sexta-feira, 30 de setembro de 2016

NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: Vice-prefeito acompanha teste de sistema que vai ler placas de carro na Ponte



O vice-prefeito Axel Grael acompanhou a simulação do novo sistema Foto: Alexandre Vieira / Prefeitura de Niterói / Divulgação
 
Os Portais de Segurança terão o objetivo de ler placas de carros que constam como roubados ou furtados

Foi feita na tarde desta quinta-feira (29) uma simulação de como vai funcionar o sistema de portais de segurança que foi instalado na Ponte Rio-Niterói e que será implantado também em outras seis entradas/saídas da cidade com objetivo de ler placas de carros que constam como roubados ou furtados. Nela foi mostrada como seria a identificação de um veículo supostamente roubado e acionado imediatamente o alarme sonoro do Cisp (Centro Integrado de Segurança Pública) como também uma viatura policial para fazer abordagem.

Ao todo, são 12 câmeras na Ponte Rio-Niterói, sendo quatro no sentido Rio e oito em direção a Niterói. Elas já estão funcionando e lendo as placas, faltando apenas a integração com o banco de dados da Polícia Civil em que constam os veículos roubados e furtados, o que está em andamento. Os demais portais de segurança serão instalados:
  • na Rua Doutor March, no Barreto,
  • na Estrada Caetano Monteiro,
  • em Maria Paula, na RJ-106,
  • em Várzea das Moças,
  • na estrada que liga Itaipu a Itaipuaçu
  • na Avenida Professor João Brasil,
  • em Venda da Cruz,
  • na Alameda São Boaventura, no Fonseca, vias que fazem divisa com outros municípios.
O vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, afirmou que a tecnologia vai contribuir para inibir a prática de crimes na cidade. "Identificar com eficiência a presença de carros suspeitos e permitir a resposta rápida de comunicação por parte das autoridades policiais na abordagem vai ajudar a coibir práticas criminosas na cidade. O bandido não quer correr risco e, na hora que você passa a contar com uma tecnologia como essa, ele se torna mais vulnerável, isso inibe a ação dele. O mais importante no combate ao crime é a punibilidade, é prender o sujeito e fazer com que ele responda na Justiça pelo que ele cometeu", disse.

O secretário municipal de Ordem Pública, coronel Gílson Chagas, explicou o andamento da implantação do sistema. "Estamos com as câmeras instaladas, o sistema já faz a leitura de placas e estamos na fase da integração dos dados de veículos roubados e furtados com a Polícia Civil e o Cisp. Dentro em breve, quando qualquer carro que esteja na condição de roubado ou furtado e venha a passar na Ponte, vai ser soado o alarme do Cisp, e nós vamos direcionar o alerta para a PM ou para a Polícia Rodoviária Federal", declarou.

Fonte: O Fluminense


-----------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

Portais da Segurança

SEGURANÇA EM NITERÓI: Câmeras do Cisp na Ponte vão começar a funcionar neste mês

Centro de Controle Operacional da Mobilidade de Niterói

NITERÓI CIDADE INTELIGENTE - Sistema de sinais inteligentes já em funcionamento em Niterói
NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: Primeiro conjunto de sinais inteligentes é instalado em Niterói
NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: Sinais inteligentes serão implantados nas dez áreas consideradas as mais congestionadas da cidade
NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: Município terá sinais inteligentes e trânsito monitorado em tempo real
NITERÓI TERÁ SISTEMA DE CONTROLE DE TRÂNSITO MAIS MODERNO DO PAÍS
CENTRO DE CONTROLE OPERACIONAL DE MOBILIDADE (CCO): Tecnologia de ponta vai monitorar e gerenciar o trânsito em Niterói 
NITERÓI TERÁ SISTEMA DE CONTROLE DE TRÂNSITO MAIS MODERNO DO PAÍS
PRODUIS (BID) - Niterói terá 110 câmeras em sinais de trânsito para monitorar cruzamentos
CISP - CCO: Prefeitura de Niterói vai implantar sistema de monitoramento de segurança nos ônibus da cidade
Sistema de monitoramento de Niterói contará com 450 câmeras e 80 botões de pânico
Prefeito em exercício visita Centro de Comando e Controle do Estado e acompanha teste de sirenes
POR UMA MOBILIDADE AINDA MAIS SUSTENTÁVEL
WRI Brasil Cidades Sustentáveis sela parceria com Niterói para o desenvolvimento do Plano de Mobilidade Urbana da cidade

TransOceânica - Controle Operacional

TRANSOCEÂNICA contará com sistema de controle operacional de alta tecnologia

Niterói Cidade Inteligente

Tecnologia a serviço da administração pública
TECNOLOGIA - NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: Plataforma digital promete deixar Niterói mais inteligente
CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO: Prefeitura terá informações georreferenciadas centralizadas em banco de dados
NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: soluções tecnológicas adotadas em Niterói foram debatidas em evento internacional na FGV
NITERÓI CIDADE INTELIGENTE - Colab.re: um ano a serviço de Niterói
NITERÓI CIDADE INTELIGENTE - TECNOLOGIA - Frota de ônibus de Niterói já ‘cabe’ no celular
MAIS SEGURANÇA EM NITERÓI - Segurança integrada no CISP - CENTRO INTEGRADO DE SEGURANÇA PÚBLICA
CCO - Centro de Controle Operacional do trânsito em Niterói
SISTEMA MUNICIPAL DE DEFESA CIVIL - gerenciamento dos dados da rede de pluviômetros, sirenes e estações meteorológicas
Inclusão digital - PLATAFORMAS URBANAS DIGITAIS
ARBORIBUS: controle georeferenciado da arborização urbana de Niterói
SMART CITIES - Cidades inteligentes criam nova economia
NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: Sinais inteligentes serão implantados nas dez áreas consideradas as mais congestionadas da cidade
CISP - Prefeito de Niterói anuncia ampliação do sistema de monitoramento do Cisp
SEGURANÇA: Prefeitura de Niterói publica decreto que cria Observatório de Segurança
SEGURANÇA - CISP: Serviço 153 da Guarda Municipal já passa das 1100 chamadas
MAIS SEGURANÇA EM NITERÓI - CISP: Câmeras já registraram 423 crimes
SEGURANÇA EM NITERÓI - Cisp vai receber em tempo real dados da Polícia Civil sobre veículos roubados
GESTÃO E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO CIDADÃO - Novo centro para atender demandas dos Niteroienses
SEGURANÇA EM NITERÓI - Prefeitura de Niterói vai integrar câmeras de condomínios do Jardim Icaraí ao Cisp
Com a ajuda do serviço 153 do Cisp, agentes da Seop capturam suspeito de furto a loja no Centro
Niterói lança aplicativo para que cidadãos denunciem focos de dengue
CISP LANÇA NOVO CANAL DE EMERGÊNCIA - Ligue 153




quinta-feira, 29 de setembro de 2016

NITERÓI SUSTENTÁVEL: Projeto CLIN Curumim leva ideias sustentáveis para escolas municipais





28/09/2016 - Existe um ditado que diz "é de pequenino que se torce o pepino”. Pois foi seguindo esta linha que a Companhia de Limpeza de Niterói (CLIN), por meio do setor de reciclagem (Reciclin), desenvolveu o Projeto CLIN Curumim, com o objetivo de levar coleta seletiva, oficinas de reaproveitamento de resíduos e estandes com materiais reciclados para as escolas municipais de Niterói. O projeto pretende alcançar todas as escolas da rede, abordando e trabalhando na prática ideias e hábitos mais sustentáveis.

Iniciado em janeiro de 2013, o programa que entrou na terceira edição este ano, promove palestras com temas educativos, abordando a importância da conscientização para a coleta seletiva, realiza exposição de artesanatos feitos a partir de materiais recicláveis e retira das ruas as papeleiras que estão danificadas ou foram depredadas e as restauram para serem distribuídas e reaproveitadas nas escolas.

A equipe já visitou 65 instituições, instalando três unidades de papeleira em cada uma delas para atender às necessidades da coleta seletiva.

