quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Base cartográfica disponibilizada pelo IBGE e pela SEA é importante instrumento para gestão ambiental






O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) disponibilizaram a representação cartográfica de todo o estado do Rio de Janeiro, contendo os elementos pertinentes à escala, com hidrografia, sistema de transportes e relevo (curvas de nível).

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) disponibilizaram a representação cartográfica de todo o estado do Rio de Janeiro, contendo os elementos pertinentes à escala, com hidrografia, sistema de transportes e relevo (curvas de nível).

Realizada a partir de uma parceria entre o IBGE e o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado do Ambiente, essa base compõe o Projeto RJ25 e significa a primeira base cartográfica vetorial contínua de uma unidade de federação.


A localização do Projeto Grael já registrada na base cartográfica.


A base cartográfica é fundamental para identificação e localização de corpos hídricos e ilhas, delimitação de costa, auxiliando na delimitação de áreas de preservação permanente, unidades de conservação e seus planos de manejos, bem como na localização e identificação de elementos constantes de áreas objeto de licenciamento ambiental.

“Trata-se de uma importante ferramenta para a gestão ambiental, revelando-se como a fonte de consulta de objetos geoespaciais mais detalhada e com maior densidade de informações que o Estado possui”, disse o subsecretário de Estado do Ambiente, Rafael Ferreira.

*O projeto contemplou cerca de 5.200 fotografias aéreas e mais de 1.500 pontos de controle medidos em campo. Em 2010, o IBGE e a SEA iniciaram uma nova fase que é a extração de feições que comporia a base lançada neste momento. Entre 2010 e 2014 as feições cartográficas foram restituídas e armazenadas em um banco de dados geoespaciais de modo que as informações podem ser utilizadas em qualquer ambiente de SIG (Sistema de Informação Geográfica). Entre 2015 e 2016, foram realizadas as análises topológicas e o controle de qualidade da base cartográfica, além da delimitação das unidades de conservação existentes no Estado do Rio.

*A base cartográfica vetorial contínua do Rio de Janeiro está disponibilizada na INDE (http://www.visualizador.inde.gov.br/) e no portal de geoserviços do IBGE (http://www.geoservicos.ibge.gov.br/geoserver/web/.

*Informações da sala de imprensa do IBGE.

Fonte: SEA










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.