segunda-feira, 16 de maio de 2016

COMBATE ÀS QUEIMADAS: Governo do Estado do RJ passará a contar com aeronave específica para combate a incêndios florestais





Fotos: Lourenço Eduardo. Divulgação SEA.



Comentário de Axel Grael:

Relembrando esforços do passado para a aquisição do avião florestal

O fogo é o principal responsável por perda de florestas no Rio de Janeiro e em todo o Brasil. Em 2001, quando fui Subsecretário da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - SEMADS, coordenei a iniciativa de melhoria da capacidade de respostas do estado para estas situaçãoes e, decidiu-se adquirir um avião modelo Airtractor. 

O avião tinha fins exclusivos para combate a incêndios. Uma grande conquista naquela época, em que sonhávamos que teríamos enfim uma forma eficiente de combater incêndios florestais, o grande vilão das florestas do estado e de todo o Brasil.

Infelizmente, naquela ocasião, muitas foram as dificuldades, tanto para a aquisição como para a operação da aeronave. O avião foi comprado com recursos da compensação ambiental imposta à Petrobras pelo vazamento de óleo da REDUC, em 2000. A primeira grande tarefa, foi proceder a compra do equipamento, de elevado valor, e a ser pago no exterior, em dólares: uma missão quase impossível de ser cumprida com as amarrações burocráticas da administração pública. O esforço para superar as barreiras foram enormes. Quando conseguia-se superar uma etapa burocrática, a disponibilidade orçamentária e financeira já não era compatível com o valor estabelecido em dólar.

Mas, as dificuldades foram superadas e, em 2003, (quando eu já não estava mais no governo estadual), a aeronave foi enfim entregue no Rio de Janeiro.

Adquirida a aeronave, o problema seguinte foi superar as dificuldades para a regularização do avião junto às autoridades aeronáuticas. Depois, vieram os problemas operacionais. Quem pilotaria o avião?

Infelizmente, apesar do elevado valor do investimento e da importância da sua utilização, o avião ficou um longo tempo no hangar e nunca teve o aproveitado esperado. Praticamente, não evitou a queima de um hectare sequer de florestas.

Em 2010, quando finalmente o avião florestal fazia testes para entrar em operação, caiu próximo a Resende, matando os seus dois tripulantes, o major Jasper Sanderson e o aspirante Luis Guilherme Neto.

Agora, vemos que a Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) volta a contar com o mesmo avião Airtractor, desta vez através de um arranjo contratual provavelmente mais eficiente: o pagamento através de compensações ambientais das horas voadas. A operação será feita em parceria entre a SEA e o Corpo de Bombeiros.

O Airtractor tem aplicação em combate a incêndios florestais, podendo fazer operações de observação e vigilância, podendo lançar água ou produtos químicos específicos para retardar o avanço do fogo.


Aeronave do Corpo de Bombeiros atuando sobre focos de incêndio no Morro do Cavalão, Bairro de São Francisco, Niterói, em fevereiro de 2014. Foto Axel Grael.


Recentemente, o Corpo de Bombeiros tem utilizado com eficiência helicópteros no combate aos focos de incêndio, missão esta em que são frequentemente auxiliados por aeronaves também da Polícia Militar. Os helicópteros são mais eficientes quando existe uma disponibilidade de água próximo ao local do incêndio e o avião quando a distância a ser percorrida é maior. O avião requer ainda um espaço para pousos e decolagens.

Ambos os equipamentos (avião e helicóptero) são alternativas eficientes, mas muito caras para controlar os incêndios e é lamentável pensar que a quase totalidade dos incêndios em vegetação, que tantos prejuízos ambientais e patrimoniais causam, tem origem humana. Ou seja, são causados por ação criminosa ou acidental e poderiam ser evitados.

Enfim, parabenizamos a iniciativa da SEA e do Corpo de Bombeiros. Desejamos que o uso do avião florestal seja preciso poucas vezes, mas que ele socorra as florestas e a biodiversidade fluminense com sucesso, sempre que preciso.

Axel Grael
Vice-Prefeito
Niterói




-----------------------------------------------------



Secretaria do Ambiente entrega aeronave equipada com cisterna para combater incêndios florestais

Avião tem capacidade para armazenar até 1.800 litros de água

O Corpo de Bombeiros (CBMRJ) ganhou um importante reforço no combate a incêndios florestais em unidades de conservação do Estado do Rio. Um avião turbo-hélice com cisterna para armazenar 1.800 litros de água foi disponibilizado à corporação militar pelo secretário estadual do Ambiente, André Corrêa, em cerimônia realizada nesta quinta-feira (12/5), no Aeroporto de Jacarepaguá, na Barra da Tijuca.