“Muitos dos hábitos que os adultos têm até hoje são reflexo da educação que recebem na infância e dos valores que nos foram passados na época. As oficinas realizadas com os alunos têm o máximo de aproveitamento nos rendimentos escolares. Saímos satisfeitos de todos os eventos. As crianças aprendem a reduzir, reaproveitar e reciclar. A meta é atender a todas as escolas municipais, gerando educação ambiental e conscientização para alunos e funcionários", destaca Sílvia Pires, chefe de divisão da Reciclagem da CLIN.

Sílvia explica que todos são capazes de aprender coisas novas, repensar e mudar de atitude. “Essa reeducação também afeta diretamente crianças e adolescentes, que passam desde cedo a conviver com as chamadas ideias sustentáveis como separar lixo para reciclagem, economizar água e energia elétrica e entender o verdadeiro valor dos produtos e serviços que consumimos, criando cidadãos com senso mais crítico com relação a isso” afirma Silvia.

A Reciclin também realiza palestras em escolas estaduais, particulares e em empresas, disponibilizando materiais para trabalhos escolares e divulgando o trabalho da coleta seletiva, só não distribuem papeleiras, que são exclusivas para as escolas municipais. Instituições particulares e empresas interessadas no Clin Curumim, devem contatar a companhia de limpeza pelo site www.clin.rj.gov.br, clicando no link da Ouvidoria, ou ligar para o 0800 022 2175.

Fonte: Prefeitura de Niterói





PROJETO GRAEL RECEBEU O "NOMADES DES MER": Expedição dá volta ao mundo em busca de tecnologias sustentáveis



Cultivo: Elaine maneja plantação hidropônica de hortaliças para alimentação - Guilherme Leporace / Agência O Globo


Renan Almeida

Franceses disponibilizam tutoriais para montagem de tudo que aprendem

NITERÓI - A rotina de atividades de Coco e Elaine é típica do interior, num ambiente que de perto se confunde com uma granja — com galinheiro, hortas, comida na brasa —, mas que na verdade integra um roteiro mais próximo de uma aventura cinematográfica. Os dois franceses vivem há seis meses no catamarã Nomade des Mers (Nômade dos Mares), numa expedição de pesquisa e volta ao mundo com a duração de três anos. Em Niterói há um mês, ancorados no Projeto Grael, eles participaram de uma série de oficinas para ensinar um pouco do que aprenderam e colher conhecimentos locais.

Isso porque eles não estão só de passagem. Sua missão é baseada na troca e difusão de conhecimentos. Em cada parada pelo caminho eles se aproximam de comunidades e pessoas que desenvolvem projetos de baixa tecnologia e grande utilidade.

— É apenas o início. Em cada lugar que paramos tem tanta gente legal com boas invenções. Ainda não somos autônomos, compramos as coisas que usamos, mas a ideia é colher ideias, experimentar isso e no fim conseguirmos ser autossuficientes — diz Corentin De Chatelperron, o Coco, de 33 anos, engenheiro e idealizador do projeto.

Aqui no Rio, por exemplo, a dupla está focada na reciclagem de plástico. Na parada anterior, no Recife, eles aprenderam a desenvolver um biodigestor que fabrica gás de fogão a partir de lixo orgânico, como alimentos e dejetos de animais. Estudaram também agroecologia e em contrapartida ensinaram a construir um microgerador de energia eólica, que utiliza um motor de impressora adaptado a uma hélice feita de tubos de PVC que formam um catavento. O invento não custa mais de R$ 30.

— O catavento é um dos favoritos. É tão simples, barato e está sendo realmente muito útil para gerar energia e carregar eletrônicos — conta Elaine Le Floch, de 28 anos, responsável por buscar parceiros de invenções mundo afora.

Dieta de espinafre com larvas

A primeira impressão é que o barco é uma horta navegante, com plantas por todos os lados. Entre elas, a mais presente é o espinafre, que, segundo Elaine, é rico em proteínas, vitaminas e cresce rapidamente. Há ainda ferramentas e caixas com insetos e larvas pelos cantos. No fundo, um viveiro com quatro galinhas fornece ovos para alimentação. Na parte de baixo do barco, dois quartos e laboratórios de eletrônica e cultivo.

Quando a equipe do GLOBO-Niterói subiu na embarcação, a tripulação preparava um dos itens da dieta diária que mantém: larvas do tenebrio, uma espécie de besouro criada na embarcação. O exótico petisco é preparado com sal e pimenta.

Coco no laboratório de eletrônica dentro do catamarã - Guilherme Leporace / Agência O Globo


— É a comida do futuro, você vai ver — diz o francês Hugo Daniel, de 38 anos, que, assim como a bióloga Elina Reynaud, de 24, se juntou à tripulação no Brasil.

Coco brinca com o menu:

— Veremos no que nos transformaremos comendo tenebrio e espinafre todos os dias.

Embora já utilizem os sistemas criados para fornecer água, alimentos e energia, Alguns de Louis-Marie, coordenador da expedição, lembra que não se trata de um experimento de sobrevivência. Sendo assim, em cada porto que param enchem o tanque com água potável e adquirem alimentos para não pôr em risco a saúde do grupo. O deslocamento da embarcação, no entanto, é feito com a força do vento em 90% do tempo.

— Tem pessoas inovando em suas garagens, com invenções incríveis, e ninguém sabe. Aprendemos que no Brasil isso se chama gambiarra. Estamos experimentando a sustentabilidade neste barco graças a essas tecnologias. O que queremos provar é que é possível ser sustentável com apenas engenhosidade e trabalho — resume Louis-Marie.
 
 




Na troca de conhecimentos por aqui, eles desenvolveram na oficina de carpintaria do Projeto Grael um sistema de conservação e um desidratador de alimentos. São caixas de madeira que utilizam a troca de ar e temperatura para prolongar a vida útil de alimentos, substituindo a geladeira. Se estiver maduro demais, uma outra caixa utiliza o sol para desidratar alimentos e prolongar ainda mais.

— Vão levar tanto o pedaço material do Projeto Grael como o imaterial, que são as recordações da vivência com as crianças das oficinas — conta Thiago Marques, coordenador de meio ambiente do grupo brasileiro.

Depois de aprender as tecnologias e os sistemas sustentáveis, eles criam tutoriais de como replicá-las e os disponibilizam no site: www.lowtechlab.org.

Terça-feira eles zarpam rumo à África, numa viagem de cerca de um mês com apenas uma parada. Depois seguem para Ásia, Polinésia, Américas do Norte e Central, e de volta para a França.

Fonte: O Globo Niterói



-------------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

BOM DIA RJ NO PROJETO GRAEL: Barco-laboratório que dá volta ao mundo chega em Niterói para parceria com o Projeto Grael
PROJETO GRAEL RECEBE BARCO SUSTENTÁVEL: Nômades do ambiente ancoram em Niterói
Embarcação francesa que divulga técnicas sustentáveis chega a Niterói para parceria com o Projeto Grael







NITERÓI DE BICICLETA: Estudo mostra que população é favorável ao incentivo do uso das bicicletas





Aline Balbino

Uma pesquisa feita com 2.098 pessoas apontou que 74% desse total é a favor de ações que reduzam o espaço do veículo particular nas ruas se o motivo for dedicar esse espaço para ciclovias, corredores de ônibus e calçadas. O levantamento sobre mobilidade urbana foi encomendado pelo Greenpeace ao Instituto Datafolha. A pesquisa foi realizada com a partir de 16 anos, em 132 municípios de todas as regiões do país. Os entrevistados responderam perguntas sobre medidas que impulsionem o desuso de carros, com redução de vagas de estacionamento nas vias (rotativo), das faixas de rolamento e o fechamento de ruas para automóveis. O levantamento apontou que 43% dos entrevistados estavam na região Sudeste, sendo a maior parte mulheres entre 23 e 25 anos.

