segunda-feira, 16 de outubro de 2017

PARQUES EM MARYLAND: Infraestrutura para áreas brejosas e instrumentos de conservação



Retornei recentemente de uma viagem ao estado americano de Maryland, onde cumpri uma agenda técnica de busca de parcerias para a cidade de Niterói, aproveitando do fato de que sou o presidente do Comitê Rio de Janeiro-Maryland, da organização Companheiros das Américas (Partners of the Americas) e que a Niterói possui um acordo de cidades irmãs, com Annapolis, capital do estado de Maryland.

Dentre os compromissos cumpridos na recente viagem estiveram:
  • LIXO NA BAÍA DE GUANABARA: apresentei a palestra "Niterói and Project Grael contribution to the control of pollution and marine debris at Guanabara Bay, Rio de Janeiro, Brazil", no evento WASTECON® 2017, promovido pela International Solid Waste Association (ISWA) e pela Solid Waste Association of North America (SWANA), realizado em Baltimore, Maryland (EUA). O evento reuniu milhares de especialistas em gestão de resíduos sólidos de muitos países, que na ocasião apresentaram novas tecnologias, equipamentos, procedimentos, políticas públicas e soluções para a gestão do lixo. 
  • RESTAURAÇÃO DE RIOS: visitei projetos de recuperação de rios desenvolvidos por órgãos locais e obtive informações sobre a legislação e políticas públicas para a promoção destes trabalhos.
  • ANNAPOLIS SAILBOAT SHOW: com uma delegação de Niterói, participamos com um stand do maior evento do mundo dedicado e veleiros. Na ocasião, divulgamos a campanha "Niterói Cidade Campeã da Vela", que tem o objetivo de promover a vocação náutica da cidade, atrair investimentos e promover o turismo náutico.
  • INFRAESTRUTURA DE PARQUES URBANOS: visita ao Bladensburg Waterfront Park, administrado pela Maryland-National Capital Park and Planning Comission - M-NCPPC. O Parque Blandensburg faz parte do conjunto de esforços para a recuperação dos ecossistemas do Rio Anacostia.
  • JUG BAY NATURAL AREA: Também visitei o Jug Bay Natural Area, localizado no Rio Patuxent, para me atualizar sobre o trabalho que acompanho há alguns anos de gestão de uma área de wetlands, de gestão da biodiversidade e monitoramento de aves migratórias. 
O principal objetivo das duas últimas atividades (Infraestrutura de Parques e Jug Bay) foi verificar a experiência de implantação de uma infraestrutura de trilhas para caminhadas e para bicicletas e o trabalho de manejo de áreas úmidas em Jug Bay, visando obter subsídios para os investimentos na Região Oceânica, através do programa PRO-Sustentável, desenvolvido pela Prefeitura de Niterói.

ANACOSTIA WATERFRONT INITIATIVE

O Rio Anacostia é um dos marcos da paisagens de várias cidades, particularmente de Washington, DC, onde constitui-se, junto com o Rio Potomac, a moldura do National Mall, que concentra a Casa Branca e o centro administrativo do país (muitos órgão da administração federal e museus estão lá), sendo também a principal atração turística da cidade.

No século 18, o Rio Anacostia era um porto muito ativo e que sustentava uma comunidade próspera e vibrante. No século 19, o porto começou a perder movimento devido ao assoreamento e perda de calado para os navios. A região começou a conviver com o problema das inundações.

Na década de 1950, o Corpo de Engenheiros do Exército (US Army Corps of Engineers) começou a implementar obras de prevenção de enchentes, com as intervenções típicas da época: dragagem, retificação e canalização.

Em 2003, um grupo de 20 agências governamentais - federais, do governo do Distrito de Columbia (onde localiza-se a capital dos EUA, Washington) e de Maryland (M-NCPPC), assinaram um Memorando de Entendimento com o objetivo de proteger e valorizar a orla do Rio Anacostia. Foi aprovado um Plano Diretor que estabeleceu as prioridades e os compromissos de cada instituição envolvida. 

