domingo, 3 de março de 2013

Mudanças à vista: Parque da Cidade vai passar por reformas




Agora administrado pela secretaria de Meio Ambiente, o espaço deve ficar melhor e mais estruturado, com reforma de equipamentos e a reabertura de trilhas

Entre as diversas imagens escolhidas por Steve McCurry para compor o calendário 2013 da Pirelli, o mais famoso do mundo, está o Parque da Cidade de Niterói. McCurry, que é conhecido por fotografar áreas de conflito, fotografou um grupo de capoeiristas neste cartão-postal niteroiense. Agora, o local, que já atraía milhares de turistas, deve ficar ainda melhor e mais estruturado. O Parque da Cidade passou a ser administrado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade, gerida pelo secretário Daniel Marques.

“Encontramos o Parque da Cidade em completo estado de abandono. Há documentos defasados, trilhas fechadas. Toda a parte ambiental está degradada. Também estamos vendo uma crescente favelização no local. Isso poderia até se tornar uma rota de traficantes. Queremos fazer reformas estruturais a partir da próxima semana. Depois daremos um segundo passo, que vai ser a implantação de um projeto de ecoturismo para fomentar o voo e esportes ecológicos”, explicou o secretário.

O Parque da Cidade oferece aos seus visitantes uma série de atividades. Voo de parapente e asa-delta, parquinho, passeio de bicicleta e trilha, estão entre as atrações do local, que também serve como pano de fundo para ensaios fotográficos.

“É a primeira vez que venho ao Parque. Vim fazer um book, uma espécie de portfólio para eu trabalhar como modelo. Escolhi esse local porque tem uma vista muito bonita e é um dos lugares mais perto de onde fico nos fins de semana. Juntei praticidade com beleza”, contou a estudante Amanda Dini, de 18 anos, que foi fotografada por Samuel Ribeiro, de 47 anos.

Muitos turistas também elegem o local para fazerem seus álbuns de casamento, piqueniques ou simplesmente namorar. Outras pessoas escolhem o parque como ambiente de trabalho. Foi o caso do fotógrafo niteroiense Paulo Belote, de 30 anos, que decidiu fazer um workshopping com alunos do Ateliê da Imagem no parque.

“A professora do nosso curso de moda deu a ideia para eu dar um curso de iluminação externa. A gente trabalha com moda, mas o meu trabalho se estende a bandas, principalmente, bandas de rock. Eu era músico. Tenho uma ligação com o Araribóia Rock e a banda Mouse Feet topou ser o nosso assunto de fotografia. Decidi vir para cá porque já trabalhei aqui, o lugar é bonito e quis trazer o pessoal do Rio para conhecer o local”, explicou Paulo Belote.

Localizado no alto do Morro da Viração, numa altitude de 270 metros, o parque foi inaugurado em 1979 e também proporciona uma bela vista das praias de Piratininga, Itaipu e Camboinhas, da Ponte Rio-Niterói, da Baía de Guanabara e de alguns bairros do Rio de Janeiro. Grande parte dos turistas fica fascinada pelo voo de parapente, que custa em torno de R$ 200. Se os aventureiros de plantão desejarem filmar o passeio, o valor sobe para R$ 300. Instrutor de voo há 14 anos, Alexandre Tavares, de 36 anos, deu dicas sobre o esporte.

“Acho que o sonho de querer voar é uma coisa que vem desde criança, de soltar cafifa. É uma coisa que está dentro do ser humano de explorar coisas que nunca viveu. A gente escuta muitas histórias. Já voei com muita gente que faz hemodiálise, que retirou um seio. E para realizar esse sonho, é preciso fazer uma aula, um voo instrumental antes”, contou o instrutor.

Mas é preciso estar atento a uma das rampas de voo do parque. A rampa localizada à esquerda está com a grade de proteção bastante corroída. O problema gerou indignação no professor Rocine Castelo, de 58 anos.

“Estou vindo aqui pela primeira vez. Tirei fotos maravilhosas. É realmente uma paisagem muito bonita, mas estou indignado com uma grade de proteção totalmente carcomida pela ferrugem. Está tudo enferrujado. Isso representa um risco para o turista. É importante que a administração tome providências antes de uma tragédia”, declarou o professor, que teve sua reclamação ouvida pelo secretário de Meio Ambiente de Niterói, Daniel Marques.

“Estive no parque pessoalmente e vi a degradação do local. Meus funcionários fizeram seis páginas de relatório com toda a problemática do parque. Como disse, vamos começar essa reforma estrutural semana que vem. Trocaremos placas e lâmpadas. O prefeito soube nos ouvir. Agora, precisamos de mais respaldo para colocar tudo em prática”, disse o secretário.

O Parque da Cidade fica aberto para visitação de domingo a domingo, das 9 horas às 18 horas. Mais informações pelos telefones 2610-3157 e 0800-2827755.


Fonte: O FLUMINENSE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.