Em Niterói, há atualmente mais de mil vagas de estacionamento para bicicletas. E esse número deve crescer, já que em dezembro será finalizada a obra de construção do estacionamento de bicicletas na Praça Arariboia, no Centro. “A pesquisa demonstra que a população apoia a redistribuição do espaço nas ruas quando entende que ele será destinado a outros meios de transporte benéficos para a cidade”, diz Vitor Leal, da campanha de Mobilidade Urbana do Greenpeace Brasil.

Questionados sobre qual meio de transporte preferido para circular na cidade se elas oferecessem infraestrutura adequada, o ônibus seria a escolha de 42% das pessoas, seguido por carro (23%) e bicicleta (21%) – na prática, estes dois empatados pela margem de erro de dois pontos da pesquisa.

"É imprescindível que a sociedade abrace esta ideia pois já sabemos dos diversos benefícios que este modelo de cidade traz para a vida dos seus habitantes". Isabela Ledo, coordenadora do programa Niterói de Bicicleta


O motorista Francisco José, mesmo com seu carro é a favor de medidas que visem o pouco uso de carro. “Eu acho que estacionar em Niterói é difícil, até porque tem que pagar. Mas, eu sou a favor de melhorar a situação dos ciclistas. É preciso investir em ciclovias, área para parar bicicletas. É importante pensar numa vida saudável”, disse.

O ciclista Maurício Moreira, de 31 anos, concorda com Francisco. Para ele, pensar no ciclista é uma questão se segurança. “Não dá mais para disputar mais pelas ruas de Niterói com motoristas. Mais bicicletas na rua melhorará a cidade em tudo. Menos poluição, mais mobilidade, menos engarrafamento”, disse.

Isabela Ledo coordenadora do programa Niterói de Bicicleta concorda com o estudo. “É imprescindível que a sociedade abrace esta ideia pois já sabemos dos diversos benefícios que este modelo de cidade traz para a vida dos seus habitantes. Temos que repensar nossos hábitos diários de deslocamento e ter a consciência do impacto dos mesmos na nossa vida”.

Fonte: A Tribuna







Organização "ATLETAS PELO BRASIL" critica proposta do governo sobre esporte nas escolas



Integrantes da Atletas pelo Brasil se reuniram nesta segunda-feira em São Paulo (Foto: Fábio Suzuki) Foto: LANCE!


Ex-atletas criticam proposta do governo sobre esporte nas escolas

Membros da organização Atletas pelo Brasil pedem que o governo federal reveja medida para acabar com a obrigatoriedade da educação física no ensino médio

Fábio Suzuki e Rafael Valesi

A proposta do governo federal de excluir a obrigatoriedade de aulas de educação física no ensino médio nas escolas foi criticada por membros da organização Atletas pelo Brasil.

A entidade, presidida pela ex-jogadora de vôlei Ana Moser e que reúne diversos ex-atletas consagrados do Brasil, se tornou nos últimos anos uma das principais vozes em defesa de práticas mais transparentes e efetivas na política esportiva do país. E, nesta nova polêmica envolvendo a prática da educação física nas escolas, a posição não foi diferente.

Para integrantes do grupo, a medida deveria ao menos ser debatida, coisa que não aconteceu. O texto da Medida Provisória, que institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (na qual a educação física deixa de ser obrigatória no ensino médio), foi enviado ao Congresso Nacional na última sexta-feira. A proposta será analisada por uma comissão mista antes de ser encaminhada aos Plenários da Câmara e do Senado.

Fonte: Lance!










SEGURANÇA EM NITERÓI: Nos retoques finais, Cidade da Ordem Pública é palco da formatura da nova turma de guardas municipais


 




Fotos Alexandre Vieira


28/09/2016 - A Prefeitura de Niterói realizou na tarde desta quarta-feira (28/9), na Cidade da Ordem Pública Marcus Jardim, a formatura da quarta turma, composta por 58 guardas municipais aprovados no concurso público realizado em 2014. Com a incorporação dos novos agentes, a força tem agora 600 guardas, o dobro do que tinha em janeiro de 2013.

A turma, que foi batizada em homenagem ao guarda Antônio Heriberto Pereira da Silva, falecido em março de 2016, vítima de acidente de trânsito, passou por 504 horas/aulas. Professores da Universidade Federal Fluminense, guardas civis municipais graduados, bem como professores convidados, foram responsáveis por ministrar as aulas, que incluíam abordagem, utilização de armas não letais, primeiros socorros, cidadania, entre outras.

Fachada frontal da Cidade da Ordem Pública.

Auditório.

Vistoriando as instalações e obras ainda em andamento.


O vice-prefeito Axel Grael parabenizou os novos Guardas de Niterói, destacando que a segurança pública é um dos temas mais importantes para a população de Niterói.

“Nós temos recebido muitas sugestões para que a gente tenha, cada vez mais, uma política pública integrada da nossa Guarda com as demais corporações, para que a gente avance com essa agenda da segurança. E nós temos feito o nosso papel. Nós estamos aqui hoje diante desta nova sede da Guarda Civil, a casa da Ordem Pública de Niterói, que é uma estrutura logística especial, feita com muito esforço e, principalmente, feita da forma que possa atender às demandas da Guarda, para que ela seja o mais operacional possível. A presença de cada um de vocês nas ruas é a presença do município, da prefeitura, perante o cidadão de Niterói. O uniforme de vocês é uma das marcas de Niterói”, disse o vice-prefeito.

O Secretário municipal de Ordem Pública, Gilson Chagas, dirigiu-se aos formandos, destacando a responsabilidade do trabalho como Guarda Civil.

“A instituição que os senhores e senhoras integram hoje passou por uma profunda transformação nos últimos três anos e meio. A nossa Guarda deixou de ser uma Guarda patrimonial para ser uma guarda-cidadã, uma Guarda presente nas ruas, que patrulha, que salva, que resgata animais, que preza pelo ordenamento urbano, que ama sua profissão. Ela  dobrou seu efetivo, se especializou, passou a ser uma força de segurança pública de altíssimo nível. A cada dia nós avançamos, pois o Poder Executivo é preocupado com a segurança de Niterói”, comentou o secretário.

A solenidade contou com a participação da Banda do Exército da Fortaleza de Santa Cruz, que executou o Hino nacional brasileiro e o da Guarda Civil Municipal. Durante a cerimônia, os formandos receberam certificado de conclusão de curso de seus respectivos padrinhos e madrinhas.

Estiveram na Cidade da Ordem Pública para acompanhar a formatura o coronel Danilo Nascimento, comandante do 4º Policiamento de Área (CPA), o coronel Salema, comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar, o coronel Wilton Ribeiro, coordenador do Grupo Executivo Para o Crescimento Ordenado e Preservação de Áreas Verdes (GECOPAV), o delegado Sérgio Caldas, responsável pelo 4º Departamento de Polícia de Área (DPA), Carlos Raposo, procurador-geral do Município, Giovanna Victer, secretária de Planejamento, e José Mauro Haddad, presidente da Neltur, entre outros.

Fonte: Prefeitura de Niterói






quarta-feira, 28 de setembro de 2016

NITERÓI CIDADE INTELIGENTE - Sistema de sinais inteligentes já em funcionamento em Niterói




Fotos Axel Grael




Equipamentos já estão instalados no Centro e no Largo da Batalha

28/09/2016 - O sistema de sinais inteligentes em Niterói já começou a funcionar no Largo da Batalha e no cruzamento da Avenida Jansen de Melo com a Rua Marechal Deodoro, no Centro. Nesta quarta-feira (28/9), na presença do vice-prefeito Axel Grael, foi feita uma demonstração de como funciona esse sistema no local onde foi implantado o CCO (Centro de Controle Operacional de Mobilidade), na sede do Cisp (Centro Integrado de Segurança Pública), na Região Oceânica.

No teste, foram observadas situações em que havia necessidade de se aumentar ou diminuir o tempo do sinal verde ou do vermelho.

Até o exato momento, já foram instalados quatro dos 190 controladores de tráfego, sendo um no cruzamento na Jansen de Melo e outros três no Largo da Batalha. Em relação às câmeras de loop virtual, que transferem informações para o controlador tomar as decisões de diminuir ou aumentar o tempo dos sinais, também serão 190 e já há três instaladas no Centro e dez no Largo da Batalha.

