terça-feira, 1 de maio de 2012

SENHOR CANDIDATO, QUER O MEU VOTO?




Texto de Axel Grael

RARO MOMENTO EM QUE SOMOS O CENTRO DAS ATENÇÕES

Estamos entrando na fase em que nós eleitores somos assediados e paparicados por candidatos ávidos por conquistar os nossos votos. Em nenhum outro momento nos sentimos tão valorizados, poderosos e disputados. Precisamos saber aproveitar bem a oportunidade.

É um momento de renovar sonhos e esperanças, mas também enfrentar situações constrangedoras diante de apelos de amigos, de parentes, de vizinhos, etc. Ter bem claro e transparente quais são os nossos critérios ajuda a nossa escolha e nos tira daquela desagradável insistência do tipo: “vota no meu primo. O cara é gente boa”.

Conforme estabelece a legislação eleitoral, só temos direito a um voto para cada cargo, exceto nas ocasiões quando podemos escolher dois senadores. Estamos às vésperas do processo eletivo municipal, portanto votaremos apenas no prefeito e vereador. São as pessoas que conduzirão a nossa cidade pelos próximos quatro anos.

COMO ESCOLHER UM CANDIDATO?

Tenho os meus critérios, que não necessariamente se aplicam a outros eleitores com outras expectativas, prioridades, demandas e outras visões ideológicas. Torno-os público como um ato cidadão e, apesar de tudo, de aposta no processo democrático. Quem sabe posso ajudá-lo também a definir os seus critérios?

Ouço por aí frases como: "Eu não voto em partidos. Voto em pessoas!". Minha postura é oposta: eu voto em idéias e em candidatos que tenham legitimidade e capacidade de representá-las.

Tenho a minha preferência partidária (Partido Verde) e a utilizo como uma referência fundamental. Mas sou um cidadão e um eleitor de muitas causas e, por isso, tenho critérios amplos e bem exigentes. Para merecer o meu voto não basta ser do partido, ser meu amigo, parente ou vizinho, ser gente boa, ser eloqüente no discurso, ter me feito um agrado. Também não aceito que a hereditariedade seja um critério inequívoco de competência, de honestidade, etc. Ser filho de fulano ou beltrano não é suficiente. Também não basta, embora ajude, se apresentar como ambientalista, como esportista, como líder comunitário, como ongueiro, filantropo, etc. É preciso muito mais para me convencer!!!

Entendo também que as minhas ideias não são majoritárias na sociedade. Sou engenheiro florestal, ambientalista, eco-sócio-velejador, ongueiro, alinhado à ideologia verde, tendo como sonho a sustentabilidade. Portanto, aprendi a ser minoria e sei que o meu perfil, minhas crenças e minhas práticas não são comuns, logo, não posso eleger o meu candidato sozinho. Tenho claro que o meu candidato, para ser eleito e poder representar as minhas idéias, precisa ter viabilidade eleitoral e que, para isso, terá que convencer e abraçar causas de muitos eleitores, não só as minhas.

Como combinar tudo isso? Não sei bem, mas creio que ai está a arte da escolha e o maior desafio do candidato: ser viável mantendo-se legítimo, coerente, ideológico, honesto e verdadeiro.

O QUE ESPERO DO CANDIDATO?

Vivemos tempos de profundo desprestígio da classe política. Nunca os vimos com tanta desconfiança e desprezo. Mas nada melhor para o corrupto do que ver a sua prática ser considerada como generalizada, como se todos fossem iguais a ele. Com esta percepção, injusta para com os honestos (sejam lá quantos forem), permitimos que o desonesto se mimetize e passe desapercebido. Se misturar na massa é tudo o que o bandido sempre quer.

Ficha limpa agora é lei, um avanço fundamental. As convicções éticas são tão frágeis no nosso país que a sociedade precisou lutar muito por algo tão óbvio e trivial: uma lei para barrar corruptos na política. Só mesmo a contaminação da política pode explicar tanta dificuldade. Enfim, ter passado ilibado é uma das condições legais para a candidatura.

