domingo, 22 de maio de 2016

TRANSOCEÂNICA: Túnel em fase final de perfuração



Escavações do Túnel Charitas-Cafubá, parte da TransOceânica, estão em reta final. Foto: Douglas Macedo


Pamella Souza

Previsão é que veículos já possam circular pelo local em dezembro deste ano

Após 40 anos, o niteroiense está mais próximo de ver uma das maiores obras de mobilidade já feitas na cidade sendo concluída. As escavações do Túnel Charitas-Cafubá, parte da TransOceânica, estão em reta final. Em apenas 10 meses, dois mil metros foram perfurados, mil em cada galeria. No total, faltam apenas 350 metros para serem perfurados em cada galeria até a segunda quinzena de junho. Para isso, 550 mil quilos de explosivos estão sendo utilizados desde julho do ano passado, quando foram iniciadas as obras, e, atualmente, são feitas de duas a três detonações por dia, a fim de agilizar a conclusão das obras. Nesta segunda-feira o prefeito Rodrigo Neves visitará o local para marcar os dois quilômetros de escavações.

Os 2,7 mil metros do túnel – 1.350 em cada uma das duas galerias – serão concluídos no próximo mês, quando já será possível atravessar a pé. Após a fase de acabamento e pavimentação, cerca de 15 câmeras serão instaladas em toda a extensão, sendo interligadas com o Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp). A previsão é que veículos poderão circular no local em dezembro deste ano.

De acordo com o diretor da Empresa Municipal de Moradia Urbanização e Saneamento (Emusa), Lincoln Silveira, até o mês que vem, cerca de 100 explosões ainda irão acontecer. “A rocha aqui é muito boa e isso possibilitou o avanço das obras em tempo recorde. Só tivemos dificuldade em um trecho que encontramos água, mas conseguimos retirar com segurança. Apenas uma parte do túnel tem uma rocha que esfarela, então só conseguimos avançar 1,5 metro a 2 metros por dia nesse trecho”, explicou o diretor, ressaltando que dois tipos de mármore foram encontrados durante as perfurações, o branco e o preto.

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, contou que esta é a obra de infraestrutura e mobilidade mais importante da cidade.

“Mesmo num cenário de crise geral, nós estruturamos um plano estratégico que está sendo implementado e a conclusão da perfuração do túnel nas próximas semanas supera todas as nossas expectativas. O Rebouças, no Rio, levou quase 14 anos para ser aberto e perfurado. A nossa previsão, após a perfuração e a fase de utilidade, pavimentação e ventilação, que leva em torno de 4 a 5 meses, é de entregar os túneis Luiz Antônio Pimentel e João Sampaio até dezembro”, antecipou.

Com isso, já foram retiradas 520 mil toneladas de pedras, suficientes para encher cerca de 21 mil caminhões. Segundo a Emusa, parte do material retirado das escavações do túnel foi utilizado na construção da sede dos escoteiros, no Horto do Fonseca, e, segundo o vice-prefeito Axel Grael, o material também poderá ser aproveitado nas obras de revitalização da Praia de Piratininga. Outra parte está sendo usada em obras da própria TransOceânica.

Atualmente foram iniciados outros tipos de intervenções nas galerias. A ciclovia, que já vem tomando forma no local e terá 1,90 metro de largura em cada galeria, e as obras de drenagem também já foram iniciadas no sentido Cafubá-Charitas.


Entrada do Túnel Charitas-Cafubá. Foto: Douglas Macedo


Após a conclusão das escavações, a fase de terraplanagem será iniciada para, então, ser possível começar a pavimentação e a instalação do sistema de iluminação e ventilação. Além da ciclovia, serão construídas duas pistas para o tráfego de veículos e uma faixa exclusiva para o BHLS (Bus High Level System – Sistema de Ônibus de Alto Nível). Para isso, 4.950 toneladas de asfalto serão usadas para pavimentar as duas faixas e 17,5 mil metros cúbicos de concreto serão usados para toda a faixa exclusiva de transporte público.

“Montamos uma usina de concretagem aqui dentro. O concreto é feito aqui e isso adianta muito o processo de obras. Por isso estamos conseguindo fazer esse túnel em um tempo tão significativo”, ressaltou o diretor da Emusa.

Além disso, outras estruturas também estão sendo montadas no local. Segundo Lincoln, uma estação de força já está pronta. Além disso, também está em fase de construção o Centro de Controle Operacional, que será responsável por toda a logística do túnel. Por isso, pelo menos 15 câmeras serão instaladas ao longo das galerias e terão ligação direta com o centro de controle e com o Cisp.