Essas câmeras, além de ter a capacidade de observar a presença ou a ausência de veículos em um determinado cruzamento, podem também fazer a contagem de veículos, a classificação deles, medir a velocidade média, entre outras coisas.

Os controladores de tráfego serão instalados em dez áreas de maior movimento na cidade: Icaraí, Fonseca, Centro, Santa Rosa, São Francisco/Charitas, Largo da Batalha, Orla (Icaraí, Ingá e Centro), Barreto, Engenho do Mato e Região Oceânica.

O próximo passo do CCO será a implantação de painéis informativos fixos. Ao todo, serão dez espalhados pela cidade. Haverá também quatro painéis móveis, sendo que dois já estão de posse da Prefeitura.

O vice-prefeito Axel Grael destacou a importância do sistema para a cidade.

"Esse sistema foi adquirido com recursos do BID. Estamos com o ritmo de implantação andando, foi feito o primeiro teste, as primeiras unidades já estão na rua. Vimos que a tecnologia é apropriada. Niterói está caminhando para se posicionar como uma referência em cidade inteligente, agregando a tecnologia para melhorar o cotidiano. O trânsito, junto com a segurança e a saúde, está entre as principais preocupações dos moradores de Niterói. E estamos tratando deste tema com prioridade, por isso a aposta neste sistema. Essa tecnologia vai permitir maior fluidez do trânsito, evitar engarrafamentos e reduzir a velocidade, trazendo mais segurança às ruas. Facilitará também a integração dos modais. O programa dentro de uma visão mais genérica de soluções de mobilidade, com certeza, coloca Niterói como referência no contexto da Região Metropolitana e vai influenciar outras cidades a fazer a mesma coisa", salientou.

Leonardo Mattos, gerente de projetos da ENGIE, empresa responsável pelo desenvolvimento, implantação e operação do sistema, falou sobre como funcionarão os equipamentos.

"Teremos câmeras capazes de entender o trânsito e informar ao controlador para ele tomar decisões e diminuir ou aumentar o tempo de verde, vermelho, de acordo com que as câmeras estão observando em tempo real. Hoje, fizemos uma demonstração dos quatro controladores que foram instalados. Mostramos como eles trabalham, como buscam as informações e evidenciam as adaptações do tráfego em tempo real", declarou.

O CCO da Mobilidade tem investimento de R$ 19,1 milhões, por meio de convênio com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), dentro do Programa de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social de Niterói.

Fonte: Prefeitura de Niterói






PROTEÇÃO ANIMAL: Centro de Castração de Animais perto de iniciar atendimentos




O Centro será capaz de realizar cerca de 400 castrações por mês. Foto: Evelen Gouvêa


Espaço que vai funcionar no Horto do Fonseca deve ser inaugurado em outubro

O novo Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos, que vai funcionar no Horto do Fonseca, Zona Norte da cidade, está quase pronto. Quem passa pelo local já vê a instalação com ares de que deve começar suas operações em breve. Com previsão de inauguração para outubro, a instalação deve realizar em torno de 400 castrações por mês. Além desse serviço, o local vai contar com consultório para pequenos atendimentos e oferecerá curso de banho e tosa destinado a jovens carentes.

Segundo a Prefeitura, o CCP terá, ainda, dois centros cirúrgicos, equipados com “o que há de mais moderno para cirurgia de castração de animais”. O local também terá uma sala para preparação cirúrgica e outra pós-operatória. Todos os serviços serão gratuitos.


Foto de Leonardo Simplício.


Para Marcelo Pereira, diretor de Proteção Animal da Secretaria de Meio Ambiente, o Centro será um local de eficiente atendimento ao animal doméstico.

“Com o CCP, o número de animais castrados irá aumentar, gerando menos abandono, além de oferecer mais proteção para animais que precisam dos serviços. O centro será um complexo de 1,2 mil metros quadrados, e representará um novo conceito de projeto para atender à proteção animal de perto. Além da preocupação social, já que vai capacitar jovens da cidade com o curso de banho e tosa”, explicou.

O Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos é um projeto da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade (SMARHS).

Fonte: O Fluminense



-----------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

Horto do Fonseca terá centro da Prefeitura para a castração gratuita para animais
CENTRO DE CONTROLE E PROTEÇÃO ANIMAL DE NITERÓI ESTÁ QUASE PRONTO
Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos entra em reta final de construção
Crianças da escola Anísio Teixeira recebem primeiros exemplares da Cartilha de Proteção Animal de Niterói
"ADOTAR É O BICHO": Mais segurança para o dono e o animal
FAUNA EM NITERÓI: Guarda Ambiental de Niterói resgata jacaré-do-papo-amarelo no Engenho do Mato
CÃO RESGATADO HOJE NO CANAL DA ALAMEDA SÃO BOAVENTURA
PROTEÇÃO AOS ANIMAIS DOMÉSTICOS - Cartilha da Prefeitura de Niterói orienta sobre a Lei Municipal dos Animais
CANICROSS NO PARNIT - Atletas e seus cães disputam prova em Niterói
HORTO DO FONSECA - Dia de festa para reinauguração do Horto Botânico do Fonseca
LEI MUNICIPAL DE PROTEÇÃO ANIMAL: Homem detido por abandonar filhotes no Horto do Fonseca
Nova LEI MUNICIPAL DE PROTEÇÃO E BEM ESTAR ANIMAL - Regras mais rígidas para proteger animais em Niterói
Niterói publica a LEI MUNICIPAL DE PROTEÇÃO E BEM ESTAR DE ANIMAIS DOMÉSTICOS (Lei Nº 3153 de 21 de julho de 2015)

Outras postagens

BIODIVERSIDADE - Brasil tem mais de 116 mil espécies da fauna
SEGURANÇA - CISP: Serviço 153 da Guarda Municipal já passa das 1100 chamadas





SEGURANÇA EM NITERÓI: São Francisco e Vital Brazil ganham cabines compartilhadas


 
Base de São Francisco.

Praça Vital Brazil também passa a contar com cabine compartilhada. Foto: Luciana Carneiro / Ascom Niterói


Novas unidades totalizam seis instaladas na cidade

Entraram em funcionamento nesta terça-feira (27) as cabines compartilhadas da Polícia Militar e Guarda Municipal nos bairros de São Francisco e Vital Brazil, em Niterói. Em São Francisco a unidade funcionará 24 horas para atendimento de ocorrências e servirá como ponto de apoio aos PMs que atuam no bairro. Já na Praça Vital Brazil a cabine funcionará nos moldes da unidade existente no Campo de São Bento de 7h às 19h.

Com as duas cabines, Niterói passa a contar com seis bases em funcionamento - as outras ficam em Icaraí, Largo do Marrão, Piratininga, Alameda São Boaventura. A próxima unidade compartilhada ficará no Fonseca, próximo à Rua São Januário.

O secretário de Ordem Pública, Gilson Chagas, falou sobre a importância das novas bases e do aumento do efetivo da guarda: “Cada vez mais, a Guarda aumenta seu papel como força de segurança do município. A Guarda na rua representa segurança para a população de Niterói. Nada disso seria possível sem o reforço no efetivo da Guarda por conta do concurso público realizado em 2014 pela Prefeitura, o maior da cidade na área. Com isso, dobrou-se o efetivo da guarda, permitindo sua maior presença nas ruas e dando apoio à população”.

Morador de São Francisco há 35 anos, o aposentado José Josafhat destacou que quanto mais apoio e integração, melhor.

“Quanto mais tivermos de integração entre essas forças, melhor para a população. A cidade precisa desse olhar ", disse o morador.