Cabe agora à Justiça barrar estes malfeitores e a nós saber escolher. Como separar o joio do trigo? Não há aparelhinho para medir honestidade. Ser honesto é básico e não existe meia medida: ou se é honesto ou não. Cabe a nós, com o voto, ir adiante e fazer o ajuste fino, expurgando práticas deletérias da nossa cultura política, como o clientelismo, o populismo, os currais eleitorais... Nós eleitores precisamos colher informações sobre o candidato e julgá-lo usando a nossa intuição, com toda subjetividade que há nisso. É uma prerrogativa nossa!

Perfil: Considero que os cargos no executivo ou no legislativo para os quais votamos são da maior relevância para a vida democrática. São funções complexas e que devem ser ocupadas por pessoas com capacidade, vocação e legitimidade para essas tarefas. O candidato, caso seja eleito para o executivo ou para o legislativo, terá que representar os seus eleitores (e a sociedade como um todo) em tomadas de decisão em temas diversos. Terá que ter discernimento, capacidade de julgamento e negociação, de persuasão e argumentação e deve – responsavelmente – saber quando transigir.

Importante! Fará tudo isso em nosso nome e, portanto, deverá prestar contas do que faz. Exijo qualidade, ética, transparência e compromisso!

É preciso qualificação? Claro. Mas isso não significa que o candidato tenha que ter necessariamente credenciais acadêmicas, mas tem que me convencer que está preparado para o cargo, de acordo com os meus critérios.

MEU CHECK LIST DE ELEITOR – UMA TENTATIVA...

Além dos princípios básicos acima, observo os seguintes critérios para definir o meu candidato:

- Legitimidade: que demonstre seu protagonismo através de um curriculum de serviços já prestados à sociedade e não apenas promessas de ações futuras. O pretendente ao voto não pode ser candidato dele próprio. Quem ou o que ele quer representar? Com que credenciais?

- Compromisso com a coletividade: que me convença que tem postura cívica e motivação altruísta. Já repararam como predomina entre políticos uma postura personalista, vaidosa, arrogante e ambiciosa? Será que este perfil combina com a atividade para a qual estamos escolhendo os representantes?

- Capacidade: principalmente se o candidato pleiteia um cargo no executivo, deve demonstrar capacidade gerencial e executiva, além de qualidades como liderança, cultura, versatilidade, capacidade de mediação de conflitos e negociação, carisma, capacidade de aglutinação.

- Ética: quero ser convencido que o candidato segue sólidos preceitos éticos. Que saberá portar-se eticamente diante de pressões políticas e diante da tentação do pragmatismo fácil. Capacidade de execução com ética, responsabilidade e espírito público!

- Carreira: que a carreira política venha como consequência do seu trabalho e do seu desempenho e não como mera ambição pessoal e individual.

- Compromisso com o cargo: que deixe claro, ainda na campanha eleitoral, se admitiria interromper o mandato no legislativo para um cargo no executivo, caso convidado. Em princípio, isso não é necessariamente um problema, mas nem sempre as pessoas têm perfil para exercer com eficiência papéis tão distintos. Já vi casos em que legisladores tiveram atuação pífia no executivo e outros em a troca foi um sucesso. O que faço questão é não ser pego de surpresa e ter isso como um dos elementos para a minha decisão.

- Ideologia: que tenha posições claras, coerentes e não apenas posturas de ocasião. Não voto em quem já pulou por vários partidos. Salvo situações de reconhecido mérito, não considero que estes políticos tenham a coerência e o compromisso eu espero encontrar.

- Sustentabilidade: Não concordo com aquela frase que se celebrizou na Rio 92: "Pensar globalmente e agir localmente". A sustentabilidade requer uma visão muito mais sofisticada. É preciso pensar e agir localmente (no bairro e na cidade), regionalmente (no estado, no bioma, no litoral, etc.), nacionalmente (no Brasil), no continente, no planeta... Portanto, mesmo o representante local precisa saber pautar as suas ações pensando também nestas outras escalas. E não só na dimensão ambiental strictu sensu. Que pense a sustentabilidade também na dimensão da justiça social, da economia, da qualidade de vida, do transporte, da saúde, da educação, da cultura, da ciência, do lazer, do esporte, da gestão pública, da paz ...

