domingo, 22 de maio de 2016

SEMINÁRIO SOBRE TURISMO EM NITERÓI - Inúmeras razões para visitar Niterói



Museu de Arte Contemporânea - MAC. Foto: Douglas Macedo


Vinícius Rodrigues

Seminário sobre turismo reuniu especialistas do tema e mostrou que o município tem tudo para atrair milhares de turistas na Rio 2016

O auditório da Universidade Candido Mendes foi palco na última semana de um debate sobre turismo. Visando os Jogos Olímpicos em 2016, o município tem como objetivo atingir 100% dos hotéis ocupados durante o evento. O desafio foi proposto no seminário “Turismo – Desafios da Gestão”, promovido pelo Grupo Fluminense Multimídia, através da OF Eventos, em parceria com a Escola Superior de Gastronomia da universidade. O seminário também teve apoio da Prefeitura de Niterói e da Niterói Empresa de Lazer e Turismo (Neltur).

Apesar do desafio, o município promete não fazer feio. Isso porque o presidente da Neltur, José Haddad, mostrou recente levantamento feito pelo Fórum Estadual de Secretarias de Turismo em que apontou Niterói como o sexto lugar no ranking nacional da melhor infraestrutura para receber o turista.


Prefeito Rodrigo Neves no Seminário de Turismo. Foto: Marcelo Feitosa


As novidades foram anunciadas já no primeiro dia do seminário. O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, fez a abertura do encontro falando sobre “Niterói de portas abertas ao turista”. Destacou o plano como um diferencial que, segundo ele, faz com que a cidade consiga manter sua agenda em dia, mesmo em meio a uma crise econômica. Neves também apontou o turismo como um dos vetores mais importantes para o desenvolvimento da cidade.

“Se hoje o Estado e o Governo Federal não conseguem pagar suas contas e acumulam déficits, Niterói pode se orgulhar de uma gestão planejada, com superávit, que consegue chegar a esse ano cumprindo todos os compromissos e tirando projetos do papel, sem ocasionar prejuízos. Nesse período, o turismo, que já era uma vocação, acabou se tornando fundamental para a cidade, principalmente com a crise de outros setores, como a indústria naval”, ressaltou o prefeito.

Para o prefeito de Niterói, em relação ao turismo, cabe ao poder público apoiar as iniciativas do setor. Neves acredita também que a cidade será uma das poucas que vai conseguir atravessar a crise sem maiores comprometimentos, e que para isso o turismo tem um papel fundamental.

O vice-presidente da TurisRio, Reinaldo Paes Barreto, falou sobre o setor no Estado. Segundo ele, com a proximidade e o trabalho de regionalização realizado entre Niterói e Rio, um investimento feito em um município sempre beneficia o outro.

Com mediação do secretário municipal de Esporte e Lazer de Niterói, Bruno Souza, a segunda mesa do primeiro dia de seminário abordou a importância dos grandes eventos para o turismo.

O subsecretário especial de Turismo do Rio de Janeiro, Philipe Campello, falou sobre a necessidade de um equipamento adequado para atrair demanda.

“Assim como em Niterói, o Rio de Janeiro também dobrou a capacidade de sua rede hoteleira, e para o turista que vem de fora do país, contar com redes conhecidas é uma referência importante, que traz confiança. O desafio maior será manter a ocupação após o evento”, destacou o subsecretário especial de Turismo.


Vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, falou sobre o Ecoturismo. Foto: Marcelo Feitosa

 
Ecoturismo

Já o segundo e último dia do Seminário “Turismo – Desafios da Gestão”, lotou o auditório da universidade. Na plateia, gestores públicos e privados, além de estudantes de turismo e áreas afins, que tiveram a oportunidade de aprender um pouco mais sobre as boas práticas do setor com profissionais renomados, e também conhecer as políticas adotadas pelo município para o setor.

Ressaltando que considerava o debate extremamente oportuno, principalmente às vésperas dos Jogos Olímpicos, o vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, fez a abertura do evento falando sobre meio ambiente e sustentabilidade.

“A ênfase do nosso trabalho é fazer com que Niterói seja uma referência para o ecoturismo, e para alcançar essa meta já estamos desenvolvendo algumas ações. O programa ‘Niterói Mais Verde’ já avança no objetivo de tornar 50% das áreas da cidade protegidas e transformar espaços naturais em destinos turísticos. Enquanto o programa ‘Niterói que Queremos’ desenvolve ações para despoluir as praias da orla da Baía de Guanabara e recuperar até 507 mil hectares de áreas verdes”, explicou Axel.

A primeira mesa de debates teve como tema “Os Desafios da Hospitalidade” e contou com a presença do consultor e empresário Nauro Grehs e da executiva de Relacionamento e Projetos da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Vera Peixoto.

Nauro falou sobre a necessidade da criação de normas para receber bem o turista. “Nossa hospitalidade pode e deve ser uma ferramenta para a captação de turistas. No entanto, no Brasil, a hotelaria independente é cinco vezes maior que a de rede, e, por isso, nosso principal desafio é fazer com que essas empresas estejam atualizadas, tanto em serviços quanto em tecnologia e conforto. O empresário deve sempre se antecipar às necessidades de seus hóspedes”, ressalta Grehs.

O associativismo também foi apontado, por Vera Peixoto, como um desafio para o setor, que ainda enxerga os vizinhos como concorrentes. Segundo a executiva da Abrasel, assim como a hotelaria, o setor de “Serviço de alimentação fora do lar” beneficia toda uma cadeia produtiva e, por isso, também precisa contar com um trabalho de união do setor.

Natureza

A segunda mesa de debates abordou os atrativos turísticos de Niterói, mediada pelo diretor da UCAM Niterói, Edson Xavier.

O diretor da Faculdade de Turismo da Universidade Federal Fluminense (UFF), Marcelo Tomé, enfatizou o potencial de Niterói para o setor. “Niterói é um município que apresenta aspectos tanto naturais quanto culturais relevantes para o turismo. Alguns equipamentos, inclusive, também se destacam tanto pela forma quanto pela função, como no caso do MAC, que além de ser um museu é um projeto de Oscar Niemeyer. Tudo isso desperta o desejo de fruição, ou seja, o turista quer ir a esses lugares, ver com os próprios olhos, tirar fotos”, explicou Tomé.

Encerrando os debates, Rubens Branquinho, diretor de Turismo da Niterói Empresa de Lazer e Turismo (Neltur) relacionou cada atrativo turístico da cidade e falou sobre os trabalhos da empresa em parceria com a UFF. “Temos um termo de cooperação técnica com a UFF e realizamos várias ações em conjunto. A maior parceria com a universidade foi a realização do inventário da oferta turística, através do qual vamos conseguir entender os pontos fracos e fortes do setor na cidade, planejar e criar objetivos”, concluiu Branquinho.

Fonte: O Fluminense











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.