Fonte: O Fluminense







TRANSOCEÂNICA - Teste com ônibus no túnel Charitas-Cafubá


A travessia ocorreu na galeria Luís Antônio Pimentel (sentido Charitas) e, durante o percurso de 1,3 km, técnicos trabalhavam para finalizar a obra de mobilidade, que será entregue ainda esse ano. Foto: Lucas Benevides


Giovanni Mourão

Dimensões de galerias foram consideradas bastante adequadas para o sistema BHS

Foi realizada nesta terça-feira (27) às 15h, a primeira travessia de ônibus no túnel Charitas-Cafubá. A passagem ocorreu na pista do BHS (Bus with High Level of Service) da galeria Luís Antônio Pimentel (sentido Charitas) e não apresentou problemas. Durante o percurso de 1,3km, técnicos trabalhavam nos retoques finais da obra de mobilidade mais esperada da história de Niterói. De acordo com o cronograma, a previsão é que o novo túnel da cidade fique pronto ainda este ano, no dia 22 de novembro.

O vice-prefeito Axel Grael falou sobre a iniciativa que pretende reduzir o tempo de percurso da Região Oceânica para a zona sul da cidade. Foto: Lucas Benevides

 
“Esse túnel é uma solução de mobilidade sincronizada com uma nova concepção de cidade, com ênfase no transporte coletivo. Com a Transoceânica, temos como meta reduzir em pelo menos 20% o número de deslocamentos por automóveis. Uma forma de dar conforto e velocidade ao sistema é reduzir ao máximo as conexões”, explicou o vice-prefeito Axel Grael, durante a visitação.

A implantação do túnel Charitas-Cafubá é aguardada pela população niteroiense desde a década de 40. A novidade contará com um sistema de ventilação e de monitoramento por câmeras, além de iluminação especial.

As duas galerias do túnel também contarão com ciclovias, que diminuirão o tempo entre a Zona Sul e a Região Oceânica, para os adeptos da bicicleta. O espaço será cercado por uma proteção feita com metal e vidro e possuirá ventilação própria.

O vice-prefeito também destacou a mudança ecológica que a nova obra traz.

“A concepção é a sustentável. Ao tirarmos carros da rua, reduzimos a emissão de gases do efeito estufa, além de amenizar os engarrafamentos. Temos uma rede de monitoramento de qualidade do ar que está sendo colocada ao longo de toda TransOceânica, um embrião que atenderá futuramente à cidade toda. Também estamos replantando mais de mil árvores na área de influência da TransOceânica”, concluiu Axel.

As duas galerias do túnel, Luís Antônio Pimentel e João Sampaio, terão duas faixas para veículos, uma para o BHS e uma ciclovia. A obra faz parte da TransOceânica, que possuirá mais de 9km de extensão, atendendo a 11 bairros da Região Oceânica e transportando cerca de 80 mil pessoas por dia.

A previsão é que os ônibus façam em 25 minutos o trajeto do Engenho do Mato até Charitas, passando por 13 estações e se integrando à estação de barcas de Charitas. Atualmente, o percurso é feito em mais de uma hora.

Fonte: O Fluminense







segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Cidade da Ordem Pública recebe os ajustes finais





Espaço localizado no Barreto será utilizado na quarta-feira para formatura de 57 novos guardas municipais

O vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, visitou nesta segunda-feira (26) as obras da Cidade da Ordem Pública Marcus Jardim, no Barreto. Os trabalhos no local, que vai abrigar as novas sedes da Guarda Municipal, da Secretaria de Ordem Pública e do Departamento de Fiscalização de Posturas, estão bem adiantados. Para marcar a reta final da obra, nesta quarta-feira (28) será realizada no espaço a formatura de 57 guardas municipais integrantes da quarta turma de aprovados no concurso público para a corporação.

Axel visitou todas as instalações, como o auditório para 350 lugares, os futuros alojamentos e refeitório, as três salas de aula para a capacitação dos guardas, entre outras. Os prédios serão sustentáveis. Os três contarão com cobertura de telhado verde. A Cidade da Ordem Pública vai funcionar onde existia um antigo quartel do Exército, 4º GCAM, que estava abandonado, e vai ajudar na requalificação urbana do bairro do Barreto.

Acompanharam o vice-prefeito os secretários municipais de Ordem Pública, Gilson Chagas; de Obras, Vicente Temperini; o presidente da Emusa, Ricardo Lanzelote e os engenheiros da obra. “A obra está bem avançada, faltando apenas alguns ajustes finais. Acho que esse tipo de infraestrutura que estamos fazendo para a guarda dificilmente encontraremos em outra cidade. Isso é muito importante para a capacidade de atuação da corporação, porque aqui teremos tecnologia e todo o apoio para que tenhamos uma guarda moderna e bem preparada para dar a resposta que a população precisa. Tenho certeza que Niterói será referência para outras cidades a partir desta obra”, afirmou o vice-prefeito.

Infraestrutura

A Cidade da Ordem Pública integra o conjunto de investimentos da Prefeitura de Niterói para melhorar a segurança no município. Além da nova sede, a Guarda Municipal teve seu efetivo dobrado com o concurso público.

O local ocupa uma área de 5.315 metros quadrados. A nova sede da Guarda Municipal contará com um auditório; alojamentos masculino e feminino; refeitório; três salas de aula; depósito de mercadorias apreendidas; almoxarifado; setor de comunicações; Coordenadoria de Trânsito; setor de planejamento; RH; arquivo; 13 banheiros; e depósito de lixo.

A Secretaria de Ordem Pública contará terá, além dos gabinetes do secretário e dos subsecretários administrativo e operacional, salas de monitoramento, logística, de reunião e de apoio, Coordenadoria de Inteligência, arquivo e oito banheiros.

Já o Departamento de Fiscalização de Postura terá recepção, salas de fiscais, do diretor e de reunião, cartório, arquivo, copa, sete banheiros e depósito de lixo. Futuramente, a Cidade da Ordem Pública vai ganhar um canil e um estande de tiro.

Fonte: O Fluminense






MUDANÇAS CLIMÁTICAS: Prefeitura cria o Grupo Executivo de Sustentabilidade e Mudanças Climáticas de Niterói (GE-CLIMA)



COMENTÁRIO DE AXEL GRAEL:

As mudanças climáticas são um dos mais importantes temas na agenda ambiental planetária e adoção de medidas para a prevenção do problema e a reversão do processo têm mobilizado esforços em todo o mundo.

E as cidades, que concentram o maior percentual da população mundial, das indústrias e outras atividades emissoras de Gases de Efeito Estufa (GEE), precisam assumir o seu protagonismo no tema.

A Região Metropolitana do Rio de Janeiro localiza-se na faixa litorânea e sofrerá as consequências das mudanças climáticas através da intensificação dos fenômenos como chuvas fortes e estiagens, com consequências para a defesa civil. Outro efeito será a elevação do nível do mar, com a inundação de áreas de baixadas e dificultando a drenagem.

Principais áreas da Região Metropolitana com potencial para serem afetadas pela elevação do nível do mar, causada pelas mudanças climáticas. Imagem divulgação Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.

No caso de Niterói, os veículos motores são a principal fonte de emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE). Os investimentos mais importantes que a Prefeitura realiza na área da mobilidade, além de atender às demandas da população, também têm como motivação reduzir estas emissões. É o caso da TransOceânica, projeto que privilegia a oferta de melhores serviços de transporte público coletivo e tem como meta reduzir pelo menos 20% do uso de transporte motorizado individual na Região Oceânica de Niterói.

Outra iniciativa é o Programa Niterói de Bicicleta, que na atual gestão consolidou-se e mais do que dobrou a extensão da malha cicloviária de Niterói e terá um novo impulso com a implantação do Programa Região Oceânica Sustentável (PRO-Sustentável), que implantará 57 km de ciclovias, só na Região Oceânica, inclusive nas galerias do túnel Charitas-Cafubá.


A principal fonte de emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE) em Niterói é o transporte (emissões veiculares).

Outra iniciativa que fortalecerá a participação do transporte coletivo na mobilidade de Niterói será a implantação do VLT, que ligará Charitas ao Centro da cidade e que encontra-se em fase de planejamento.