O QUE ESPERO DA GESTÃO DO CANDIDATO?

Como eleitor em Niterói-RJ, espero que os candidatos defendam e promovam...

1) O futuro da cidade

- Ordem urbana: que seja aperfeiçoada e cumprida a legislação urbanística e ambiental para conter o crescimento urbano desordenado. Que livrem a cidade do lobby imobiliário que leva ao modelo atual de desenvolvimento, baseado no adensamento e na verticalização dos bairros.

- Cidade integrada: que a cidade seja uma só, integrada socialmente e urbanisticamente. Pelo fim da diferença entre asfalto e favela.

- Cidade sustentável: que se construa uma sociedade que tenha os seus alicerces nos valores da paz, da inclusão, da tolerância, da justiça social e da sustentabilidade.

- Cidade democrática: que se promovam instâncias participativas, democráticas e cidadãs de tomada de decisão. Queremos uma democracia participativa e não apenas delegatória aos eleitos.

- Cidade contextualizada regionalmente: que se retome o planejamento metropolitano, principalmente considerando os mega-empreendimentos em curso e a rápida transformação do padrão de uso da Baía de Guanabara e seu entorno.

- Cidade com mobilidade: que pensem uma solução para o colapso do trânsito na cidade buscando soluções inovadoras e abandonando o modelo do transporte individual, baseado no automóvel. A saída não está no aperfeiçoamento do que está superado: o modelo rodoviarista. Ruas, viadutos, túneis não passam de mais do mesmo. Por um transporte intermodal, de baixo custo e de baixo impacto. Queremos o novo, o inovador, o sustentável, ou seja, queremos mais transporte coletivo, mais ciclovia e o desestímulo ao transporte individual.

Saiba mais em Túnel Charitas - Cafubá: um equívoco que aumentará o engarrafamento em Niterói, Túnel Charitas-Cafubá: solução? e  Prefeitura anuncia mais uma vez o Túnel

2) Administração Pública

- Gestão cidadã: que defenda uma administração pública para o cidadão e não para os cabos eleitorais. Chega da proliferação de secretarias desnecessárias e inúteis que só servem para acomodar apadrinhamentos, conchavos políticos e para forjar futuras candidaturas.

- Gestão “desfulanizada”: que tenhamos políticas públicas com a cara da cidade e não do governo de ocasião. Para isso, que tenhamos políticas públicas com lastro social, que vem da legitimação da participação cidadã e não apenas do mero voto sazonal. Que se estimulem organizações comunitárias fortes, organizações profissionais fortes, manifestações culturais fortes, partidos políticos legítimos, ideológicos, representativos e fortes.

- Gestão de estado: que Niterói tenha uma administração profissional. Que se faça concurso público para as secretarias. Secretarias importantes como meio ambiente, esporte, etc., não contam com servidores de carreira. Apenas cargos comissionados. Como capacitar quadros que mudam a cada gestor de ocasião?

- Gestão compromissada com a qualidade dos serviços: administração pública eficiente, cidadã, transparente, democrática, participativa, liberta da lógica apenas "obreira" e voltada também para a qualidade dos serviços para a população. Que fique claro que por serviços entende-se a educação, saúde, segurança, transportes, manutenção da cidade (ruas, arborização, qualidade ambiental, etc.), oportunidades para o esporte, gestão de parques, controle ambiental, etc.

