terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Niterói contará com mais sirenes para a chuvas deste verão

 
 



Pedro Conforte

Mais duas localidades em Niterói receberão sirenes para alertar a população sobre as chuvas fortes: Cavalão e Jurujuba. Por conta das altas temperaturas e da umidade mais alta, os temporais e pancadas de chuvas são marca registrada do verão. Para evitar problemas e possíveis tragédias, Niterói já possui 27 locais monitorados e atendidos pelo sistema de alerta e alarme. Em 2017, os equipamentos serão instalados no Cavalão e Jurujuba, segundo a prefeitura.





Atualmente, o governo municipal é quem mantém funcionando as sirenes, desde que o Governo do Estado informou que não possuía dinheiro para manter o serviço ativo. Porém, a instalação dos novos equipamentos será feito pelo Estado e o dinheiro já está nos cofres do Palácio Guanabara.

Segundo a Defesa Civil Estadual, os governos federal e estadual assinaram, em novembro do ano passado, um termo de compromisso que resultou em um repasse de R$ 9,3 milhões. A verba será utilizada na contratação de empresa para manutenção do sistema de alerta e alarme por sirenes. Além disso o montante será usado para contratar equipes para fortalecer o trabalho de prevenção desastres naturais nas áreas de maior vulnerabilidade no Estado. Apesar de afirmar que processo licitatório está em fase de análise de orçamentos, a Defesa Civil não informou a data para instalação dos novos equipamentos.

Segundo a Defesa Civil do Estado, em 2015, 81% dos desastres naturais do Estado foram provocados por chuvas fortes, que ocorrem principalmente no verão. Em Niterói, o sistema conta também com 26 pluviômetros automáticos e 12 semiautomáticos, que possibilitam o monitoramento em tempo real do volume de chuva que incide em cada região. Com isso, as tomadas de ações de avaliação de risco e de eventuais evacuações de área são mais rápidas.

Voluntários

Além dos equipamentos, em Niterói existem 40 núcleos de defesa civil, grupos de voluntários capacitados pela Defesa Civil que atuam nas comunidades onde há risco de deslizamentos. Além disso, as comunidades contam com sinalização de rotas de fuga e de pontos de apoio. Para cada comunidade onde há sirene, as rotas de fuga seguras foram sinalizadas, as quais conduzem os moradores para os pontos de apoio (locais seguros para que os cidadãos permaneçam até que cesse a condição de risco). São utilizadas como pontos de apoio escolas, igrejas, associações de moradores e agremiações.

Em caso de emergência, a prefeitura de acordo com o plano de contingência aciona todas as partes envolvidas para dar assistência necessária e imediata aos afetados.

Fonte: A Tribuna 









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.