Também o CCO - Centro de Controle Operacional do Trânsito da cidade, ajudará a reduzir as emissões de GEE e outros poluentes uma vez que ordenará melhor o trânsito de veículos e evitará frenagens e acelerações nos sinais de trânsito.

Mas o GE-CLIMA não se ocupará apenas das questões relacionadas às emissões de GEE do transporte, mas também sobre outros aspectos importantes como as emissões industriais, de estabelecimentos comerciais, além do Aterro do Morro do Céu (desativado mas que ainda gera metano), queimadas etc.

Da mesma forma que o GE-CLIMA terá um olhar para as emissões de GEE, também avaliará os impactos da elevação do nível do mar no planejamento urbano da cidade e orientará iniciativas compensatórias, como o desenvolvimento de ações de reflorestamento. O plantio de florestas nas encostas degradadas e as demais ações de redução de emissões poderão permitir que a cidade receba investimentos através de créditos de carbono e outros mecanismos.

Que Niterói siga em frente tornando-se uma referência em sustentabilidade urbana.

Axel Grael
Vice-Prefeito
Niterói



--------------------------------------------------------



Prefeitura cria grupo que fará inventário da emissão de gases do efeito estufa e ameaças climáticas

26/09/2016- A Prefeitura de Niterói publica nesta terça-feira (27.9), no Diário Oficial do Município, decreto que institui o Grupo Executivo de Sustentabilidade e Mudanças Climáticas de Niterói (GE-CLIMA). Esse grupo de trabalho será formado como o objetivo de executar estudos, propor ações, conscientizar e mobilizar a sociedade e o governo municipal para a discussão dos problemas decorrentes das mudanças do clima e promoção do desenvolvimento sustentável, contribuindo para o crescimento econômico, a preservação ambiental e o envolvimento social.

Entre as atribuições do grupo está a de reunir propostas que promovam a mitigação das emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE) e incentivem práticas de desenvolvimento sustentável, formando um inventário.

Além disso, o GE-CLIMA irá:
  • estudar e propor o desenvolvimento de estrutura institucional participativa para compartilhar informações e debater as políticas climáticas no município;
  • colaborar na realização do inventário das emissões de gases de efeito estufa (GEE), mediante a coleta, recorte de dados e informações sobre fontes de emissões no município, bem como sua relatoria de acordo com metodologia de referência;
  • subsidiar o Poder Executivo Municipal na definição das metas de redução de emissões de gases de efeito estufa; coordenar a elaboração de uma política municipal sobre mudança do clima;
  • coordenar, acompanhar e monitorar, no âmbito dos órgãos que o integram, a implementação de políticas públicas setoriais, observando sua eficácia na redução das emissões e sequestro de gases de efeito estufa e aumento da capacidade adaptativa do município, bem como a adoção das medidas de mitigação e adaptação; e
  • identificar fontes de financiamento e elaborar projetos para captação de recursos externos, visando à execução das políticas.

O grupo será formado por integrantes de diversas secretarias, entre elas a de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade, Urbanismo e Mobilidade, Conservação e Serviços Públicos, Saúde, entre outras.

O vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, explica que a formação do GE-CLIMA tem como base uma coalizão global de prefeitos, pelo qual as lideranças se comprometem em atuar na mitigação e adaptação de seus municípios às mudanças do clima. É desenvolvido pelo ICLEI (Global Governments for Sustainability), que é a principal associação mundial de governos locais dedicados ao desenvolvimento sustentável.

“No Brasil, cinco municípios já participaram da capacitação da ICLEI e fizeram seu primeiro inventário: São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Recife e Betim. Agora, Niterói também formará seu grupo porque sustentabilidade é um fundamento estratégico da prefeitura, especialmente com relação às questões associadas ao aquecimento global, que são complexas e necessitam de estudos e integração dos órgãos”, afirma Grael.
 







NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: Primeiro conjunto de sinais inteligentes é instalado em Niterói



COMENTÁRIO DE AXEL GRAEL:

O Centro de Controle de Operacional do Trânsito de Niterói (CCO), assim como o Sistema de Geoprocessamento (SiGEO), são iniciativas do Programa de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social (PRODUIS), financiado pelo BID, fundamentais para que Niterói consolide os seus avanços para se tornar uma Cidade Inteligente. O PRODUIS é coordenado pelo Gabinete da Vice-Prefeitura de Niterói e o contrato para a implantação do CCO terá o custo de R$ 19,1 milhões.

O CCO permitirá que o trânsito da cidade ganhe maior fluidez melhorando a qualidade de vida e o cotidiano da população de Niterói. Mesmo com a redução da velocidade do trânsito, as pessoas chegarão antes ao seu destino, pois o sistema garantirá o efeito "onda verde", permitindo que o motorista avance sem parar em cada esquina.

"Mesmo com a redução da velocidade do trânsito, as pessoas chegarão antes ao seu destino, pois o sistema garantirá o efeito 'onda verde',..."



Com a redução da velocidade no trânsito, haverá também a redução do risco de acidentes e a diminuição da emissão de gases poluentes provenientes dos veículos, o que vem a ser a maior fonte de poluição atmosférica na cidade de Niterói.

A tecnologia a ser implantada será a mais avançadas na América Latina e dentre as melhores do mundo, como garantiu o dirigente da empresa ENGIE, que venceu o processo licitatório para a implantação do CCO.

O CCO também compartilhará tecnologia e informações com o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) e com o SiGeo. Os sistemas reunidos implantarão uma rede de fibra ótica pela cidade, que permitirá também outros avanços nos serviços de acesso à informação para Niterói.

Mais um passo para fazer de Niterói a Melhor Cidade para se Viver e Ser Feliz.

Axel Grael
Vice-Prefeito
Niterói





-------------------------------------------------------------


Primeiro conjunto de sinais inteligentes é instalado em Niterói


Olhar eletrônico. Câmera específica capaz de analisar a movimentação de veículos nas ruas - Guilherme Leporace / Fotos de Guilherme Leporace


Renan Almeida

Equipamento ajusta automaticamente sinais para permanecerem abertos ou fecharem

NITERÓI - O primeiro conjunto de sinais inteligentes da cidade entrou em operação na última quarta-feira. Trata-se de um sistema integrado a câmeras próprias capazes de analisar a movimentação de veículos em cada uma das vias de um cruzamento; e, a partir dos dados, tomar automaticamente decisões para melhorar o fluxo na via mais carregada. Na prática cotidiana, ele ajustará o sinal para permanecer aberto por mais tempo onde há maior demanda e fechar mais rapidamente quanto for oportuno. A NitTrans afirma que o tempo de deslocamento dentro da cidade poderá ser reduzido em até 40% já em julho do ano que vem, quando todo o sistema for renovado na cidade. Serão 190 sinais com câmeras, sendo 50 deles autônomos.

Os equipamentos atuais funcionam num modelo pré-programado de operação: marcadores no asfalto contam a passagem dos veículos e os dados são enviados para uma central, que calcula quanto tempo os sinais devem ficar abertos e fechados. A informação é utilizada por um controlador para fazer o ajuste. O primeiro sinal com inteligência no próprio cruzamento foi instalado num dos grandes gargalos de trânsito na cidade, a esquina da Avenida Jansen de Mello com Rua Marechal Deodoro, no Centro.

— Se durante três segundos não passar nenhum carro aqui, por exemplo, o sinal vai fechar — explica o engenheiro de tráfego Alexandre Cony. — Paralelamente, todos os dados ainda são enviados para uma central, que consegue analisar o aumento de fluxo num local e projetar a necessidade de ajustes num ponto à frente, antes de o congestionamento chegar.

O próximo conjunto inteligente será instalado no Largo da Batalha, região problemática porque é passagem quase obrigatória de todos os motoristas que vêm da Região Oceânica e de Pendotiba com destino ao Centro, à Zona Sul e à Ponte. Ali, segundo a NitTrans, os equipamentos devem ser instalados na próxima semana.



Operação. s:Guilherme Leporace - Guilherme Leporace / Agência O Globo.