3) Esportes

- No contexto da Rio 2016: a nova gestão liderará a cidade até os Jogos Olímpicos de 2016, passando pela Copa do Mundo de Futebol. Serão mega-eventos em que as atenções do mundo estarão no Rio de Janeiro e será um período em que os esportes serão o foco das atenções. A administração da cidade terá que saber encontrar as oportunidades que beneficiem a cidade e gerar o legado esportivo e socioambiental que se espera da ocasião. Portanto, que Niterói persiga o ideal de se tornar uma cidade olímpica. Conforme definiu o atleta niteroiense Lars Grael, uma cidade olímpica seria caracterizada por:

  • Ter o índice de 100% das Escolas Públicas (Municipais e Estaduais) com Quadras Esportivas, Professores de Educação Física (bem remunerados) e Educação Física + Esporte regular em pelo menos 3 aulas semanais. Referência? São Caetano do Sul/SP.
  • Ter um programa público de esporte, atividade física e saúde preventiva de combate ao sedentarismo. Referência? Santos e Sorocaba/SP.
  • Ter um programa exemplar de esporte para a Terceira Idade e para os Portadores de Deficiência. Referência? Volta Redonda/RJ.
  • Ser um município que busque a liderança nas Olimpíadas Escolares do Ensino Fundamental; do Ensino Médio e dos Jogos da Juventude. Referência razoável? São Paulo.
  • Integrar os espaços esportivos ociosos dos clubes com a comunidade. Referência? Piracicaba/SP.
- Que Niterói seja fortalecida na sua vocação e tradição esportiva, com uma secretaria de Esportes estruturada e prestigiada, com o apoio a iniciativas de formação de atletas e de esporte educativo e social, com a ampliação das parcerias a iniciativas como o Projeto Nomes (Projeto Grael, Projeto Gerson, Projeto Fernanda Keller, Projeto Tatuí, Projeto Gugu).

- Niterói Cidade da Vela: Que promova a idéia que Niterói seja reconhecida como a Cidade da Vela e que os barcos sejam utilizados como instrumentos de educação, de inclusão social e de qualidade de vida. Quer saber como? Conheça o Projeto Grael...

4) Meio ambiente

- Tema prioritário e transversal na administração: Que meio ambiente seja uma prioridade da administração pública e não apenas um tema setorial. Que haja uma agenda ambiental em cada secretaria do governo.

- Promessas olímpicas: Que lute pelo cumprimento das promessas ambientais da candidatura olímpica para 2016: pela despoluição da Baía de Guanabara, pela melhoria da qualidade do ar, pelo plantio de 24 milhões de árvores, pela despoluição do sistema lagunar de Jacarepaguá e da Lagoa Rodrigues de Freitas.

Saiba mais sobre as promessas em http://axelgrael.blogspot.com/2012/03/as-promessas-ambientais-da-candidatura.html

- Enseada Limpa: Pela despoluição da Enseada de Jurujuba com o controle definitivo das “línguas negras” que despejam poluição nas praias e na prevenção do esgoto e lixo que ainda chegam ao Canal da Avenida Franklin Roosevelt.

Saiba mais em Canal de São Francisco leva toneladas de lixo para a Baía de Guanabara e Cena bucólica em meio ao caos urbano

- Quem gere as praias da cidade? Milhares de pessoas freqüentam as praias da cidade, principalmente na Região Oceânica de Niterói, sem que a cidade esteja equipada de meios para gerir este uso. Como consequência temos um trânsito caótico (um inferno para banhistas, mas principalmente para moradores dos bairros praianos), temos conflitos de usos (jetskis, etc), e impactos ambientais. Que se estabeleça uma autoridade responsável pelas praias (pode ser delegado a uma secretaria já existente), promovendo o ordenamento e o do uso das praias e ação coordenada de todos os serviços públicos, como limpeza, policiamento, etc.

Veja mais em: Parques e praias: uma dupla inseparável e Quem tem autoridade sobre as praias? Quem controla os abusos

- Onde estão os nossos parques? Que Niterói finalmente implante os seus parques e tenha uma política ambiental. A secretaria de meio ambiente ainda não se faz devidamente presente na cidade. É uma vergonha que até hoje o Parque Darcy Ribeiro não tenha sido implantado (saiba mais em http://www.amadarcy.org.br/). Aliás, até hoje a cidade não conta com qualquer parque municipal devidamente implantado.