Uma das prioridades, passou a ser a recuperação ambiental do Rio Anacostia, com a restauração das áreas úmidas e as várzeas do rio. Portanto, uma das providências foi a retirada das estruturas de concreto que canalizavam o rio. Outra prioridade foi implantar uma infraestrutura de parques e trilhas.

Desde o início dos trabalhos, já foram investidos mais de US$ 1,8 bilhões em verbas federais e do Distrito de Columbia. Também foram aportados US$ 7 bilhões em recursos privados. Estima-se que os investimentos gerarão um aumento de arrecadação tributária somente para o Distrito de Columbia da ordem de US$ 1,5 bilhão/ano.

Merece destaque o trabalho realizado pela organização Anacostia Watershed Society, que por 25 anos pressionou os órgãos públicos para que revertessem o processo de degradação do Rio Anacostia.


BLADENSBURG WATERFRONT PARK

O Parque de Blandensburg surgiu da revitalização de uma marina que existiu até que fosse inviabilizada pela falta de calado no Rio Anacostia. O US Corps of Engineers, que vinha mantendo o rio dragado deixou de fazê-lo e, com a Anacostia Initiative, houve uma ressignificação de toda a área e a prioridade passou a ser a recuperação dos ecossistemas e da saúde ambiental do rio.

Em 1996, a antiga marina foi substituída pelo parque, que passou a contar com outro tipo de infraestrutura náutica (docas flutuantes), um centro de visitantes, trilhas e ciclovias. O parque foi aberto ao público em 2000 e, em 2005, uma ponte para pedestre e bicicletas uniu os dois lados do rio.

Hoje, o parque é um dos principais pontos de visitação, com uma programação para escolas, para deficientes físicos e é o ponto de partida para atividades de canoagem e tours guiados pelo rio. 



Nas duas fotos acima, a Waterfront Trail, construída margeando o Rio Anacostia e passando sob o viaduto da Estrada de Ferro da AMTRAK. Fotos Axel Grael.

Rio Anacostia, em processo de recuperação ambiental. Foto Axel Grael.

Local onde existia um lixão na área da várzea do Rio Anacostia. A área foi descontaminada e recuperada como um wetland. Foto Axel Grael

Ciclovia da Waterfront Trail que contorna a área previamente recuperada do lixão. Foto Axel Grael.

Placa com estímulo "Adote um Parque", campanha da ONG Anacostia Watershed Society e do Departamento de Parques e Recreação do Condado de Prince George.

Grupo de técnicos dos órgãos gestores de Anacostia, agências públicas, da organização Companheiros das Américas (Maryland) e ambientalistas, que me acompanharam na visita ao rio Anacostia.


ANACOSTIA RIVERWALK TRAIL

O Riverwalk Trail é considerado a espinha dorsal do Waterfront Initiative, integrando os dois lados do rio, as comunidades locais e a malha cicloviária de ambas as margens, tanto no estado de Maryland, como no Distrito de Columbia (Washington).

A primeira parte da trilha foi entregue à população em março de 2012. Quando estiver pronta, a trilha terá 45 km (28 milhas).






As imagens acima foram obtidas na internet.

Guardadas as diferenças culturais, ecológicas e até orçamentárias dos órgãos públicos envolvidos com a realidade brasileira, a experiência do Anacostia é mais uma rica demonstração que a recuperação ambiental é factível e compensador.

Para viabiliza-lo, basta que a população expresse a sua vontade e que sejam implantados os mecanismos financeiros e legais para que os trabalhos aconteçam.

Axel Grael
Engenheiro Florestal
Secretário Executivo
Prefeitura de Niterói



-----------------------------------------------------------------------


LEIA MAIS SOBRE A AGENDA EM MARYLAND:











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael. Obrigado.