— Fizemos uma contagem complexa no Largo da Batalha. Sabemos quantos carros vêm de cada região e para onde eles seguem. O resultado com certeza vai ser notável — afirma o engenheiro.
Controle no celular

Além dessas regiões, os equipamentos serão instalados em outros importantes cruzamentos de Centro, Fonseca (serão quatro na Alameda São Boaventura), Ingá, Icaraí (Rio Cricket, por exemplo), Santa Rosa, São Francisco (em frente ao McDonald’s), Largo da Batalha (serão três), Barreto e Região Oceânica.

O objetivo é conseguir implantar com mais eficiência a chamada “onda verde”, a sincronização dos sinais de um percurso para evitar interromper o trânsito em cada esquina. A nova tecnologia também permite que um operador de trânsito opere os sinais por meio de computadores ou mesmo de um celular. A possibilidade é útil, por exemplo, para orientar desvios no trânsito, colocar os sinais no piscar amarelo ou acionar o verde e o vermelho por tempo indeterminado.

Todos os dados e imagens coletadas pelas câmeras inteligentes serão enviadas para o Centro de Controle Operacional (CCO), que está sendo montado no segundo andar do prédio onde funciona o Centro de Integrado de Segurança Pública (Cisp), em Piratininga. De lá, os técnicos farão o acompanhamento das condições para também realizar intervenções manuais. As informações ainda serão utilizadas para alimentar 14 novos painéis informativos que serão espalhados em todas as regiões da cidade.

Todo o sistema é implantado pela empresa francesa Engie, num contrato de R$ 19,1 milhões, financiados através de convênio com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Fonte: O Globo Niterói


--------------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: Sinais inteligentes serão implantados nas dez áreas consideradas as mais congestionadas da cidade
NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: Município terá sinais inteligentes e trânsito monitorado em tempo real
NITERÓI TERÁ SISTEMA DE CONTROLE DE TRÂNSITO MAIS MODERNO DO PAÍS
CENTRO DE CONTROLE OPERACIONAL DE MOBILIDADE (CCO): Tecnologia de ponta vai monitorar e gerenciar o trânsito em Niterói 
NITERÓI TERÁ SISTEMA DE CONTROLE DE TRÂNSITO MAIS MODERNO DO PAÍS
PRODUIS (BID) - Niterói terá 110 câmeras em sinais de trânsito para monitorar cruzamentos
CISP - CCO: Prefeitura de Niterói vai implantar sistema de monitoramento de segurança nos ônibus da cidade
Sistema de monitoramento de Niterói contará com 450 câmeras e 80 botões de pânico
Prefeito em exercício visita Centro de Comando e Controle do Estado e acompanha teste de sirenes
POR UMA MOBILIDADE AINDA MAIS SUSTENTÁVEL
WRI Brasil Cidades Sustentáveis sela parceria com Niterói para o desenvolvimento do Plano de Mobilidade Urbana da cidade

OUTRAS POSTAGENS SOBRE MOBILIDADE

Agência de Desenvolvimento da França anuncia visita a Niterói em junho 








ARBORIZAÇÃO PÚBLICA: Iniciativa para acabar com poda danosa em Niterói



COMENTÁRIO DE AXEL GRAEL:

A arborização pública é um dos mais importantes patrimônios de uma cidade e a sua presença garante beleza e harmonia ao ambiente urbano, conforto ambiental (principalmente em cidades de clima quente), proteção contra a radiação solar (sombra), umidade no ar e abriga a fauna urbana. As árvores urbanas também amenizam a poluição sonora e retêm particulados (poeiras) que podem ser lesivas à saúde.

No planejamento de uma cidade sustentável, a arborização cumpre um papel também cada vez mais significativo, dentre outras coisas, para compor corredores ecológicos e controlar "ilhas de calor". Veja os motivos:
  • CORREDORES ECOLÓGICOS: viabilizam biologicamente fragmentos de florestas urbanas (praças, parques, quintais etc.), permitindo a migração de indivíduos da fauna e mantendo a variabilidade genética. 
  • ILHAS DE CALOR: são causadas pela reflexão do calor na superfície, principalmente na pavimentação e edificações, agravados pela falta da arborização. Quanto mais quente o microclima urbano, maior o desconforto, os impactos à saúde humana e maiores são os gastos com refrigeração, aumentando o consumo de energia e de emissões atmosféricas, principalmente no caso da refrigeração veicular, que aumenta o consumo de combustível e, por consequência, as emissões de gases.
Desde o início da atual gestão do prefeito Rodrigo Neves (2013-2016), a Prefeitura de Niterói vem obtendo avanços importantes na gestão e melhoria da arborização urbana de Niterói. Foram implantados programas, tais como:
  • ARBORIBUS - que implanta um banco de dados georreferenciado de toda a arborização da cidade
  • VERDES NOTÁVEIS - que cadastra árvores notáveis da cidade, seja pela importância da espécie (em extinção ou raras), por suas características físicas (porte, etc.) ou pela importância histórica ou cultural.
  • SERVIÇOS DE PODA: foram estruturadas e capacitadas equipes próprias e contratados serviços especializados para conduzir serviços de rotina de poda, supressão e limpeza de erva-de-passarinho e outras pragas.
  • AMPLIAÇÃO, REFORMA E REPOSIÇÃO DO ARBORETO: ao longo da gestão, foram mantidos serviços permanentes de plantios de
  • PLANO MUNICIPAL DE ARBORIZAÇÃO: obtivemos avanços na regulamentação e padronização da gestão da arborização e o prefeito Rodrigo Neves comprometeu-se na Carta Verde de Niterói a desenvolver o Plano Municipal de Arborização até o fim de 2017.

A arborização urbana de Niterói tem vários problemas, causados por uma opção por espécies inadequadas no passado, pelo conflito com a fiação aérea, pelo efeito de podas predatórias, pelo processo de verticalização urbana, por problemas fitossanitários, como doenças (podridão etc.), pragas (cupim etc.) e parasitas (erva-de-passarinho, por exemplo).

Como acontece com várias outras cidades, a Prefeitura de Niterói enfrenta há anos, um difícil relacionamento com a Ampla e outros usuários do espaço aéreo das ruas, devido às práticas indevidas de intervenção no arboreto causadas por equipes da concessionárias. Na atual administração municipal, várias multas chegaram a ser aplicadas à Ampla. A responsabilidade da Ampla sobre a arborização origina-se da necessidade de garantir a integridade do sistema de distribuição de energia e, para tanto, a concessionária vale-se também de obrigações legais e contratuais para evitar que as árvores interfiram com os fios. O problema é compreensível e o trabalho precisa ser feito. O problema é a prática. É possível que a empresa cumpra o seu papel sem que deforme e deteriore o plantel da arborização da cidade, como vinha acontecendo.

Surpreende o fato que a manutenção da rotina de poda, acrescido às multas contratuais que a concessionária está sujeita em caso de queda de energia, constituem-se despesas significativas para a empresa, além de danos à imagem. Era de se esperar que a empresa demonstrasse mais interesse na busca da principal solução para o conflito arborização x fiação, que é o enterramento da rede. Não é o que se verifica.

O conflito entre a Prefeitura e a Ampla acabou envolvendo o Ministério Público e, agora, conforme registrado na matéria abaixo, foi assinado um Termo de Ajuste de Conduta para que a atividade da empresa se enquadre na legislação ambiental e na necessidade de proteção do arboreto urbano.

Por uma Niterói cada vez mais sustentável, sigamos em frente!

Axel Grael
Engenheiro florestal
Vice-Prefeito
Niterói




----------------------------------------------------------


MP faz acordo para acabar com poda danosa em Niterói


Árvore vizinha à Praça Leoni Ramos, no bairro Gragoatá, mistura-se à fiação: acordo negociado pelo Ministério Público regulamenta as podas na cidade - Luiz Ackermann / Agência O Globo


Igor Mello

Termo de Ajustamento de Conduta define obrigações para a Ampla e para a prefeitura

NITERÓI - A Promotoria de Tutela Coletiva e Defesa do Meio Ambiente de Niterói firmou com a prefeitura de Niterói e a concessionária Ampla, responsável pela distribuição de energia na cidade, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para resolver o problema das podas danosas na cidade. Motivo de reclamação de ambientalistas, intervenções inapropriadas nas árvores agora rendem multa de R$ 5 mil para o órgão responsável pelo descumprimento.