O avião turbo-hélice Airtractor modelo 502B, cedido pela Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), irá atuar na extinção de focos de incêndio, através do lançamento de água ou produtos químicos.

As aeronaves usadas no combate aos incêndios são uma vantagem devido a sua capacidade de atacar rapidamente as labaredas, impedindo que o fogo se alastre e ganhe força, além de alcançarem terrenos inacessíveis por terra. Outra benefício é o rápido deslocamento entre os focos de incêndio, protegendo homens e materiais.

Além de auxiliar no controle de focos de incêndio, a aeronave também pode ser empregada em outras atividades, tais como no patrulhamento aéreo de unidades de conservação, assim como no transporte de homens e equipamentos de combate terrestre durante operações.



Ao participar da solenidade, o secretário estadual do Ambiente, André Corrêa, destacou que a aeronave foi adquirida com recursos privados oriundos de compensação ambiental e será uma importante ferramenta de combate às chamas:

“É importante ressaltar que, ao invés de comprar, nós alugamos as horas de voo. O Corpo de Bombeiros é um parceiro estratégico da Secretaria de Estado do Ambiente, assim como a Polícia Militar, e o que pudermos fazer para equipar os bombeiros e as Unidades de Policiamento Ambiental (UPAms), nós vamos fazer. Quando estive à frente da Secretaria, pela primeira vez, o Rio de Janeiro era campeão brasileiro de desmatamento da Mata Atlântica. Atualmente, somos o estado que menos perde cobertura florestal deste bioma. Porém estamos perdendo para os incêndios florestais. A partir de agora, com este reforço, vamos melhorar, e muito, as ações para o combate aos focos de incêndios”, acrescentou André Corrêa.

"... somos o estado que menos perde cobertura florestal deste bioma. Porém estamos perdendo para os incêndios florestais" . André Corrêa, secretário estadual do Ambiente



O secretário de Estado da Defesa Civil e Comandante geral do Corpo de Bombeiros, coronel Ronaldo Alcântara, ressaltou a importância da parceria com a Secretaria de Estado do Ambiente:

“O avião vai nos permitir atuar no patrulhamento para identificar focos de incêndio bem no seu início e também no combate às chamas com mais agilidade. Isso porque aeronaves de asa fixa (avião), chegam com mais rapidez ao local atingido pelo fogo. Então é uma aquisição muito importante, ainda mais para esta época do ano, quando a incidência de incêndios florestais aumenta consideravelmente devido à estiagem que vai de julho a outubro, período que a nossa estatística praticamente quadruplica”, explicou o coronel.

Além de auxiliar no controle de focos de incêndio, a aeronave também pode ser empregada em outras atividades, tais como no patrulhamento aéreo de unidades de conservação, assim como no transporte de homens e equipamentos de combate terrestre durante operações. O turbo-hélice Airtractor 502B ficará à disposição do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Corpo de Bombeiros, polícias Militar e Civil do Estado do Rio e outras instituições que eventualmente vierem a necessitar da aeronave.

Fonte: SEA




-----------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

QUEIMADAS: MITOS E VERDADES

Sobre o Airtractor

Lamentáveis perdas e as lições não aprendidas com as chuvas
Incêndio florestal no Morro dos Cabritos

Sobre o Programa Niterói Contra Queimadas

NITERÓI CONTRA QUEIMADAS: Trabalho de campo noturno no Morro da Boa Vista para a capacitação dos voluntários do NUDEC Queimadas
NITEROI CONTRA QUEIMADAS: Programa de reflorestamento da Clin contribui para recuperar áreas degradadas por queimadas em Niterói
NITERÓI CONTRA AS QUEIMADAS: O QUE SE PERDE CADA VEZ QUE O FOGO DESTRÓI AS NOSSAS FLORESTAS?
ALERTA: Niterói está com alto risco de incêndio em vegetação. Soltar balão e praticar queimadas é crime!
NITERÓI RESILIENTE - NUDEC QUEIMADAS: Voluntários contra queimadas

Outros

FABRICAR E SOLTAR BALÃO É CRIME: Ação contra balões é intensificada





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.