terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Velejadores denunciam que canhões do Forte da Laje, na entrada da Baía de Guanabara, estariam sendo retirados


Recebi do velejador e fotógrafo especializado em esportes náuticos, Fred Hoffmann, as fotos abaixo que mostram que os canhões do Forte da Ilha da Laje estão sendo retirados.

O Forte Tamandaré da Laje tem importância histórica. Localizada na boca da barra da Baía de Guanabara, entre o Pão de Açúcar e a Fortaleza de Santa Cruz da Barra, em Niterói, foi construído como parte do sistema de proteção militar da entrada do porto da Baía de Guanabara.

O referido sistema de proteção é composto por um belíssimo conjunto arquitetônico composto além da Ilha da Laje, da Fortaleza de Santa Cruz da Barra, Forte Rio Branco, Forte São Luiz, Forte Imbuí (todos em Niterói). Do lado carioca da Baía de Guanabara estão o Forte São João, Forte do Leme e construções menores localizadas na Praia Vermelha.

Conheça a história do Forte Tamandaré, na Ilha da Laje.

Um dos cartões postais do Rio de Janeiro, as instalações do forte na ilha estão abandonadas há muitos anos e lamentavelmente em ruínas.

Correm notícias que o Forte, que é administrado pelo Exército, estaria para ser arrendado para algum tipo de uso turístico, para festas ou algo semelhante.

Se a Ilha da Laje perdeu a importância estratégica para fins militares que teve no passado, hoje tem grande valor turístico pela sua presença imponente na paisagem é será o mais privilegiado ponto de observação das regatas olímpicas que serão realizadas na Baía de Guanabara em 2016.

Pode-se dizer que 99% das regatas realizadas na chamada Raia da Escola Naval posiciona a boia de contravento nas proximidades da Ilha da Laje. O mesmo, invariavelmente, acontecerá nas provas olímpicas.

Mesmo sem utilidade, a retirada dos canhões descaracterizará aquele sítio histórico. Esperamos que o problema seja esclarecido e o Forte Tamadaré da Laje seja enfim devidamente valorizado.

Veja as fotos a seguir:

Foto aérea da Ilha da Laje, que abriga o Forte Tamandaré. Observe a localização privilegiada, com a belíssima imagem do Pão de Açúcar. Foto CBN.

As fotos abaixo, de Fred Hoffmann, mostram que os canhões foram retirados da casamata de aço que os abrigava:







 
------------------------------------------

RECEBEMOS A SEGUINTE MENSAGEM DE ESCLARECIMENTO EM NOME DO GENERAL DÉCIO BRASIL, CHEFE DO CENTRO DE CAPACITAÇÃO FÍSICA DO EXÉRCITO E COMANDANTE DA FORTALEZA DE SÃO JOÃO:
O General Décio Brasil esclarece: Sou o Gen Brasil, atual Chefe do Centro de Capacitação Física do Exército e Comandante da Fortaleza de São João, responsável pelo imóvel da União Ilha da Laje.
Sobre a matéria divulgada no Blog de Axel Grael, esclareço que no final do ano 2012 foi concluído o processo licitatório de permissão de uso do Forte Tamandaré da Laje. venceu o certame a empresa Plancton Comércio e Representações Ltda, que tem o Sr Rodolfo Simões como representante. O contrato de arrendamento, caso concretizado, será por 20 anos. A licitação passou por todo e complexo processo autorizativo, da Força e da Superintendência do Patrimônio da União. O arrendatário poderá explorar economicamente a Fortaleza e na finalidade do Termo de Entrega do imóvel da União prevê a revitalização, adequação e modernização da Ilha da Laje, com a implantação e funcionamento de um restaurante.
Como medida inicial, estava previsto a retirada e transporte para a Fortaleza das peças e materiais que poderiam, posteriormente, integrar o Sítio Histórico da Fortaleza de São João. Isso está ocorrendo no momento.
Toda a movimentação na Ilha da Laje está autorizada por este Comando, de acordo como contrato estabelecido.
Foram as providências necessárias para suprir a deficiência de recursos para a manutenção daquele importante sítio histórico e acabar com a depredação de visitantes indesejados que praticamente arruinaram o vasto acervo que lá existia.
Espero que com esta rápida explanação tenha sanado qualquer dúvida sobre o assunto.
Estou à disposição para outros esclarecimentos.

