS: Nova Coordenadoria dos Direitos dos Animais vai ampliar a política de proteção em Niterói
Niterói publica a LEI MUNICIPAL DE PROTEÇÃO E BEM ESTAR DE ANIMAIS DOMÉSTICOS (Lei Nº 3153 de 21 de julho de 2015)
Nova LEI MUNICIPAL DE PROTEÇÃO E BEM ESTAR ANIMAL - Regras mais rígidas para proteger animais em Niterói 
PROTEÇÃO ANIMAL: Centro de Castração de Animais perto de iniciar atendimentos
Horto do Fonseca terá centro da Prefeitura para a castração gratuita para animais
CENTRO DE CONTROLE E PROTEÇÃO ANIMAL DE NITERÓI ESTÁ QUASE PRONTO
Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos entra em reta final de construção












Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.