De acordo com o promotor Fabrício Rocha Bastos, titular da promotoria, além da Ampla, receberam atribuições na conservação das árvores localizadas em áreas urbanas as secretarias de Conservação e de Meio Ambiente. Para ele, o acordo é um marco para a cidade.

— Esse TAC foi elaborado a partir de diversas reclamações que vinham da própria população e das secretarias. Todas acusavam a Ampla de fazer podas muito drásticas nas árvores, o que traz problemas. Também se queixavam de que o descarte após a intervenção era indevido — destaca Bastos.

Entre os pontos principais do TAC está a proibição de que a concessionária remova mais de 70% da copa das árvores. Em casos em que esse tipo de intervenção for inevitável, a concessionária terá que enviar fotos e laudos sobre a necessidade desse tipo de intervenção à Secretaria de Meio Ambiente.

Outro ponto importante diz respeito à qualificação dos trabalhadores responsáveis pelos cortes. O TAC torna obrigatório a presença de profissionais qualificados, com curso de poda. A concessionária também deve manter profissionais como engenheiro agrônomo, florestal ou biólogo especialista em botânica, habilitado e à disposição das equipes, para sanar dúvidas ou prestar esclarecimentos imediatos ao município.

A Secretaria de Meio Ambiente ficou responsável por qualificar os funcionários da empresa. Em 30 dias, todos os responsáveis por esse tipo de serviço na Ampla e na Secretaria de Conservação devem ser treinados. Posteriormente, passarão por reciclagem a cada 24 meses. Segundo a prefeitura, esse curso está sendo formatado: “A capacitação acontecerá no mês de outubro, e os técnicos estão montando o cronograma de atividades”, diz, em nota.

A Ampla será obrigada ainda a informar semanalmente em quais pontos fará as intervenções, e a manter atualizado junto aos órgãos do município um cadastro georreferenciado das árvores que foram podadas. Por outro lado, a prefeitura terá que substituir todas as árvores que estejam inadequadas à fiação existente na cidade, plantando no mesmo lugar outras espécies que se adaptem melhor. A Secretaria de Conservação, junto ao Meio Ambiente, terá 30 dias para estudar qual será a espécie escolhida para o local. As mudas serão doadas pela concessionária. Segundo a prefeitura, esse trabalho já está em curso: “A substituição das árvores que conflitam com a fiação elétrica já vem sendo realizada pelo projeto Verdes Notáveis, focado no plantio de espécies nativas da Mata Atlântica em locais onde não haja conflito com o meio urbano. O projeto, desde 2014, já plantou mais de 1.300 espécimes”.

A concessionária, por sua vez, diz que já cumpre as determinações firmadas no TAC: “Os colaboradores que realizam a atividade de poda recebem treinamento para o trabalho em proximidade com as redes elétricas e utilizam técnicas para afastar os galhos dos cabos e estruturas elétricas, evitando danos às árvores”. A Ampla acrescenta ainda que envia semanalmente o itinerário de poda à Secretaria de Meio Ambiente de Niterói e à Secretaria municipal de Consevação e Serviços Públicos. A distribuidora reforça que disponibilizará aos órgãos as informações de georreferenciamento de árvores cujo pedido de supressão for realizado pela Ampla.

Após mais de um ano de negociação, o termo foi assinado pela concessionária e pelas secretarias, faltando apenas a assinatura do prefeito Rodrigo Neves. Apesar disso, Rocha Bastos diz que o compromisso tem efeito imediato.

— O termo já vale, porque as obrigações são mais da Ampla do que da prefeitura — esclarece o promotor.

Fonte: O Globo Niterói



-------------------------------------------------------


LEIA TAMBÉM:

ARBORIZAÇÃO URBANA

ARBORIZAÇÃO URBANA DE NITERÓI: Meta é plantar 500 mudas este ano
CONCEITO DE "DOSSEL URBANO" E A EXPERIÊNCIA DE TACOMA (EUA) DE GESTÃO DA ARBORIZAÇÃO E ÁREAS VERDES
NITERÓI CIDADE INTELIGENTE: soluções tecnológicas adotadas em Niterói foram debatidas em evento internacional na FGV
Projeto Verdes Notáveis: plantio de mudas adequadas ao ambiente urbano
NITERÓI MAIS VERDE - Viveiro da Clin produz mudas para os projetos de arborização e recuperação ambiental em Niterói
Prefeitura de Niterói lança projeto inédito de monitoramento e gestão da arborização urbana
ARBORIZAÇÃO DE NITERÓI - Seconser intensifica combate contra erva-de-passarinho

ÁREAS VERDES

REFLORESTAMENTO DE ENCOSTAS: Clin realiza exposições sobre cultivo de mudas e sementes
FERRAMENTA CALCULA VALOR DOS SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS DE FLORESTA URBANA
CIDADES VERDES: As florestas protegidas nas cidades
PARQUES - Pequenas áreas verdes são importantes, mas cidades precisam de grandes parques
"POCKET PARKS" DE COPENHAGUE: um exemplo de sustentabilidade urbana
Estudo inédito apresenta valor econômico e social de unidades de conservação
GESTÃO DE ÁREAS PROTEGIDAS - Organizações sociais vão poder atuar na gestão ambiental dos parques estaduais, decide Alerj
Buenos Aires se reinventa por mais pessoas nas ruas!

Programa NITERÓI MAIS VERDE

DIA HISTÓRICO EM NITERÓI: Foi publicado hoje o Decreto 11.744, que instituiu o PARNIT
PARNIT: Preservação do meio ambiente ganha reforço em Niterói
Niterói + Verde e PARNIT: Decreto cria 22,5 milhões de metros quadrados de áreas protegidas na cidade
PARNIT - Niterói cria parques para proteger áreas verdes de problemas como deslizamentos e queimadas
PARNIT - Prefeito Rodrigo Neves assina na quarta feira o decreto de criação do Programa Niterói + Verde
NITERÓI MAIS VERDE - Vice-prefeito e técnicos da Prefeitura visitam a Praia do Sossego para definir detalhes de obra de infraestrutura
'Niterói mais verde' será criado para proteger o meio ambiente
Niterói entra na rota do turismo do Rio de Janeiro
Evento em Piratininga discute gestão ambiental compartilhada das lagoas da Região Oceânica
VISITA À ILHA DA BOA VIAGEM: Prefeitura de Niterói planeja restauração e reabertura da Ilha à visitação
ILHA DA BOA VIAGEM: Prefeitura de Niterói anuncia forte aposta na Ilha da Boa Viagem como atração turística
MAIS PRAÇAS EM NITERÓI - Praça do Largo da Batalha contará com Academia da Terceira Idade
Prefeitura de Niterói inaugura Praça Márcia Souto na Alameda
Praças de Niterói se transformam em centros de convivência para crianças e idosos
Parque da Cidade ganha reforma para atrair turistas em Niterói

Áreas verdes recuperadas em Niterói


ILHAS DE CALOR URBANO

Entenda como as árvores ajudam a combater as ilhas de calor nas cidades
UNIVERSIDADE DE YALE PUBLICA ESTUDO SOBRE CAUSAS DAS ILHAS DE CALOR URBANO 
Calor, frescor e os ventos
Calor emitido por cidades pode alterar padrões climáticos
Texto do US EPA explica o que é uma Ilha de Calor Urbano
O efeito das ilhas de calor urbano
Ilhas de calor na capital paulista causam temporais
Terraço verde: uma solução para deixar a sua casa mais verde, mais agradável e com menos custos
Grandes cidades se rendem aos telhados verdes
Contra ilhas de calor, Stuttgart tem 60% de cobertura verde
‘Ilhas de calor’ na capital paulista causam temporais mais fortes do que no resto do estado