Veja mais em Parque Darcy Ribeiro: símbolo da inércia da Prefeitura de Niterói

- Arborização abandonada: Que Niterói dê o devido valor e proteja as suas florestas e a sua arborização urbana. Pelo controle da infestação da “erva-de-passarinho” que vem dizimando a arborização sob a complacência da administração pública.

Saiba mais em "Erva-de-passarinho" destrói arborização urbana de Niterói".

- Vizinhança: Que os componentes ambientais e de impacto de vizinhança sejam incorporados ao processo de tomada de decisão na política urbana e na administração da cidade.



Maio de 2012

14 comentários:

  1. Excelente o seu artigo, com ênfase na lista de princípios básicos que o candidato deve "ter demonstrado" publicamente em sua vida.

    Importante ainda são suas esperanças políticas com relação à plataforma que você detalha. Concordo com todos os temas e itens, não há o que tirar, nem por...

    Pelo que posso pressentir, até o momento não conheço nenhum elemento que possua esse perfil. Nem mesmo "parecenças"...

    Boa sorte na sua escolha.

    ResponderExcluir
  2. Que maravilha de texto, se me permitir, quero compartilhar tal texto. Tudo está exatamente deveria ser na cabeça dos eleitores...não só a sua. Mas apesar de muito otimista, ainda me sinto perdida em relação a esses políticos que temos... Votei muito consciente em um Deputado e qd vejo o que ele fez, como foi a campanha eleitoral dele e vejo hj o que ele tem feito...me dá muita tristeza, pois sou obrigada a esperar 4 anos para mostrar a minha decepção. Já até enviei mensagens para ele, mas....infelizmente, nada de resultados. Precisamos sim mudar isso que está aí, a população além de votar consciente e com responsabilidade precisa sae unir, se juntar, execer seu papel de cidadão e mostrar que juntos somos muito fortes e que podemos sim mudar o rumo desta história! Parabéns mais uma vez por cada palavra sua acima !!!

    ResponderExcluir
  3. Vania e Ricardo. Agradeço os comentários. Vânia, fique a vontade para repassar.

    Axel Grael

    ResponderExcluir
  4. Axel
    Faço do seu texto, o meu, sem nenhuma coisa a acrescentar ou retirar. Pena que essa não seja a cartilha da maioria dos eleitores. Se fosse, saberíamos que estaríamos elegendo o mais capaz e não mais comprometido, o mais preparado e não o mais endinheirado,o mais preocupado com o bem estar do povo e não o mais demagogo, e assim por diante. Vou compartilhar na minha página do facebook. Abraços. Parabéns.

    ResponderExcluir
  5. Acredito que a solução para um Brasil melhor seria um povo com 1/3 da consciência que seu artigo expõe. Parabéns por reunir tantos aspectos importantes numa analise de um candidato a preencher um cargo publico com 'PODER' de transformar .

    ResponderExcluir
  6. Axel, realmente é um perfil ideal de candidato e de plataforma de governo, mas infelizmente e com muita tristeza eu chego à conclusão que este candidato não existe.
    Mesmo assim gostaria de lhe dar os parabéns pelo texto que mostra a todos que vêem buscar nossos votos, que ainda não perdemos a capacidade de nos indignar e de buscar de volta a Niterói que queremos!

