quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Obra de dragagem tem início na Lagoa de Piratininga, na Região Oceânica

 


Intervenções terão investimento total de R$ 30 milhões do Governo do Estado. Obras irão colaborar com a renovação e oxigenação das águas, com benefícios para a pesca e o turismo

Tiveram início na terça-feira, as obras de dragagem do sistema lagunar de Piratininga-Itaipu, na Região Oceânica de Niterói. O secretário Estadual do Ambiente, Carlos Minc, anunciou, ao participar da cerimônia que marcou o início das intervenções, que o Governo do Estado vai investir um total de R$ 30 milhões, do Fundo Estadual de Conservação Ambiental (Fecam).

De acordo com Minc, o objetivo é a renovação e oxigenação das águas, favorecendo a navegabilidade, a pesca e o turismo.

Orçadas em R$ 5 milhões (dos R$ 30 milhões), as obras dessa etapa abrangem o desassoreamento do fundo da lagoa de Piratininga, para a retirada de ilhas de material lodoso na entrada dos canais do Timbau e de Camboatá; a instalação de comportas para melhorar o controle do fluxo de entrada e saída das águas do mar no sistema lagunar da região; e a retirada de pedras lançadas por correntes marítimas para os leitos dos canais e da lagoa.

“Os R$ 25 milhões restantes serão investidos em outra etapa da revitalização ambiental do sistema lagunar Piratininga-Itaipu que vai incluir a dragagem mais intensa dos canais centrais das lagoas e a construção de um molhe (estrutura formada por rochas que se estenderá até o oceano) na saída de Itaipu, garantindo a integração entre as duas lagoas através do canal de Camboatá”, disse o secretário, após assinar termo de cooperação técnica para a execução das obras com o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, que participou da cerimônia, ao lado do vice-prefeito, Axel Grael.

Na ocasião, o Rodrigo Neves exaltou a parceria, considerando-a como fundamental. “Essa obra dará um perspectiva de retomada da Lagoa. Vamos recuperá-la junto com a Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), combatendo o despejo ilegal de esgoto e com readequação da ocupação de seu entorno, isso, sempre através do diálogo”, disse.

Durante a cerimônia, a presidente do Inea, Marilene Ramos, detalhou o andamento das obras, ressaltando sua importância para garantir a renovação das águas da lagoa.

“Em breve, teremos mudanças significativas na Lagoa de Piratininga. Quem sabe, não conseguimos a volta de atividades esportivas, pois ela já teve um iate clube no passado. Com certeza, ganharemos um local corrigido ambientalmente, com a capacidade de abrigar usos múltiplos”, destacou o vice-prefeito, Axel Grael.

“Em uma outra etapa, as intervenções vão incluir a dragagem da Lagoa de Itaipu. Estas obras são complementares, pois seus sistemas hídricos têm que ser tratados de forma conjunta para garantir a melhoria da qualidade das águas das lagoas de Piratininga e de Itaipu”, afirmou Marilene Ramos.

Entorno – Como complemento da ação, um total de R$ 9,8 milhões, originários do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (Fecam) e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), foram anunciados para viabilizarem projetos de urbanização do entorno da área.

O processo de urbanização será auxiliado por R$ 8 milhões, captados pela Prefeitura junto ao governo federal através do PAC. “Em breve, teremos mudanças significativas na Lagoa de Piratininga. Quem sabe, não conseguimos a volta de atividades esportivas, pois ela já teve um iate clube no passado. Com certeza, ganharemos um local corrigido ambientalmente, com a capacidade de abrigar usos múltiplos”, destacou o vice-prefeito, Axel Grael.

“É um compromisso devolver à lagoa um estado perto do seu original. Houve a urbanização e nós a conhecemos antes desse período, ou seja, aconteceu uma série de agressões ambientais, por isso, esse passo no sentido de amenizar esse processo é importante para a volta da pesca, do turismo e do esporte também”. Torben Grael



“O grande passo, desta vez, é a parceria da Operação Se liga, articulada por nós com a Águas de Niterói e o Inea. Assim, evitamos que algo seja jogado na lagoa. Isso, junto com o Projeto Orla, visando cuidar do entorno, formamos esse conceito macro de cogestão, nos permitindo fazer mais com menos diante da condição orçamentária ruim da Prefeitura”, acrescentou Daniel Marques, secretário municipal de Meio Ambiente, Sustentabilidade e Recursos Hídricos.

Também presente ao evento, o iatista medalhista olímpico Torben Grael falou sobre a iniciativa. “É um compromisso devolver à lagoa um estado perto do seu original. Houve a urbanização e nós a conhecemos antes desse período, ou seja, aconteceu uma série de agressões ambientais, por isso, esse passo no sentido de amenizar esse processo é importante para a volta da pesca, do turismo e do esporte também”, concluiu.

Fonte: O Fluminense

Leia também: Cooperação entre Governo do Estado e Prefeitura de Niterói inicia revitalização das Lagoas de Piratininga e Itaipu

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.