domingo, 13 de agosto de 2017

NITERÓI RESILIENTE: Obras de contenção mudam a realidade em áreas de risco



As obras na 22 de Novembro, na Zona Norte da cidade, tiveram início em março e seguem a todo vapor. Foto: Leonardo Simplício / Prefeitura de Niterói



Mais de R$ 40 milhões já foram investidos pela Prefeitura de Niterói em várias regiões da cidade

As lembranças da tragédia ainda estão vivas na memória de algumas comunidades de Niterói que foram fortemente atingidas pelas chuvas, em 2010. Não foi apenas no Morro do Bumba, onde houve o maior número de vítimas fatais em função de um forte deslizamento, e um grande número de moradores que perderam suas casas. Outras localidades também sofreram os efeitos do pior evento climático da história de Niterói.

Depois de uma longa espera, moradores do Beltrão, em Santa Rosa, e da Rua 22 de Novembro, no Fonseca, comemoram as obras de contenção de encostas que a Prefeitura de Niterói realiza nos dois locais. Essas intervenções integram um conjunto de ações implementadas desde 2013 para que o município vire de vez a página da tragédia do Bumba.

Nestes quatro anos, a atual administração da Prefeitura já realizou mais de 40 obras de contenção, com investimentos de mais de R$ 40 milhões. Entre elas, pontos na Grota do Surucucu, em São Francisco; Morro do Holofote, no Fonseca; Morro do Palácio; no Ingá; Rua Ponte Ribeiro, no Bairro de Fátima; Rua Machado, no Caramujo; Rua Engenheiro Guilherme Greenhalgh, em Icaraí; Rua Fagundes Varela, entre Ingá e Icaraí, além da obra na Rua Martins Torres, em Santa Rosa. Na Martins Torres, foi concluída no início de março a obra no local em que uma pedra de 25 toneladas rolou em 2015, provocando a interdição de um prédio residencial e forçando moradores a deixarem suas casas.

As obras na 22 de Novembro e no Beltrão começaram em março, quando o prefeito Rodrigo Neves assinou a ordem de início de três novas obras de contenção de encostas. Além das duas citadas, os serviços também são executados nas ruas Moacir Padilha e Araújo Pimenta, no Morro do Estado, com um investimento total de R$ 11 milhões.

Em todos esses locais são realizadas grandes intervenções, como a colocação de cortinas atirantadas, solo grampeado, mureta estaqueada, além de placas ancoradas, concreto projetado e canaletas de drenagem. Também serão instalados guarda-corpos, além da revegetação nas áreas degradadas. As ações permitirão que esses locais fiquem totalmente estabilizados.

Para este ano, está acertada, ainda, a obra de contenção de encosta na Rua São Paulo, na Ponta da Areia, que tem valor de R$ 1,4 milhão. Estão em fase de programação para reinício as ruas Selma e Jerônimo Afonso, além da Travessa Jurandir, no Caramujo. As três frentes, que somam investimento de R$ 5,6 milhões (recursos do Ministério das Cidades), fazem parte de um pacote de ações do município para a prevenção e redução do impacto das chuvas na cidade, incluindo a modernização da Defesa Civil e a criação de novas áreas protegidas.

Já as obras de contenção de encostas na Rua Bombeiro Américo, no Caramujo, e no Morro do Bonfim, Fonseca, ambas na Zona Norte, entraram na reta final e serão concluídas neste segundo semestre. O investimento é de R$ 13,8 milhões.

Está em processo licitatório a urbanização da comunidade São José, no Fonseca, que será financiada pelo BID, onde também serão executadas diversas estabilizações de taludes.

Fonte: O Fluminense











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.