    ResponderExcluir
  7. Excelente o texto! Só tenho uma observação a fazer. Por melhor que seja a pessoa humana, ela não consegue ter um nível de consciência ao nível das pessoas mais sensíveis a determinadas causas. Talvez possa existir um excelente candidato, mas que não tenha tanta sensibilidade à questão dos esportes, ou mesmo, apesar de boa, não esteja tão acostumada ao debate no que se refere à questão ambiental. Se fôssemos acrescentar que o candidato teria que ter uma consciência como tem a das pessoas envolvidas com: a proteção dos animais, a questão dos excessos tributários, a questão dos idosos, das pessoas com deficiência, e tantas outras causas que possamos imaginar. É claro que deve ter uma visão de todos estes temas, mas nunca será ao mesmo nível dos diretamente envolvidos.
    Neste sentido, o mais necessário é que aquele que venhamos a escolher saiba ouvir (verdadeiramente e não só para ganhar o voto), saiba escutar as demandas setoriais e locais e com elas partilhar suas tomadas de posição e decisões.
    Resumindo que seja uma pessoa preparada e disposta verdadeiramente a colocar sua função pública como um serviço aos demais. É na verdade a postura altruísta de que falas, esta a mais difícil!
    Honestidade, legitimidade, capacidade, ética e principalmente, fiel a todos os quesitos que colocou no que se refere à Administração Pública, que é uma vergonha em Niterói, quase todos os funcionários são indicações políticas, um número sem fim de funcionários fantasmas, desqualificados para função, etc...
    Isto é, uma pessoa capaz, mas disposta a ouvir, aprender e dividir com outros suas decisões no desempenho do mandato.

    Um grande abraço e parabéns por todo seu trabalho!

    Luiz Moura

    ResponderExcluir
  8. Ah, gostaria também de pedir autorização para repassar (sempre com a indicação da autoria claro)

    Luiz Moura

    ResponderExcluir
  9. Luiz Moura,

    Suas considerações sobre o texto são ótimas e complementam bem os meus argumentos. Fique a vontade para repassar.

    Obrigado,
    Axel Grael

    ResponderExcluir
  10. Muitos dos comentários aqui no Blog, no Facebook e por e-mail alertam que o perfil que eu espero não existe. É irreal.

    É verdade. Dificilmente alguém se encaixará de forma tão precisa, mas o que estamos fazendo é estabelecer critérios que orientem a escolha.

    Na hora da decisão será preciso comparar as alternativas que temos com os critérios estabelecidos. Alguns critérios são "cláusulas pétreas", das quais não podemos abrir mão. Outros podem ser relativizadas. A escolha poderá ser por aproximação.

    O voto é uma prerrogativa nossa e a forma de construção da decisão é nossa. Façamos isso com sabedoria e não com descuido. Há muita coisa em jogo para sermos negligentes nessa hora.

    Axel Grael

    ResponderExcluir
  11. Sr. Axel Grael,

    Tomamos a liberdade, sem a devida autorização, de publicar na nossa página do facebook esse texto de sua autoria como forma de estimular a discussão dos parâmetros para uma gestão da nossa cidade. Se considerar indevida a publicação, por favor nos avise. De qualquer modo, o parabenizamos pelo conteúdo do texto.

    Segue o comentário na nossa postagem:

    "Excelente texto do Axel Grael que pauta alguns critérios para escolha dos candidatos nas próximas eleições. Embora não seja do nosso partido, o Psol, Axel defende propostas e compromissos com a cidade de Niterói que temos pleno acordo como, por exemplo, a realização de concursos públicos, o combate ao lobby imobiliário, a valorização da legislação urbanística e de seus instrumentos como os Estudos de Impacto de Vizinhança. Também é excelente a ideia de criar uma gerência especial para toda a orla de Niterói."

    Paulo Eduardo Gomes
    (#assessoria)

    ResponderExcluir
  12. Agradeço à equipe do Paulo Eduardo Gomes pela publicação do artigo. Obrigado pela atenção. Axel

    ResponderExcluir
  13. Seu texto como suas idéias, e prática, são sempre coerentes. Pena que no país que temos elas só alcançam pequena minoria. O que fazer com as máquinas de voto do Executivo? E com a "votação eletrônica"(?)?e com o Legislativo dominado? e o Judiciário...Parodiando o Gabeira já estamos, em família, exilados em nossa própria Cidade!Embora praticando os mesmos princípios! Não se desiluda! Não desista!

    ResponderExcluir
  14. Quando isto vai acabar ?
    http://youtu.be/QYpRS3FHom8

    ResponderExcluir

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael. Obrigado.