A mensagem acima foi publicada por Marco Balbi aqui no Blog do Axel Grael, em nome do general Décio Brasil.

--------------------------

Leia também:
Poluição na Baía de Guanabara é um desafio olímpico (Na postagem, remadores protestam contra a poluição da Baía de Guanabara reunidos diante da Ilha da Laje)
História do Forte Tamandaré da Ilha da Laje



7 comentários:

  1. Não seria interessante saber primeiro quem está trabalhando no Forte Laje e com q objetivo?

    ResponderExcluir
  2. O General Décio Brasil esclarece: Sou o Gen Brasil, atual Chefe do Centro de Capacitação Física do Exército e Comandante da Fortaleza de São João, responsável pelo imóvel da União Ilha da Laje.
    Sobre a matéria divulgada no Blog de Axel Grael, esclareço que no final do ano 2012 foi concluído o processo licitatório de permissão de uso do Forte Tamandaré da Laje. venceu o certame a empresa Plancton Comércio e Representações Ltda, que tem o Sr Rodolfo Simões como representante. O contrato de arrendamento, caso concretizado, será por 20 anos. A licitação passou por todo e complexo processo autorizativo, da Força e da Superintendência do Patrimônio da União. O arrendatário poderá explorar economicamente a Fortaleza e na finalidade do Termo de Entrega do imóvel da União prevê a revitalização, adequação e modernização da Ilha da Laje, com a implantação e funcionamento de um restaurante.
    Como medida inicial, estava previsto a retirada e transporte para a Fortaleza das peças e materiais que poderiam, posteriormente, integrar o Sítio Histórico da Fortaleza de São João. Isso está ocorrendo no momento.
    Toda a movimentação na Ilha da Laje está autorizada por este Comando, de acordo como contrato estabelecido.
    Foram as providências necessárias para suprir a deficiência de recursos para a manutenção daquele importante sítio histórico e acabar com a depredação de visitantes indesejados que praticamente arruinaram o vasto acervo que lá existia.
    Espero que com esta rápida explanação tenha sanado qualquer dúvida sobre o assunto.
    Estou à disposição para outros esclarecimentos

    ResponderExcluir
  3. Agradeço ao general Décio Brasil pelos esclarecimentos prestados ao nosso Blog.

    Divulgaremos a informação nas redes sociais onde postamos a informação.

    A Ilha da Laje é um importante patrimônio histórico e paisagístico da Baía de Guanabara.

    Gostaria de expressar que lamento a retirada das peças de artilharia. Acho que justamente agora que a ilha será revitalizada, os canhões poderiam ser adequadamente mantidos e permitiriam que os visitantes tivessem uma mais correta percepção da importância que aquela edificação teve na proteção da cidade do Rio de Janeiro ao longo da história.

    Axel Grael

    ResponderExcluir
  4. resposta vergonhosa do EB

    Prezado Sr João Gilberto,

    Em resposta à solicitação de V Sa, informamos que o espaço do Forte da Laje foi arrendado, por intermédio de licitação pública.
    A vencedora foi a empresa Plâncton Comércio e Representação Ltda, a quem caberá o investimento para a recuperação do local.
    Cientes da importância do acervo histórico, informamos que o material ainda existente será removido para a Fortaleza de São João, às custas do arrendatário, onde ficará exposto à visitação pública.
    Atenciosamente,


    Assessoria de Comunicação Social
    Departamento de Educação e Cultura do Exército

    ResponderExcluir
  5. Axel Grael, considerando a magnitude da repercussão deste post, entendo q o esclarecimento do Gen. Brasil, Comandante do Forte São João, deveria ter o mesmo destaque nas redes sociais onde foi divulgado, até para evitar acusações INFUNDA
    DAS, como a de roubo por exemplo, que já estão circulando. Concorda comigo?

    ResponderExcluir
  6. Obrigado pela informação. Em uma cidade onde megas vigas de metal desaparecem sem deixar rastro, não custa nada acompanhar o destino que será dado a esses canhões.

    ResponderExcluir

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael. Obrigado.