De acordo com Lincoln, a construção do túnel visa transformar a vida dos niteroienses, tendo impacto direto na mobilidade urbana da cidade.

“A ideia é tirar carros da rua e oferecer o novo transporte coletivo, com toda a segurança, conforto e tempo ágil. Não é só a construção de um túnel, é uma proposta de mudança de vida, um trajeto que agora poderá ser feito até de bicicleta”, disse.

Segundo dados da Prefeitura de Niterói, a Região de Pendotiba, com uma população de mais de 55 mil pessoas em nove bairros, e diretamente 68 mil habitantes da Região Oceânica serão beneficiados com a travessia do túnel. Hoje toda a população da região passa obrigatoriamente por Pendotiba para alcançar o restante de Niterói.

 Com as duas galerias prontas, carros e ônibus não precisarão mais passar pelo Largo da Batalha, ampliando a capacidade de circulação em Pendotiba.

 O diretor da Emusa ainda destaca que a perfuração do túnel vai beneficiar não só a população da Região Oceânica, mas também moradores de Maricá, que farão o trajeto com uma redução de tempo considerável até a estação das barcas de Charitas, caso forem em direção ao Rio de Janeiro.

As galerias do túnel terão os nomes do historiador e jornalista Luís Antônio Pimentel, que morreu ano passado, e do ex-prefeito João Sampaio, falecido em 2011.

TransOceânica

Atualmente 670 pessoas trabalham em quatro canteiros de obras pela Região Oceânica para dar continuidade às obras, e esse número pode aumentar para mil até o fim do ano. Orçada em R$ 310 milhões – com recursos do Governo Federal (R$ 292 milhões) e o restante é contrapartida da Prefeitura de Niterói –, a TransOceânica terá, ao todo, 9,3 quilômetros de extensão, incluindo o túnel, sem cobrança de pedágio.

O tempo gasto atualmente no trajeto Charitas-Cafubá, cerca de uma hora para percorrer 18 quilômetros, será reduzido pela metade, com tempo estimado de 25 minutos para percorrer 9,5 quilômetros.

Visita guiada na obra
Para acompanhar a histórica obra e ver seu andamento, qualquer pessoa pode se inscrever para ter uma visita guiada aos sábados no local. Essa oportunidade, segundo Lincoln, faz com que as pessoas realmente acreditem que a obra será finalizada.

“Mesmo com todos esses números significativos, tem gente que ainda não acredita que esse túnel vai sair do papel e que isso está próximo de acontecer, afinal, são 40 anos de espera”, destacou.

Para participar, basta garantir a reserva através do e-mail da Administração Regional da Região Oceânica (admregionaloceanica@gmail.com) ou pelos telefones 2609-6580 e 2609-7575. São permitidas apenas 10 pessoas por sábado, sempre às 10h.

Raridades

Um grupo de arqueólogos que trabalha na busca de peças históricas encontrou centenas de artefatos, entre louças e outras peças, nas perfurações do túnel e próximo ao Hospital Psiquiátrico de Jurujuba.

Esse material, quando encontrado, tem sua área delimitada através de GPS, para que o sítio arqueológico possa ser preservado.


Fonte: O Fluminense



---------------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

TRANSOCEÂNICA - Túnel da TransOceânica chega a 1.700 metros perfurados
TRANSOCEÂNICA - Escavações do túnel Charitas-Cafubá, em Niterói, chegam a um quilômetro
TRANSOCEÂNICA JÁ TEM UM QUILÔMETRO DE PERFURAÇÃO
TÚNEL DA TRANSOCEÂNICA: sétima detonação em Charitas ocorreu nesta segunda-feira
TRANSOCEÂNICA: Prefeitura inicia a escavação de túnel do lado de Charitas
TRANSOCEÂNICA - Prefeitura realiza primeiro teste no corredor do BHLS
TRANSOCEÂNICA - Vistoria às obras do novo sistema viário da Estrada Francisco da Cruz Nunes, no Trecho 8
TRANSOCEÂNICA - Acompanhei o prefeito Rodrigo Neves em visita às obras do Túnel Charitas-Cafubá
TRANSOCEÂNICA: Previsão de começo da escavação do túnel do lado de Charitas ainda este mês
TRANSOCEÂNICA - Nova frente de trabalho no túnel vai acelerar a obra
TransOceânica: começa a perfuração do túnel Charitas-Cafubá
TRANSOCEÂNICA - Começam as obras do túnel Charitas-Cafubá em Niterói
TRANSOCEÂNICA - COMEÇA A ESCAVAÇÃO DO TÚNEL CHARITAS-CAFUBÁ











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.